Diálogo e vínculo – contribuições para a lugarização de perspectivas complexas nas organizações

  • Cleusa Maria Andrade Scroferneker Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Lidiane Ramirez de Amorim Atua como Gerente de Comunicação Corporativa da Rede Marista, em Porto Alegre/RS, Brasil e como docente da Faculdade SENAC – Porto Alegre.
  • Rosângela Florczak de Oliveira Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS) e Professora da ESPM-Sul.
Palavras-chave: Comunicação Organizacional, Complexidade, Diálogo, Vínculo, Sujeitos.

Resumo

Diante das evidentes tensões do ambiente organizacional contemporâneo, marcado pela complexidade das relações entre sujeitos, mas ainda pensado e vivido a partir da racionalidade paradigmas mecanicistas, discutimos a inclusão de novas perspectivas comunicacionais. Questionamo-nos sobre a necessidade do diálogo e do estabelecimento e fortalecimento de vínculos para a sustentação de relacionamentos que contribuam para a (re) construção de sentido e favoreçam a lugarização de novas compreensões sobre os sujeitos, dimensões tão essenciais e centrais (no mais das vezes, esquecidas) para a própria sobrevivência das organizações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleusa Maria Andrade Scroferneker, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1973) e em Geografia Licenciatura (1973) e Bacharelato (1976) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1976), Mestrado em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1983) e Doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2000). Professora Titular da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Membro do Conselho Editorial da Ecos Revista, Organicom e Revista Brasileira de Ciências da Comunicação-Intercom. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Relações Públicas, atuando principalmente nos seguintes temas: comunicação organizacional, novas tecnologias relações públicas. Coordenadora da Iniciação Científica da Universidade/Diretoria de Pesquisa/Pró-Reitoria de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação/PROPESQ/PUCRS (Abril de 2009 a Julho de 2015), Coordenadora Institucional do PIBIC/PIBITI/CNPq, PROPIC/PROBITI/FAPERGS (Abril de 2009 a Julho de 2015) . Coordenadora de Grupos de Trabalho nos Congressos da ABRAPCORP, Seminário Internacional da Comunicação e da ALAIC.Diretora Científica da ABRAPCORP [2014-2016]. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Estudos de Comunicação Organizacional [2015].Coordenadora Executiva do DTI 9 - Congresso Ibercom 2015. Vice-Presidente da ABRAPCORP [2016-2018].
Lidiane Ramirez de Amorim, Atua como Gerente de Comunicação Corporativa da Rede Marista, em Porto Alegre/RS, Brasil e como docente da Faculdade SENAC – Porto Alegre.

Doutorado em Comunicação pela Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS), Mestre pela mesma Universidade. Atua como Gerente de Comunicação Corporativa da Rede Marista, em Porto Alegre/RS, Brasil e como docente da Faculdade SENAC – Porto Alegre.

Rosângela Florczak de Oliveira, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS) e Professora da ESPM-Sul.

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS), Mestre pela mesma Universidade. Professora da ESPM-Sul.

 

Referências

AUGÉ, Marc. Não-lugares. Introdução a uma antropologia da supermodernidade. Campinas/São Paulo: Papirus, 2012.

_____. Por uma antropologia da mobilidade. Maceió: Editora Unesp/UFAL, 2010.

BAITELLO JÚNIOR, Norval. A era da iconofagia: reflexões sobre a imagem, comunicação, mídia e cultura. São Paulo: Hacker, 2005.

BALDISSERA, Rudimar; SÓLIO, Branca. O complexus comunicação-cultura-administração. Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación. São Paulo, v. 4, p. 10-19, 2006.

BOHM, D. Diálogo: comunicação e redes de convivência. São Paulo: Palas Athena, 2005.

CHANLAT, J. F. Por uma antropologia da condição humana nas Organizações. In: TÔRRES, Ofélia de L. S. (Org.). O indivíduo na organização: dimensões esquecidas. 3. ed., São Paulo: Atlas, p. 21-45, 2010.

_____________. Gestão empresarial: uma perspectiva antropológica. Tradução Laura Gillon. São Paulo: CENGAGE Learning, 2010 [Coleção Debates em Administração].

DA SILVA, Anielson Barbosa; RABELO, Luiza M. Bessa. A emergência do pensamento complexo nas organizações. Revista de Administração Pública, v. 37, n. 4, p. 777-796, 2003.

GAULEJAC, Vicent de. A NPG: a Nova Gestão Paradoxal. In: BENDASSOLI, Pedro F. e Lis Andreas SOBOLL. Clínicas do Trabalho. São Paulo: Atlas, 2011.

GIDDENS, Anthony. Mundo em descontrole. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges, 6. ed., Rio de Janeiro: Record, 2007.

KRAMER, Gustavo Garcez e FARIA, José Henrique de. Vínculos organizacionais. RAP Rio de Janeiro, 41 (1), p. 83-104, Jan./Fev. 2007. Disponível em: http://www. scielo.br/pdf/rap/v41n1/06.pdf Acesso em: 19 fev. 2014.

MARCONDES FILHO, Ciro. Para entender a comunicação: contatos antecipados com a Nova Teoria. São Paulo: Paulus, 2008 [Coleção Temas de Comunicação].

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Tradução Eliane Lisboa. Porto Alegre: Sulina, 2006.

______. O Método 3: o Conhecimento do Conhecimento. 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 2005.

______. O Método 2: a vida da vida. 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 2005.

______. O Método 1: a natureza da natureza. Porto Alegre: 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 2005.

_______. Educação e complexidade: os sete saberes e outros ensaios. São Paulo: Cortez, 2002.

______. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. 3. ed. Brasília: UNESCO, 2001.

OLIVEIRA, Ivone Lourdes de; PAULA, Carine Caetano de. Comunicação no contexto das organizações produtoras ou ordenadoras de sentido? In: OLIVEIRA, Ivone Lourdes de; SOARES, Ana Threreza Nogueira (Orgs.). Interfaces e tendências da comunicação no contexto das organizações. São Caetano do Sul/São Paulo: Difusão Editora, 2008.

PÉREZ, Rafael Alberto. Pensar la estrategia: otra perspectiva. 1. ed., Buenos Aires: La Crujia, 2012.

RIVIÈRE, Pichon- Enrique. Teoria do vínculo. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

SCROFERNEKER, Cleusa Maria Andrade. AMORIM, Lidiane Ramirez de e OLIVEIRA, Rosângela Florczak de. Comunicação organizacional e estratégia: (re) pensar para compreender. VIII Congresso Abrapcorp. Anais...Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 16 maio 2014. Anais_VIII_ABRAPCORP_2014.pdf. Disponível em: http://abrapcorp.org.br/site/manager/arq/(cod2_21198) Acesso em: 28 jun. 2016.

SCROFERNEKER, Cleusa Maria Andrade; AMORIM, Lidiane Ramirez de; CASTILHOS, Letícia. (Re)Pensando os relacionamentos no contexto organizacional, face os desafios e possibilidades decorrentes das ‘novas’ tecnologias. XXXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Anais... Manaus: INTERCOM, Manaus, 4 a 7 set. 2013. Disponível em: http://www.intercom.org.br/papers/ nacionais/2013/resumos/R8-1619-1.pdf Acesso em: 10 mar. 2015.

SENETT, R. Juntos – Os rituais, os prazeres e a política de Cooperação. Rio de Janeiro: Editora Record, 2012.

SILVA, Juremir Machado da. O fim das palavras e as palavras do fim: neomodernidade, pós-modernidade ou hipermodernidade? In: SHULER, Fernando; SILVA, Juremir Machado da. Metamorfoses da Cultura Contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2006.

______. Apresentação. In: SCROFERNEKER, Cleusa Maria Andrade (Org.) O diálogo possível: comunicação organizacional e Paradigma da Complexidade. Porto Alegre: EDIPUCRS, p. 7-13, 2008.

SODRÉ, Muniz. As estratégias sensíveis: afeto, mídia e política. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

SROUR, Robert Henry. Poder, cultura e ética nas organizações. 3. ed. revisada. São Paulo: Editora Campus, 2012.

URIBE, Pablo Antonio. La Idea de Organización. Medelin: Comunicación S.A., 2007.

VERÓN, Eliseo. Fragmentos de tecido. São Leopoldo: Unisinos, 2004.

WOLTON, Dominique. Informar não é comunicar. Porto Alegre: Sulina, 2010.

______. É preciso salvar a comunicação. São Paulo: Paulus, 2006.

______. Pensar a comunicação. Trad. Zélia Lea Adghirni. Brasília: Editora UNB, 2004.

ZIMMERMANN, David E. Os quatro vínculos: amor, ódio, conhecimento, reconhecimento na psicanálise e em nossas vidas. Porto Alegre: Artmed, 2010.

Publicado
2016-07-07
Como Citar
Scroferneker, C. M. A., Amorim, L. R. de, & Oliveira, R. F. de. (2016). Diálogo e vínculo – contribuições para a lugarização de perspectivas complexas nas organizações. Revista FAMECOS, 23(3), ID24447. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2016.3.24447
Seção
Comunicação Organizacional