Imaginário moderno e o mundo do consumo

  • Julio Cesar Lemes de Castro Universidade de São Paulo (USP)
Palavras-chave: Imaginário, Modernidade, Consumo.

Resumo

O artigo inicialmente traça, em linhas gerais, o conceito lacaniano de imaginário, mostrando como ele se forma a partir do estádio do espelho e se ramifica em posturas de rivalidade e identificação. Em seguida, é apresentada a ascensão doimaginário na modernidade capitalista, seja na relação com a natureza e o mundo dos objetos, seja nos laços econômicos, sociais e políticos entre os homens. Finalmente, o imaginário moderno é articulado com as posturas de rivalidade eidentificação que governam o mundo do consumo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julio Cesar Lemes de Castro, Universidade de São Paulo (USP)
Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP. Pesquisador de pós-doutorado em Psicologia Social no Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo – USP.

Referências

BARTHES, Roland. Mitologias. São Paulo: Difusão Editorial, 1985.

BAUDRILLARD, Jean. La société de consommation: ses mythes, ses structures. Paris: Denoël, 1986.

BAUMAN, Zygmunt. Liquid modernity. Cambridge: Polity, 2000.

BECK, Ulrich et al. Modernização reflexiva: política, tradição e estética na ordem social moderna. São Paulo: Editora da UNESP, 1997.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas I: magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BRENNAN, Teresa. History after Lacan. London: Routledge, 1993.

CAMPBELL, Colin. The romantic ethic and the spirit of modern consumerism. Oxford: Basil Blackwell, 1989.

COPJEC, Joan. Read my desire: Lacan against the historicists. Cambridge: MIT Press, 1994.

ELIAS, Norbert. The civilizing process: sociogenetic and psychogenetic investigations. Malden: Blackwell, 2000.

FELDSTEIN, Richard. The mirror of manufactured cultural relations. In: ______ et al. (Eds.). Reading Seminars I and II: Lacan’s return to Freud. Albany: State University of New York Press, 1996. p. 130-169.

FREUD, Sigmund. Sobre o narcisismo: uma introdução. In: FREUD, Sigmund. Rio de Janeiro: Imago, 1974a.

______. O mal-estar na civilização. In: FREUD, Sigmund. Rio de Janeiro: Imago, 1974b.

______. Escritores criativos e devaneios. In: FREUD, Sigmund. Rio de Janeiro: Imago, 1976a.

______. Além do princípio de prazer. In: FREUD, Sigmund. Rio de Janeiro: Imago, 1976b.

______. Psicologia de grupo e a análise do ego. In: FREUD, Sigmund. Rio de Janeiro: Imago, 1976c.

______. O ego e o id. In: FREUD, Sigmund. Rio de Janeiro: Imago, 1976d.

LACAN, Jacques. Écrits. Paris: Seuil, 1966.

______. Le séminaire, livre I: les écrits techniques de Freud. Paris: Seuil, 1975.

______. Le séminaire, livre II: le moi dans la théorie de Freud et dans la technique de la psychanalyse. Paris:

Seuil, 1978.

______. Le séminaire, livre III: les psychoses. Paris: Seuil, 1981.

______. Le séminaire, livre IV: la relation d’objet. Paris: Seuil, 1994.

______. Le séminaire, livre VIII: le transfert. 2. ed. Paris: Seuil, 2001a.

LACAN, Jacques. Autres écrits. Paris: Seuil, 2001b.

______. Le séminaire, livre X: l’angoisse. Paris: Seuil, 2004.

LIPOVETSKY, Gilles. L’ère du vide: essais sur l’individualisme contemporain. Paris: Gallimard, 1983.

MACCANNELL, Juliet Flower. The regime of the brother: after the patriarchy. London: Routledge, 1991.

SALECL, Renata. On anxiety. London: Routledge, 2004.

SLATER, Don. Consumer culture and modernity. Cambridge: Polity, 1997.

VEBLEN, Thorstein. A teoria da classe ociosa: um estudo econômico das instituições. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

Publicado
2014-01-13
Como Citar
Castro, J. C. L. de. (2014). Imaginário moderno e o mundo do consumo. Revista FAMECOS, 20(3), 603-617. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2013.3.10963
Seção
Subjetividade