A virada comunicacional. Ou porque os estudos de "midiatização", de hábito e da Teoria dos Media passam ao largo da comunicação.

  • Ciro Marcondes Filho Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Teoria dos media, Mediatização, Acontecimento comunicacional

Resumo

A semiótica fala de mudança de hábito como efeito mental, como modificação de tendências de uma pessoa em relação à ação, mas ignora o momento da passagem, a saber, o acontecimento comunicacional. O estudo político da dominação exercida pelos meios de comunicação, a teoria dos media, faz sociologia, é um estudo de tecnologias aplicadas à sociedade. A apropriação recente desses meios pela base social, pelas redes, não altera o caráter desse estudo, apenas sugere uma implosão da estrutura piramidal, verticalizada, para um uso mais horizontalizado. Estamos, portanto, ainda nos "meios", na mediatização. Não se justifica, portanto, contrapor o neologismo "midiatizar" à mediatização, pois é tautológico e só confunde. Comunicação ocorre através dos meios, ela é medial, mas não é obrigatoriamente mediática. É pelo medial que tudo deve começar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ciro Marcondes Filho, Universidade de São Paulo
Professor Titular da Escola de Comunicações e Artes da USP, coordenador do FiloCom - Núcleo de Estudos Filosóficos da Comunicação

Referências

DELEUZE, G. e GUATTARI, F. L’Anti-Œdipe. Capitalisme et Schizophrénie. Paris: Editions de Minuit, 1972.

FAUSTO NETO, Antonio. Afetações da midiatização sobre o ofício jornalístico. Ambiência, Identidades, Discursividades e Processos Interacionais. In: I Encontro da Rede Nacional de Grupos de Pesquisa em Comunicação, 2012, Itapecerica da Serra. Anais... Itapecerica da Serra: 2012.

GOMES, Pe. Pedro. Buscando o Objeto para encontrar a metodologia (a fenomenologia da midiatização). In: I Encontro da Rede Nacional de Grupos de Pesquisa em Comunicação, 2012, Itapecerica da Serra. Anais... Itapecerica da Serra: 2012.

KIERKEGAARD, Sören. La dialectique de la communication éthique et éthicoreligieuse. Paris: Rivages Poche, 2004 [1854].

PEIRCE, C. S. Collected Papers. ROBIN, Richard S. Annotated catalogue of the papers of Charles S. Peirce / Richard S. Robin. - Massachusetts: The University of Massachusetts Press, 1967 [1931-35].

REICH, Wilhelm. Was ist Klassenbewuβtsein? Amsterdam, 1934.

SANTAELLA, Lúcia. O Papel da Mudança de Hábito no Pragmatismo Evolucionista de Peirce. Revista de Filosofia, v. 5, n. 1, 2004.

SAVAN, David. An Introduction to C. S. Peirce Full System of Semiotic. Toronto: Victoria College of the University of Toronto, 1976. (Monograph Series of the Toronto Semiotic Circle, 1).

VOLLI, Ugo. Manual de semiótica. São Paulo: Loyola, 2008.

Publicado
2015-06-01
Como Citar
Marcondes Filho, C. (2015). A virada comunicacional. Ou porque os estudos de "midiatização", de hábito e da Teoria dos Media passam ao largo da comunicação. Revista FAMECOS, 22(2), 134-157. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2015.2.20143
Seção
Epistemologia