O estilo televisivo e sua pertinência para a TV como prática cultural

  • Simone Maria Rocha Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Cultura, Estilo televisivo, Televisão

Resumo

Este artigo tem dois objetivos. O primeiro é o de apresentar a abordagem de Mittell que, através do modelo das seis facetas interdependentes, pretende tratar da complexidade da televisão, e o segundo é o de explorar uma destas facetas – a dimensão da televisão enquanto forma textual – e evidenciar, por meio da análise estilística, sua pertinência para a TV enquanto prática cultural. A conclusão é a de que investigar as propriedades do estilo televisivo pode resultar útil ao entendimento das profundas transformações pelas quais o dispositivo vem passando na atualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone Maria Rocha, Universidade Federal de Minas Gerais
Doutora em Comunicação e Cultura pela UFRJ, com pós-doutorado em comunicação pela UFMG. Professora do PPGOCOM/UFMG e coordenadora do Grupo de Pesquisa em Comunicação, Mídia e Cultura.

Referências

BORDWELL, D. Figuras traçadas na luz. Campinas, SP: Papirus, 2008.

BORGES, G.; PUCCI JR., R.; SELIGMAN, F. (Eds.). Televisão: Formas Audiovisuais de Ficção e de Documentário. Faro e São Paulo, 2011.

BUTLER, J. Television Style. New York: Routledge, 2010.

______. Television: critical methods and applications. 3. ed. New York & London: Routledge, 2009 [2006].

CALDWELL, J. T. Televisuality: Style, Crisis and Authority in American Television. New Brunswick: Rutgers University Press, 1995.

CARROLL, N. Film Form: An Argument for a Functional Theory of Style in the Individual Film. In: Engaging the Moving Image. New Haven: Yale University Press, 2003.

CARLÓN, M. Televisión y masas. De las representaciones históricas a la nueva etapa de mediatización. Masas, pueblo, multitude en cine y televisión. Mariano Mestman e Mirta Varela (cords.). Buenos Aires: EUDEBA, 2013.

______. Autopsia a la television? Dispositivo y lenguaje en el fin de una era. El fin de los medios masivos. El comienzo de un debate. Buenos Aires: La Crujía, 2009.

______. Sobre lo televisivo: dispositivos, discursos y sujeitos. Buenos Aires: La Crujía, 2004.

MACHADO. A. A televisão levada a sério. São Paulo: Senac, 2000.

MILLER, T. Television Studies: the basics. London and New York: Routledge, 2010.

MITTELL, J. Television and American Culture. New York: Oxford University Press, 2010.

______. Genre and television. London and New York: Routledge, 2004.

ROCHA, S. M.; ALVES, M. L. C.; OLIVEIRA, L. F. A história através do estilo: a Revolta da Vacina na telenovela Lado a Lado. Revista Eco-Pós [online], v. 16, p. 205-220, 2013.

______. O Astro, 2011: remake ou releitura? Sobre o processo de criação do novo formato de ficção seriada da TV Globo. Contemporanea (UFBA) [online], v. 11, p. 23-42, 2013a.

______. Inovações estéticas na TV: a travessia sertão-Ilhéus de Gabriela. Trabalho apresentado na ST: Televisão – formas audiovisuais de ficção e documentário do XVII Encontro da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual – SOCINE, UNISUL, Florianópolis, outubro, 2013b.

______. SILVA, V. R. L. Novas temporalidades no fluxo televisivo: apontamentos sobre reconfigurações da experiência de assistir à televisão. Revista FAMECOS, v. 19, p. 189-207, 2012.

THOMPSON, K. Storytelling in Film and Television. Cambridge; Londres: Harvard University Press, 2003.

WILLIAMS, R. Television. Technology and cultural form. London: Routledge, 1974.

Publicado
2015-02-04
Como Citar
Rocha, S. M. (2015). O estilo televisivo e sua pertinência para a TV como prática cultural. Revista FAMECOS, 21(3), 1082-1099. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2014.3.16617
Seção
Televisão