Atividade de estudo: ferramenta para a constituição do autor nos anos iniciais do Ensino Fundamental

  • Cleber Barbosa da Silva Clarindo Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
  • Stela Miller Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Palavras-chave: Ensino Fundamental. Atividade de estudo. Autoria

Resumo

Este artigo busca compreender, a partir do referencial da Teoria Histórico-Cultural, de que modo a atividade de estudo, como atividade principal das crianças em idade escolar inicial, pode ser ferramenta do processo de autoria. O homem, por sua atividade fundamental – o trabalho –, ao longo da história, constitui-se em ser transformador da natureza e produtor de cultura; pela atividade, ele produz e, nessa produção, também transforma suas capacidades de lidar com objetos da cultura humana. Daí se afirmar que os produtos de sua própria atividade caracterizam-se como atos de autoria. Nos anos iniciais do Ensino Fundamental, a atividade de estudo, como um tipo especial de prática que organiza e possibilita a formação de neoformações no psiquismo do sujeito, constitui-se em meio fundamental para o processo de desenvolvimento da capacidade de autoria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Stela Miller, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Docente do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP - Marília.

Referências

DAVIDOV, V. La enseñanza escolar y el desarrollo psíquico. Moscú: Editorial Progreso, 1988.

ELKONIN, D. B. La unidad fundamental de la forma desarrollada de la actividad lúdica. La naturaleza social del juego de roles. In: ILIASOV, I. I.; LIAUDIS, V. Ya. Antología de la psicología pedagógica y de las edades. Habana: Editorial Pueblo y Educación, 1986. p. 74-78.

ELKONIN, D. B. Sobre el problema de la periodización del desarrollo psíquico en la infancia. In: SHUARE, M. La Psicología evolutiva y pedagógica en la URSS – Antología. Moscú: Editorial Progreso, 1987. p. 104-124.

FOUCAULT, M. O que é um autor? In: FOUCAULT, M. Estética: literatura e pintura, música e cinema. Organização e seleção de textos: Manoel Barros Mott: tradução de Inês Autran Dourado. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. p. 264-298. (Coleção Ditos e Escritos, III).

LEONTIEV, A. N. Actividad y conciencia. In: LEONTIEV, A. N. Actividad, conciencia y personalidad. Buenos Aires: Ediciones Ciencias Del Hombre, 1978.

LEONTIEV, A. N. O desenvolvimento do psiquismo. 2. ed. São Paulo: Centauro, 2004.

LEONTIEV, A. N. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VIGOSTKII, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 10. ed. Tradução de Maria Penha Villalobos. São Paulo: Ícone: Universidade de São Paulo, 2006. p. 59-83.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

MARINO FILHO, A. A atividade de estudo no ensino fundamental: necessidade e motivação. 2011. 237 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Filosofia e Ciência, Unesp, Marília, 2011.

MILLER, S. Sem reflexão não há solução: o desenvolvimento do aluno como autor autônomo de textos escritos. In: MORTATTI, M. do R. Atuação de professores: propostas para ação reflexiva no ensino fundamental. Araraquara, SP: JM Editora, 2003. p. 9-22.

ORLANDI, E. P. Discurso e leitura. São Paulo: Cortez; Campinas, SP: Editora da Universidade de Campinas, 2000.

SILVA, O. S. F. Entre o plágio e a autoria: qual o papel da universidade? Rev. Bras. Educ. [online]. Rio de Janeiro, v. 13, n. 38, p. 357-368, maio/ago. 2008. ISSN 1413-2478. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782008000200012. Acesso em: 12 out. 2013.

TFOUNI, L.V. Múltiplas faces da autoria. Ijuí: Ed. Unijuí, 2008.

Publicado
2016-09-12
Como Citar
da Silva Clarindo, C. B., & Miller, S. (2016). Atividade de estudo: ferramenta para a constituição do autor nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Educação, 39(2), 261-270. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2016.2.22790
Seção
Artigos