Escrever, incorporar, inscrever-se: práticas de criação de si na formação teatral

  • Celina Nunes de Alcântara Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Gilberto Icle Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Formação. Teatro. Escrita. Práticas de si. Michel Foucault.

Resumo

Este texto apresenta uma discussão sobre o estatuto e a importância da escrita na formação teatral, considerando o ambiente universitário da formação em teatro. Para tanto, discorre sobre as práticas corporais, aludindo aos conceitos de criação, ficção, criação de si e escrita de si na tentativa de aduzir a uma noção de escrita para além do mero registro instrumental das práticas artísticas. O texto propõe a escrita como instrumento de formação do sujeito, enfatizando as práticas de si como elementos por intermédio dos quais a atividade artística transbordaria para a vida. Problematiza-se, portanto, a escrita inserida no processo de criação como modo de tornar-se sujeito de uma determinada ética.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celina Nunes de Alcântara, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Possui graduação em Artes Cênicas (1991), mestrado em Educação (2004) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013). Atualmente é professora adjunta no Departamento de Arte Dramática da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Artes (Teatro e Dança), com ênfase em Pedagogia Teatral e Pedagogia do Ator, atuando principalmente nos seguintes temas: teatro, educação, voz, trabalho do ator, pedagogia teatral, discurso. Possui produção artística como atriz e é membro do GETEPE-Grupo de estudos em educação, teatro e performance, no qual atua na UTA-Usina do Trabalho do Ator, grupo de criação e investigação teatral. É editora associada da Revista Brasileira de Estudos da Presença.
Gilberto Icle, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Possui graduação em Artes Cênicas (1992), mestrado em Educação (2000) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004). Atualmente é professor adjunto no Departamento de Ensino e Currículo e no Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi criador e editor da Revista da Fundarte. Foi criador e coordenador dos cursos de graduação em Artes (teatro, dança, música, artes visuais) da UERGS/FUNDARTE. É editor associado da Revista Educação & Realidade.Tem experiência na área de Artes (Teatro e Dança), com ênfase em Pedagogia Teatral e Pedagogia do Ator, atuando principalmente nos seguintes temas: teatro, educação, trabalho do ator, pedagogia teatral, discurso, antropologia, performance. Possui artigos e livros publicados sobre teatro e educação e produção artística como ator e ditretor de teatro. É coordenador do GETEPE-Grupo de estudos em educação, teatro e performance, no qual dirige e atua a UTA-Usina do Trabalho do Ator, grupo de criação e investigação teatral. É editor-chefe da Revista Brasileira de Estudos da Presença.

Referências

BARBA, Eugenio. La canoa di carta. Bologna: Il Mulino,

CHAUÍ, Marilena. Experiência do pensamento/Ensaios sobre a obra de Merelau-Ponty. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

FOUCAULT, Michel. Ética, sexualidade e política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. (Ditos e escritos V).

FOUCAULT, Michel. A Cena da Filosofia. In: FOUCAULT, Michel. Arte, Epistemologia, Filosofia e Historia da Medicina. Rio de Janeiro:

Forense Universitária, 2011, p. 222-247. (Ditos e Escritos VII).

HERMANN, Nadja. Autocriação e horizonte comum: ensaios sobre educação ético-estética. Ijuí: Editora Unijuí, 2010.

KASTRUP, Virginia. A invenção de si e do mundo: uma introdução do tempo e do coletivo no estudo da cognição. São Paulo: Papirus,

MUCHAIL, Salma T. Cuidado de si e coragem da verdade (Prefácio). In: GROS, Frederic (Org.). Foucault: a coragem da verdade. São Paulo: Parábola, 2004. p. 7-10.

ORTEGA, Francisco. Para uma política da amizade: Arendt, Derrida, Foucault. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2000.

PASSERON, René. Da estética à poiética. Porto Arte – Revista do Mestrado em Artes Visuais. Porto Alegre, UFRGS, v. 8, n. 15, p. 103-116, nov. 1997.

PHELAN, Peggy. Unmarked: the politics of performance. London/New York: Routledge, 1993.

PEZIN, Patrick. Le livre des exercices à l’usage des acteurs. Paris: Entretemps, 2012.

SAER, Juan José. O conceito de ficção. Sopro. Panfleto político-cultural. Desterro, ago. 2009. Disponível em: http://www.culturaebarbarie.org/sopro/n15.pdf - Acesso em: 15 out. 2012.

VALÉRY, Paul. Variedades. São Paulo: Iluminuras, 2007.

Publicado
2014-12-16
Como Citar
Alcântara, C. N. de, & Icle, G. (2014). Escrever, incorporar, inscrever-se: práticas de criação de si na formação teatral. Educação, 37(3), 463-470. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2014.3.16600