Práticas de alfabetização com o método Yo, sí puedo em assentamento do MST

  • Maria do Socorro Alencar Nunes Macedo Universidade Federal de São João del-Rei
  • Ageu Mazilhão Filho Rede pública de ensino da Prefeitura Municipal de São João del-Rei
Palavras-chave: MST. Alfabetização. Método Sim eu posso. Letramento. Etnografia.

Resumo

 

Este texto visa apresentar uma análise acerca do uso do método Yo, sí puedo de alfabetização num assentamento do MST. Os dados são analisados com base nos novos estudos sobre letramento que vêm contribuir para uma ressignificação do conceito de alfabetização. A metodologia é de natureza etnográfica, inspirada nos novos estudos sobre letramento. Ao tratarmos do "Sim, eu posso", com foco na atuação do monitor da turma, concluímos que a sua mediação aponta uma prática de alfabetização a partir do que os novos estudos sobre letramento indicam sobre a escrita. Letramento como prática social, apesar de não contemplado no material do Sim Eu Posso, pôde concretizar-se no fato de os alunos perceberem a escrita como objeto social e cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Nunes Macedo, M. do S. A., & Filho, A. M. (2013). Práticas de alfabetização com o método Yo, sí puedo em assentamento do MST. Educação, 36(3), 352-362. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/15535
Seção
Outros Temas