A influência da animacidade no processamento de cláusulas relativas no Português Brasileiro

  • Althiere Frank Valadares Cabral Instituto Federal do Rio Grande do Norte
  • Márcio Martins Leitão Universidade Federal da Paraíba
  • Eduardo Kenedy
Palavras-chave: Animacidade, Sujeito e objeto animado e inanimado, Cláusula relativa, Processamento on-line

Resumo

Neste trabalho, reportamos dois experimentos que realizamos por meio da técnica experimental de leitura automonitorada cujo foco foi a influência do traço da animacidade em Cláusulas Relativas de Sujeito e de Objeto. No primeiro experimento, com cláusulas com sujeitos e objetos animados, os resultados demonstraram que as cláusulas de sujeito foram lidas num tempo significativamente menor do que as relativas de objeto. No segundo experimento, controlamos a animacidade, construindo cláusulas relativas de sujeito e de objeto, sendo metade delas com termos animados e metade inanimados e, embora tenhamos encontrado efeito de interação entre o tipo de relativa e o traço da animacidade, não houve efeito principal quanto a esses dois fatores. Ou seja, esses resultados demonstram que o traço da animacidade é acessado pelo parser já no início do processo da compreensão de uma frase e por isso mesmo o processador sintático não estaria restrito a informações puramente sintáticas.

 

************************************************************************************************************************************************************************************************************

 

The influence of animacy on relative clause processing in Brazilian Portuguese

 

Abstract: In this paper, two self-paced reading experiments address the question whether the parser accesses and compute semantic features during sentence processing. Both experiments aimed to compare the processing of subject relative clauses and object relative clauses. In the first experiment, these clauses were not manipulated in terms of its animacity features – both subject and object were animate DPs. The results of this experiment demonstrate that subject relative clauses were read significantly faster when compared to object relative clauses. The second experiment did manipulate the animacity features: subject and object of relative clauses were divided in 50% of animate and 50% of non-animate DPs. Under these circumstances, the results reveal that the reading times of subject and object relative clauses are statistically equivalent. The syntactic asymmetries between subject and object relatives alone cannot explain these results, therefore the experiments lead to the conclusion that the parser is likely to access and compute semantic features during on-line sentence processing.

 

Keywords: Animacity features; Animate and non-animate subject and object relative clauses;
On-line parsing

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BEZERRA, Gitanna. O processamento de argumentos e adjuntos em estruturas sintáticas sem ambiguidade de em estruturas com correferência. Dissertação de Mestrado, UFPB, 2013.

BEZERRA, Gitanna; LEITÃO, Márcio Martins. O pro-

cessamento de argumentos e adjuntos sem ambiguidade estrutural. Veredas on-line – atemática – Juiz de Fora, v. 17,

n. 2, p. 60-82, 2013.

CARVALHO, Danniel da Silva. Traços. In: FERRARI-NETO, José; SILVA, Cláudia Roberta Tavares (Org.). O Programa Minimalista em Foco. Curitiba: CRV, 2012. p. 113-132.

CHOMSKY, Noam. O Programa Minimalista. Lisboa: Caminho, 1995.

COSTA, João et al. Produção e compreensão de orações relativas em português europeu: dados do desenvolvimento típico, de PEDL e do agramatismo. Textos selecionados XXIV Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Linguística. Lisboa: APL, 2009. p. 211-224.

FERRARI-NETO, José. O minimalismo: conceitos chave. In: FERRARI-NETO, José; SILVA, Cláudia Roberta Tavares (Org.). O Programa Minimalista em Foco. Curitiba: CRV, 2012. p. 29-40.

FERREIRA, Fernanda; CLIFTON JR, Charles. The inde-

pendence of syntactic processing. Journal of Memory and Language, v. 25, p. 348-368, 1986. http://dx.doi.org/10.1016/0749-596X(86)90006-9

FODOR, Jerry. The Modularity of mind. Cambridge, MA: MIT Press, 1983.

FRAZIER, Lyn. On comprehending sentences: Syntactic parsing strategies. Unpublished Doctoral Dissertation –University of Connecticut, 1978.

FRAZIER, Lin, CLIFTON, Charles. Construal: Overview, Motivation and Some Evidence. Journal of Psycholinguistic Research, v. 26, n. 3, p. 277-295, 1997. http://dx.doi.org/10.1023/A:1025024524133

FRAZIER, Lyn; FODOR, Janet. The Sausage Machine: A New Two-Stage Parsing Model. Cognition, v. 6, p. 291-325, 1978. http://dx.doi.org/10.1016/0010-0277(78)90002-1

FRAZIER, Lyn; RAYNER, Keith. Making and correcting errors during sentence comprehension: Eye Movements in the Analysis of structurally ambiguous sentences. Cognitive Psychology, v. 14, p. 178-210. 1982. http://dx.doi.org/10.1016/0010-0285(82)90008-1

GIBSON, Edward. The dependency locality theory: a distance-based the teory of linguistic complexity. In: MARANTZ, Alec;

MIYASHITA, Yasushi; O’NEIL, Wayne. Image, language, brain: papers from the first mind-articulation project symposium, Cambridge, Massachusetts, MIT Press, 2001. p. 95-126.

GIBSON, Edward; FEDORENKO, Evelina. Weak quantitative standards in linguistics research. Trends in cognitive sciences, v. 14, n. 6, p. 233-234, 2011.

KENEDY, Eduardo. Curso Básico de Linguística Gerativa. São Paulo: Contexto, 2013.

LEITÃO, Márcio Martins. Animacidade e paralelismo estrutural no processamento da correferência. Revista Linguística, v. 6,

n. 1, p. 44-77, 2010.

MACDONALD, Maryellen C.; PEARLMUTTER, Neal J.;

SEIDENBERG, Mark S. The lexical nature of syntactic ambiguity resolution. Psychological Review, v. 101, n. 4, p. 676-

, 1994. http://dx.doi.org/10.1037/0033-295X.101.4.676

MAIA, Marcus; FINGER, Ingrid. Processamento da linguagem. Pelotas: EDUCAT, 2005.

MAIA, Marcus et al. O processamento de concatenações sintáticas em três tipos de estruturas frasais ambíguas em português. Fórum Linguístico, v. 3, n. 1, p. 13-53 2003.

MAK, Willem; VONK, Wietske; SCHRIEFERS, Herbert.

The Influence of Animacy on Relative Clause Processing. Journal of Memory and Language, v. 47, n. 1, p. 50-68, 2002. http://dx.doi.org/10.1006/jmla.2001.2837

OLIVEIRA, Fernando Lúcio. O processamento da assimetria sujeito-objeto em construções do tipo QU no Português brasileiro: interrogativas e relativas. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2013.

OLIVEIRA, R.; LEITÃO, M. M.; HENRIQUE, J. A influên-

cia dos antecedentes vinculados e não vinculados no pro-

cessamento da anáfora “a si mesmo(a)”. Linguística, v. 8,

n. 2, p. 115-134, 2012. ISSN versão digital: 2238-975-X / ISSN versão impressa: 1808-835-X.

SANTOS, Thiago da Silva. Animacidade: um estudo entre línguas. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2013.

SENDRINS, Adeilson Pinheiro; SIBALDO, Marcelo Amorim. Estrutura de Constituintes. In: FERRARI-NETO, José; SILVA, Cláudia Roberta Tavares (Org.). O Programa Minimalista em Foco. Curitiba: CRV, 2012. p. 71-111.

Publicado
2015-05-08
Como Citar
Cabral, A. F. V., Leitão, M. M., & Kenedy, E. (2015). A influência da animacidade no processamento de cláusulas relativas no Português Brasileiro. Letras De Hoje, 50(1), 102-111. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2015.1.18398
Seção
Tecnologias, procedimentos de pesquisa e aplicações à linguagem e à comunicação numa perspectiva psicolinguística