Acolhimento no estágio supervisionado: entre modelos e possibilidades para a formação docente

  • Flavia Medeiros Sarti Universidade de São Paulo
  • Simone Reis Palermo Machado de Araújo Universidade Estadual Paulista
Palavras-chave: Formadores de professores. Acolhimento no estágio. Práticas de acompanhamento. Estágio supervisionado. Formação de professores.

Resumo

Este artigo focaliza maneiras pelas quais professores em exercício recebem estagiários de prática de ensino em suas classes e como percebem sua atuação na formação dos mesmos. A partir de uma pesquisa pautada em princípios etnográficos, o texto propõe-se a caracterizar duas modalidades de acolhimento no estágio: 1) o acolhimento modelar baseado em uma relação de mestrança entre estagiário e professor supervisor, ancorando-se no primado da visibilidade característico do modelo pedagógico da modernidade (CARVALHO, 2000); e 2) o acolhimento formativo, centrado nos processos de aprendizagem profissional docente vividos pelos estagiários e estruturado sob o primado da invisibilidade, característico da contemporaneidade (BUENO e SOUZA, 2012). As atividades e disposições requeridas dos professores supervisores de estágio nessa segunda modalidade de acolhimento foram percebidas pelos mesmos como sendo significativamente autoformativas e apontam para a emergência de uma lógica de acompanhamento na formação docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flavia Medeiros Sarti, Universidade de São Paulo
Professora doutora do Departamento de Educação da Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus Rio Claro, onde desenvolve atividades ligadas à Licenciatura, à formação continuada de professores em exercício, bem como ao Programa de Pós-Graduação em Educação.
Simone Reis Palermo Machado de Araújo, Universidade Estadual Paulista
Mestre em Educação- Linha de pesquisa Formação de professores- Professora da Educação Básica do ensino Fundamental I

Referências

ALARCÃO, I. ‘Do olhar supervisor ao olhar sobre a supervisão’. In: RANGEL, Mary (org.). Supervisão pedagógica: princípios e práticas. 2. ed. Campinas: Papirus, 2001. p. 11-56.

ALTET, M. Análise das práticas dos professores e das situações pedagógicas. Porto: Porto Editora, 2000.

ALTET, M. Des tensions entre professionnalisation et universitarisation en formation d´enseignants à leurs articulation: curriculum et transations nécessaires. In: ETIENNE et al. (org.). L´université peut-elle vraiment former les enseignants? Bruxelas: De Boeck, 2009.

ALVES-MAZZOTTI, A.; GEWANDSZNADJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira, 1998. 203 p.

ANDRÉ, M. E. D. A. de. Etnografia da prática escolar. 12. ed. Campinas (SP): Papirus, 2005.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BENITES, L. C. O professor-colaborador no estágio curricular supervisionado em Educação Física: perfil, papel e potencialidades. 2012. 180 fl. Tese (Doutorado) – Unesp, Rio Claro.

BENITES, L.; CYRINO, M.; SOUZA NETO, S. Estágio curricular supervisionado: a formação do professor-colaborador. [email protected], Guarulhos, v. 1, n. 1, p. 116-140, maio 2013.

BORGES, C. A formação docente em Educação Física em Quebec: saberes espaços, culturas e agentes. In: XIV ENDIPE, Trajetória e processos de ensinar e aprender: práticas e didáticas. Porto Alegre: EDIPUCRS. 2008. Vol. 2, p. 147-174.

BUENO, B.; SOUZA, D. Pedagogia contemporânea e formação de professores em serviço: lógicas e dispositivos de um modelo em expansão. In: BITTAR, M. Formação de professores. São Paulo: Edufscar, 2012.

BUTLEN, M. O desafio da participação dos profissionais da escola na formação dos professores: uma análise sobre a experiência francesa de universitarização e profissionalização docente, 2014 (texto ainda não publicado).

CARVALHO, M. M. C. de. Modernidade pedagógica e modelos de formação docente. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 14, n. 1, jan./mar. 2000.

CYRINO, M. Formação inicial de professores: o compromisso do professor-colaborador e da instituição escolar no processo de estágio supervisionado. 2012, 233 f. Dissertação (Mestrado) – Unesp, Rio Claro.

ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO. XV ENDIPE (15., 2010, Belo Horizonte, MG). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente: políticas e práticas educacionais [recurso eletrônico]/15. Endipe . Belo Horizonte, 2010. [CD-ROM]. Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino. XVI

ENDIPE (16., 2012, Campinas, SP). Didática e práticas de ensino: compromisso coma escola pública, laica, gratuita e de qualidade [recurso eletrônico]/16. ENDIPE Campinas: UNICAMP, 2012. [CD-ROM.].

GALINDO, M.; DOS SANTOS ABIB, M. ESCOLA, Universidade e estágio supervisionado: sentidos atribuídos pelos professores das escolas básicas. XVI ENDIPE (16., 2012, Campinas, SP). Didática e práticas de ensino: Compromisso coma escola pública, Laica, gratuita e de qualidade [recurso eletrônico]/16. ENDIPE. Campinas: UNICAMP, 2012. [CD-ROM].

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara, 1989.

DE OLIVEIRA, R. M. M. A. Formação de professores na modalidade a distância: indicações a partir de uma experiência de estágio supervisionado. In: XVI ENDIPE (16., 2012, Campinas, SP). Didática e práticas de ensino: compromisso com a escola pública, laica, gratuita e de qualidade [recurso eletrônico]/16. ENDIPE. Campinas: UNICAMP, 2012. [CD-ROM.].

FELDKERCHER, N.; C. S. M. G. M. O estágio na formação de professores: perspectivas dos estagiários dos cursos de matemática presencial e a distância. In: XVI ENDIPE (16., 2012, Campinas, SP). Didática e práticas de ensino: compromisso com a escola pública, laica, gratuita e de qualidade [recurso eletrônico]/16. ENDIPE. Campinas: UNICAMP, 2012. [CD-ROM].

NÓVOA, A. Para uma formação de professores construída dentro da profissão. Professores: imagens do futuro presente. 1. ed. Educa: Lisboa, 2009, cap.295

PIMENTA, S.; LIMA, M. Estágio e docência. Cortez: São Paulo, 2010.

RIBEIRO, F.; MOURA, M. A reflexão no processo formativo em prática de ensino e no estágio: contribuições da teoria da atividade. In: III Congresso Internacional sobre Prodesorado Principiante e Inserción Profesional a la Docencia. 2012.

ROCKWELL, E. La experiencia etnográfica: historia y cultura en los procesos educativos. Buenos Aires: Paidós, 2009.

ROQUET, P. L´emergence de l´accompagnement. Une nouvelle dimension de la formation. Recherche et Formation, n. 62, p. 13-24, 2009.

RUGIU, A. S. Nostalgia do mestre artesão. Caminas: Autores Associados, 1998.

SARMENTO, M. J. O estudo de caso etnográfico em educação in ZAGO, N. et al. (orgs.). Itinerários de pesquisa: perspectivas qualitativas em sociologia da educação. Rio de Janeiro, OP&A Editora, 2003. p. 137-117.

SARTI, F. M. Mestres-de-ensino: um estudo etnográfico sobre a dimensão ética do ofício de formar professores. 2000. 190f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

SARTI, F. M. Parceria intergeracional e formação docente. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 25, n. 2, p. 133-152, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-46982009000200006

SARTI, F. M. Pelos caminhos da universitarização: reflexões a partir da masterização dos IUFM franceses. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 29, n. 4, p. 215-244, 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-46982013000400010

SARTI, F. M. Relações intergeracionais e alternância na formação docente: considerações a partir de uma proposta de estágio supervisionado. Cadernos de Educação UFPel, Pelotas, v. 46, p. 83-99, 2014.

SARTI, F. M. et al. De mestres de ensino a formadores de campo no estágio supervisionado. Cadernos de Pesquisa, v. 45, n. 155, p. 100-117, 2015. http://dx.doi.org/10.1590/198053142928

SOREL, M. Préambule. In: SOREL, M.; WITTORSKI, R. (orgs.). La professionnalisation en actes et en questions. Paris: L’Harmattan, 2005. p.7-10.

SOUZA NETO, BENITES. L. Os desafios da prática na formação inicial docente: experiência da Educação Física da UNESP de Rio Claro. Cadernos de Educação, Pelotas, p. 02-22, set./dez. 2013.

TARDIF, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Disponível em: eleduc.unisa.br/~teleduc/cursos/diretorio/apoio_5427_368/TARDIF_Saberes_profissionais_dos_professores.pdf>. Acesso em: 02 jul. 2014.

TURA, M. L. R. A observação do cotidiano escolar. In: ZAGO, N.; CARVALHO, M. P.; VILELA, R. A. T. (org.). Itinerários de pesquisa: perspectivas qualitativas em Sociologia da Educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003, p. 183-206.

VIAL, M.; CAPARROS-MENCACCI, N. L´accompagnement professionnnel? Méthode à l´usage des praticiens exerçant une fonction educative. Bruxelas: De Boeck, 2007.

ZAGO, N. (org.). Itinerários de pesquisa: perspectivas qualitativas em Sociologia da Educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

Publicado
2016-09-06
Como Citar
Sarti, F. M., & Araújo, S. R. P. M. de. (2016). Acolhimento no estágio supervisionado: entre modelos e possibilidades para a formação docente. Educação, 39(2), 175-184. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2016.2.19415
Seção
Artigos