Docência na prisão: relação professor-aluno e identidade docente

Palavras-chave: Docência na prisão. Identidade docente. Relação professor-aluno.

Resumo

O presente estudo busca descrever como a relação do professor com seus alunos, em situação de privação de liberdade, pode influenciar na maneira pela qual o docente constitui sua autoimagem, autoestima e realização profissional. A pesquisa contou com a participação voluntária de cinco professores da educação escolar de uma instituição prisional e com uma entrevista com a diretora da escola. Para tanto, foram utilizados como instrumentos de coleta de dados entrevistas abertas e registro em diário de campo. Os resultados sugerem que a relação professor-aluno representa um elemento significativo no processo de constituição da identidade profissional dos docentes da unidade prisional pesquisada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOLÍVAR, Antonio. La identidad profesional del profesorado de secundaria: crisis y reconstrucción. 5. ed. Málaga, Espanha: Ediciones Aljibe, 2006.

BRASIL. Código Penal. Brasília, 1984. Disponível em:

<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del2848compilado.

htm>. Acesso em: 27 jun. 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988. Disponível em:

<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm>. Acesso em: 27 jun. 2018.

CIAMPA, Antonio da Costa. Identidade. In: CODO, Wanderley; LANE, Silvia Tatiana Maurer (Org.). Psicologia social: o homem em movimento. São Paulo: Brasiliense, 1997.

DUARTE, Alisson José Oliveira. Processo de constituição da identidade profissional de professores da educação escolar de uma unidade prisional de Minas Gerais. 2017. 149 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, 2017.

DUARTE, Alisson José Oliveira; SIVIERI-PEREIRA, Helena de Ornellas. Aspectos históricos da educação escolar nas instituições prisionais brasileiras do período imperial ao século XXI. Educação Unisinos, v. 22, n. 4, maio/jun. 2018.

OLIVEIRA, Carolina Bessa Ferreira. A educação escolar nas prisões: uma análise a partir das representações dos presos da penitenciária de Uberlândia (MG). Educ. Pesq., São Paulo, v. 39, n. 4, p. 955-967, out./dez. 2013.

ONOFRE, Elenice Maria Cammarosano. A escola da prisão como espaço de dupla inclusão: no contexto e para além das grades. Polyphonía, v. 22, n. 1, p. 111-120, jan./jun. 2011.

ONOFRE, Elenice Maria Cammarosano. Desafio histórico da educação prisional brasileira: Ressignificando a formação de professores... um quê de utopia? Revista HISTEDBR On-Line, Campinas, n. 47, p. 205-219, set. 2012.

ONOFRE, Elenice Maria Cammarosano. Educação escolar para jovens e adultos em situação de privação de liberdade. Cad. Cedes, Campinas, v. 35, n. 986, p. 239-255, maio-ago. 2015.

ROGERS, Carl. Sobre o poder pessoal. 10. ed. São Paulo, Martins Fontes, 2001.

SIVIERI-PEREIRA, Helena de Ornellas. O professor principiante e os espaços de interação entre as dimensões pessoais e profissionais da carreira docente. 2008. 320 f. Tese (Doutorado em Ciências, Área: Psicologia) – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, 2008.

VASQUEZ, Eliane Leal. Sociedade cativa. Entre cultura escolar e cultura prisional: uma incursão pela ciência penitenciária. 2008. 163 f. Dissertação (Mestrado em História da Ciência) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2008.

Publicado
2018-09-17
Como Citar
Oliveira Duarte, A. J., & Sivieri-Pereira, H. de O. (2018). Docência na prisão: relação professor-aluno e identidade docente. Educação, 41(2), 300-312. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2018.2.31938