Por uma história da educação vista por sujeitos simples: cultura e práticas da escola primária no sul sergipano (1930-1960)

  • Raylane Andreza Dias Navarro Barreto Universidade Tiradentes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Ilka Miglio de Mesquita Universidade Tiradentes, Universidade Estadual de Campinas
  • Laisa Dias Santos Universidade Tiradentes
Palavras-chave: História. Escola primária. Memória. Sul sergipano.

Resumo

Por meio da abertura proporcionada pela História Cultural, para a qual novos objetos e fontes são contemplados, o presente trabalho se estrutura através das narrativas de trajetória escolar primária de dezessete personagens com faixa etária entre 68 e 96 anos de idade, residentes no território sul sergipano. O objetivo foi compreender a história da instituição primária sul sergipana, no período de 1930 a 1961, pelas memórias de quem estudou e/ou foi professor. Para tanto, recorreu-se à metodologia da História Oral, segundo Alberti (2010), e elegeuse como categorias de análise ‘cultura escolar’, de Dominique Julia (2001), e ‘práticas escolares’, de Faria Filho e Vidal (2004). Dessa forma, concluiu-se que a história da escola primária do sul sergipano, com suas similitudes e divergências, pode e deve também ser interpretada pela lembranças, vozes e representações do sujeito simples, neste caso, professores aposentados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raylane Andreza Dias Navarro Barreto, Universidade Tiradentes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Professora de História da Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Tiradentes (Aracaju/SE). Lider do grupo de pesquisa Sociedade, Educação, História e Memória.
Ilka Miglio de Mesquita, Universidade Tiradentes, Universidade Estadual de Campinas
Doutora em Educação pelo Grupo Memória da Universidade de Campinas (Unicamp); membro do Grupo de Pesquisa Historiar do GEPHE-FAE-UFMG; Professora do Programa de Pós graduação em Educação – Unit.
Laisa Dias Santos, Universidade Tiradentes
Graduanda em Serviço Social, aluna de Iniciação Científica/ Programa de Bolsa de Iniciação Científica-PROBIC e membro do Grupo de Pesquisa Sociedade, Educação, História e Memória- GPSEHM.

Referências

ALBERTI, Verena. Ouvir contar: textos em história oral. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

ALMEIDA, Maria Zeneide Carneiro Magalhães de. Memória, narrativa e fontes: o corpus da pesquisa em História Oral e Cultural. In: Encontro Nacional de História Oral, 10., 2010, Recife. Testemunhos, história e política. Recife. 2010, p. 01-11. Disponível em: http://www.encontro2010.historiaoral.org.br/. Acessado em 13 de fevereiro de 2014

ASSIS, Antônio Xavier de. Relatório apresentado à Diretoria de Instrução Pública. Departamento de Educação do estado de Sergipe. Aracaju, 18 de janeiro. 1919.

ANDRADE, Helvécio de. Instrução pública: necessidade de uma regulamentação definitiva dos ensinos primário e normal. Sergipe Jornal. Aracaju, 28 de junho. 1926.

AZEVEDO, Crislane Barbosa de. Rodrigues Dória, Carlos Silveira e a reforma de implantação dos grupos escolares em Sergipe. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 37, p. 134-150, mar. 2010.

BENCOSTTA, Marcus Levy Albino. Grupos escolares no Brasil: um novo modelo de escola primária. In: STEPHANOU, Maria; BASTOS, Maria Helena Camara (Org.). Histórias e memórias da educação no Brasil: v. III – século XX. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005. p. 68-76.

BOSI, Ecléa. Lembrança e sociedade: memória dos velhos. 3. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de; VIDAL, Diana Gonçalves. Os tempos e os espaços escolares no processo de institucionalização da escola primária no Brasil. Revista Brasileira de Educação, n. 14, p. 19-34, maio/ago, 2000.

HORTA, José Silvério Baía. O hino, o sermão e a ordem do dia: regime autoritário e a educação no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ, 1994.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, n. 1, p. 9-44, 2001.

LE GOFF, Jacques. Enciclopedia Einaudi, v. 1, Memória – História. Edição portuguesa. Porto, PT: Imprensa Nacional. Casa da Moeda, 2003.

NACIONAL, Panorama da Educação. Discurso do presidente Getúlio Vargas e do ministro Gustavo Capanema. Rio de Janeiro, 1937.

NASCIMENTO, Jorge Carvalho do. A escola no espelho: São Paulo e a implantação dos grupos escolares no Estado de Sergipe. In: VIDAL, Diana Gonçalves (Org.). Grupos escolares: cultura escolar primária e escolarização no Brasil (1893-1971). Campinas: Mercado das Letras, 2006.

NASCIMENTO, Jorge Carvalho do. Notas para uma reflexão acerca da escola primária republicana em Sergipe (1889-1930). In: ARAÚJO, José Carlos Souza; SOUZA, Rosa de Fátima;

PINTO, Rubimar Nunes (Org.). Escola primária na primeira república (1889-1930): subsídios para uma história comparada. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2012.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História e história cultural. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

SANTOS, Laisa Dias; BARRETO, Raylane Andreza Dias Navarro; SILVA, Rony Rei do Nascimento. Dos castigos e da disciplina: práticas escolares no território sul sergipano. Interfaces científicas – educação, v. 1, n. 1, p. 77-87, 2012.

TRINDADE, Iole Maria Faviero. A invenção de uma nova ordem para as cartilhas: ser maternal, nacional e mestra. Queres ler? São Paulo: Bragança paulista: Editora Universitária São Francisco, 2004.

VALENÇA, Cristina de Almeida. Civilizar, regenerar e higienizar: a difusão da pedagogia moderna em Sergipe: a contribuição de Helvécio de Andrade (1913-1935). São Cristóvão: UFS, 2006.

Publicado
2015-11-10
Como Citar
Barreto, R. A. D. N., Mesquita, I. M. de, & Santos, L. D. (2015). Por uma história da educação vista por sujeitos simples: cultura e práticas da escola primária no sul sergipano (1930-1960). Educação, 38(2), 249-262. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2015.2.13275