Reflexões sobre pragmática e letramento jurídico a partir de um caso de vídeos no youtube desrespeitando cultos religiosos afro-brasileiros

  • André Luiz de Oliveira Almeida Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Pragmática, Teoria da relevância, Letramento jurídico, Práticas sociais.

Resumo

Considerando que a Pragmática é o ramo da Linguística que prioriza o estudo dos princípios que orientam os processos de comunicação humana, levando em consideração os contextos em que os interactantes estão inseridos, e que sua vertente cognitivo-inferencial postula que a compreensão do significado de um enunciado (seja oral ou escrito) leva em conta as circunstâncias mentais e sociais de quem o produziu, neste trabalho utilizaremos como referencial teórico alguns conceitos dessa vertente que foram introduzidos pela Teoria da Relevância de Sperber e Wilson (1995), tal como a definição de “contexto” como um constructo psicológico dinâmico de suposições sobre o mundo. Considerando também que o estudo de casos é uma metodologia de pesquisa consolidada e adequada para problematizar situações concretas, nos apropriaremos de um episódio submetido à apreciação do Poder Judiciário brasileiro. Nesse episódio, pretendeu-se a exclusão da internet de vídeos discriminatórios aos praticantes e às práticas sociais religiosas de matriz afro-brasileira. O objetivo deste estudo é refletir sobre a importância da introdução dos estudos da Pragmática, especialmente de viés cognitivo-inferencial, no processo de letramento dos profissionais do Direito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Luiz de Oliveira Almeida, Universidade Federal do Paraná
Mestre e doutorando em Estudos Linguísticos na UFPR. Advogado e professor de português como língua estrangeira.

Referências

BENFATTI, Maurício F. N.; GODOY, Elena. Dos discursos de ódio como enredos ficcionais da vida real. Anais do II Workshop Internacional de Pragmática da UFPR. Curitiba: Imprensa da UFPR (no prelo).

BRASIL. Poder Judiciário. Seção Judiciária do Rio de Janeiro. 17ª Vara Federal, Ação Civil Pública nº 2014.51.01.004747-2. Disponível em: <http://procweb.jfrj.jus.br/portal/consulta/resconsproc.asp>. Acesso em: 15 ago. 2014.

CAMPOS, Jorge da Costa. Seminário de Semântica do PPGL da PUCRS. Porto Alegre, 2008.

CANOTILHO, Joaquim José Gomes. Direito constitucional e teoria da constituição. Coimbra: Almedina, 2003.

DAMÁSIO, António R. E o cérebro criou o homem. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

DASCAL, Marcelo. Interpretação e compreensão. São Leopoldo: Unisinos, 2006.

FREITAS, Graça M. B. Formação de magistrados no Brasil: um modelo educativo institucional em construção após a Constituição de 1988. Rev. Trib. Reg. Trab. 3ª Reg., Belo Horizonte, v. 46, n. 76, p. 81-92, jul./dez. 2007. Disponível em: <http://www.trt3.jus.br/escola/download/revista/rev_76/Graca_Freitas.pdf>. Acesso em: 21 ago. 2014.

GRICE, H. P. Lógica e conversação. In DASCAL, Marcelo (Org.). Fundamentos Metodológicos da Linguística: Pragmática. São Paulo: Editora do autor, 1980.

REVISTA EXAME. Edição on-line de 16/05/2014. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/para-juiz-candomble-e-umbanda-nao-sao-religioes>. Acesso em: 15 ago. 2014.

SIGNORINI, Inês. Letramento e (in)flexibilidade comunicativa. In: KLEIMAN, Angela B. (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado das Letras, 1995.

SANTOS, Sebastião L. A interpretação da piada na perspectiva da Teoria da Relevância. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2009.

SANTOS, Sebastião L. Contexto e contextualização: quando o significado acontece. In: Anais do XII CIEL Congresso Internacional de Estudos em Linguagem – UEPG, 2013.

SPERBER, Dan; WILSON, Deirdre. Relevance: communication & cognition. 2. ed. Oxford: Blackwell, 1995.

SPERBER, Dan. Explaining Culture: A naturalistic approach. Oxford: Blackwell, 1996.

Publicado
2015-07-15
Como Citar
Almeida, A. L. de O. (2015). Reflexões sobre pragmática e letramento jurídico a partir de um caso de vídeos no youtube desrespeitando cultos religiosos afro-brasileiros. Letrônica, 8(1), 33-44. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2015.1.19611