Hiperjornalismo: Uma visada sobre fake news a partir da autoridade jornalística

  • Marco Antonio Roxo Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense
  • Seane Melo Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense http://orcid.org/0000-0001-9513-3946
Palavras-chave: Fake news. Hiperjornalismo. Autoridade jornalística

Resumo

Neste artigo, procuramos contribuir para o debate sobre fake news a partir da noção de era do “hiperjornalismo”. Com essa proposta, deslocamos o ponto de vista das ferramentas ou soluções disponíveis para evitar a propagação de notícias falsas em sites de redes sociais para uma reflexão sobre as condições de emergência desse fenômeno. Nossa hipótese é de que as notícias falsas também são consequência de um movimento a partir do qual o campo jornalístico consegue impor suas regras internas para outros campos de produção. Com base nisso, questionamos se é em torno das oposições entre verdade e mentira, entre investigação jornalística ou falta dela, que poderemos avançar nessa discussão e sugerimos que a discussão da veracidade não pode ser separada da discussão da autoridade e do pacto de credibilidade entre meios de comunicação e cidadãos

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Antonio Roxo, Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense
Professor Adjunto do Departamento de Estudos Culturais e Mídia e do Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense
Seane Melo, Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense
Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense

Referências

ADGHIRNI, Z. L. Rotinas produtivas do jornalismo em Brasília. In: MOUILLARD, M; PORTO, S. D. O jornal: da forma ao sentido. Brasília, Editora Universitária de Brasília, 2002.

ALBUQUERQUE, Afonso de. Em nome do público: jornalismo e política nas entrevistas dos presidenciáveis ao Jornal Nacional. E-Compós, Brasília, v.16, n.2, maio/ago. 2013.

ARAÚJO, P. Cris Bartis e Ju Wallauer: as minas da polêmica. Vice. 2016, 19 set. Disponível em: https://www.vice.com/pt_br/article/wdbjyb/as-minas-da-polemica-avon-femme. Acesso em: 27 abr. 2018.

ALLCOTT, Hunt; GENTZKOW, Matthew. "Social Media and Fake News in the 2016 Election". Journal of Economic Perspectives, vol. 31, n. 2 Spring/2017, p 211–236. Disponível em: http://pubs.aeaweb.org/doi/pdfplus/10.1257/jep.31.2.211. Acesso em: 27 abr. 2018.

BOCK, M. Citizen video journalists and authority in narrative: reviving the role of the witness. Journalism. 2011, Vol. 13(5) 639–653. DOI: 10.1177/1464884911421703.

BOLIN, Göran. Television Journalism, Politics, and Entertainment: power and autonomy in the field of television journalism. Television & New Media. 2014, Vol. 15(4) 336–349. Disponível em: https://doi.org/10.1177/1527476414525671.

BOURDIEU, P. Sobre a televisão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

BOYD, Danah. Did Media Literacy Backfire?. Data & Society: Points, 05/01/2017. Disponível em: https://points.datasociety.net/did-media-literacy-backfire-7418c084d88d. Acesso em: 27 abr. 2018.

BRANTS, K. “Who’s Afraid of Infotainment?” European Journal of Communication. 1998, Vol. 13 (3): 315–335.

BUCCI, E. Uma profissão, um conceito. Revista de Jornalismo da ESPM, 2012, Out-Dez, p. 26-30. Disponível em: https://doi.org/10.1177/0267323198013003002.

CAPLAN, Robyn. How do you deal with a problem like “fake news”?. Data & Society: Points, 05/01/2017. Disponível em: https://points.datasociety.net/how-do-you-deal-with-a-problem-like-fake-news-80f9987988a9

CARLSON, M. Journalistic authority: legitimating news in the digital era. New York: Columbia University Press, 2017.

CHAMPAGNE, P. “The ‘Double Dependency’: The Journalistic Field between Politics and Markets.” In BENSON, R. e NEVEU, E. Bourdieu and the Journalistic Field, Cambridge, UK: Polity, (1995) 2005.

FORTES, L. Jornalismo Investigativo. São Paulo: Contexto, 2012

FLETCHER, R; NEWMAN, N. et al. Reuters Institute Digital News Report 2017. Disponível em: https://reutersinstitute.politics.ox.ac.uk/sites/default/files/Digital%20News%20Report%202017%20web_0.pdf?utm_source=digitalnewsreport.org&utm_medium=referral. Acesso em: 14 jul. 2017.

GOMES, I. Tendências do telejornalismo brasileiro no início do século XXI: telejornalismo popular e infotainment. In: João Freire Filho; Gabriela Borges. (Org.). Estudos de Televisão: diálogos Brasil-Portugal. 1ed. Porto Alegre: Sulina, 2011, p. 56-87.

KARLSSON, M. The immediacy of online news, the visibility of journalistic processes and a restructuring of journalistic authority. Journalism. 2011, Vol. 12(3) 279–295. DOI: 10.1177/1464884910388223.

MOSSERI, A. Working to Stop Misinformation and False News. Facebook Newsroom. Disponível em: https://newsroom.fb.com/news/2017/04/working-to-stop-misinformation-and-false-news/. Acesso em: 15 jul. 2017.

POST-TRUTH. English Oxford Living Dictionaries, 12 jul. 2017. Disponível em https://en.oxforddictionaries.com/word-of-the-year/word-of-the-year-2016. Acesso em 12 jul. 2017.

RESENDE, F. Às desordens e aos sentidos: a narrativa como problema de pesquisa. In: SILVA, G. et al (org.). Jornalismo contemporâneo: figurações, impasses e perspectivas. Salvador: EDUFBA; Brasília: Compós, 2011.

ROXO, M. Jornalistas pra quê? militância sindical e o drama da identidade professional. Curitiba: Appris, 2016.

SANT’ANNA, F. Quem faz a notícia no parlamento brasileiro? Análise comparativa das rotinas dos newsmakers do Senado Federal. Biblioteca on-line de ciências da comunicação, 2007. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/santanna-francisco-quem-faz-a-noticia-parlamento.pdf. Acessado em: 06 mai. 2015.

SODRÉ, M. e PAIVA, R. Informação e boato na rede. In: SILVA, G. et al (org.). Jornalismo contemporâneo: figurações, impasses e perspectivas. Salvador: EDUFBA; Brasília: Compós, 2011.

WAISBORD, S. Watchdog journalism in South America: news, accountability, and democracy. New York: Columbia University Press, 2000

ZELIZER, Barbie. Covering the body: the Kennedy assassination, the media, and the shaping of collective memory. Chicago & London: University of Chicago Press, 1992. 299p.

ZUCKERMAN, Ethan. "Fake news is a red herring". Deutsche Welle, 25/01/2017. Disponível em: http://www.dw.com/en/fake-news-is-a-red-herring/a-37269377. Acesso em: 27 abr. 2018.

Publicado
2018-08-23
Como Citar
Roxo, M. A., & Melo, S. (2018). Hiperjornalismo: Uma visada sobre fake news a partir da autoridade jornalística. Revista FAMECOS, 25(3), ID30572. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2018.3.30572
Seção
Jornalismo