Jornalistas expostos e vulneráveis: ataques digitais como modalidade de risco profissional

Palavras-chave: Riscos Digitais, Vigilância Comunicacional, Privacidade de Jornalistas

Resumo

O jornalismo é uma atividade de risco, que pode afetar a integridade física, a saúde mental e a convivência social dos seus. Nos últimos anos, acompanhamos a emergência e consolidação de outros perigos relacionados ao ecossistema digital que rondam as redações, comprometem a liberdade comunicacional e a segurança de organizações e jornalistas. Para discutir isso, analisamos 80 relatórios que registram formas de cerceamento, violações a jornalistas e ataques à liberdade de imprensa de nove organizações não-governamentais. O período de análise (2001-2016) demonstra a pouca visibilidade desses riscos e a insuficiência no enfrentamento do problema. O corpus monitora sobretudo agressões físicas, mortes e perseguições, mas é necessário também observar o avanço de casos de invasão de privacidade, vigilância, ameaças e outras violações dos direitos digitais dos jornalistas. Este artigo define risco digital tendo como foco ataques digitais que afetam jornalistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Christofoletti, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Departamento de Jornalismo, Florianópolis, Santa Catarina
Jornalista, mestre em Linguística e doutor em Ciências da Comunicação. Pesquisador do CNPq (PQ2). Líder do Observatório da Ética Jornalística (objETHOS). Lattes: http://lattes.cnpq.br/2764537115351567
Ricardo José Torres, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Programa de Pós-Graduação em Jornalismo, Florianópolis, Santa Catarina
Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (POSJOR/UFSC). Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/2280827424163795

Referências

ARTÍCULO 19. Guía de Seguridad digital y de la información para periodistas, 2013. Disponível em: <http://coberturaderiesgo.articulo19.org/wp-content/uploads/2013/07/guia_seguridad_digital.pdf>

BAUMAN, Zygmunt. Vigilância Líquida: Diálogos com David Lyon. Rio Janeiro: Zahar, 2014.

BAUMAN, Zygmunt at al. Após Snowden: Repensando o Impacto da Vigilância. Revista ECO PÓS. v. 18, n. 3, Rio de Janeiro. p. 8-35. 2015. Disponível em: https://goo.gl/TTkVUA. Acesso em: 12 mar. 2018.

BELL, Emily. OWEN, Taylor (org.). Journalism After Snowden: The Future of Free Press in the Surveillance State. New York: Columbia University Press, 2017.

BRADSHAW, P. Chiling Effect: Regional journalists’ source protection and information security. Digital Journalism, 2016.

BREVINI, B.; HINTZ, A.; MCCURDY, P. Beyond WikiLeaks: implications for the future of communications, journalism and society. New York: Palgrave Macmillan, 2013.

BÜCHI, M.; JUST, N.; LATZER, M. Caring is not enough: the importance of Internet skills for online privacy protection. Information, Communication and Society, 2016.

CARLO, S.; KAMPHUIS, A. Information Security for Journalists. The Centre for Investigative Journalism: London, 2014.

CHRISTOFOLETTI, R.; TORRES, R. J. . Orientações e inflexões sobre privacidade em manuais internacionais de ética jornalística. In: COSTA, Cristina. (Org.). Privacidade, Sigilo e Compartilhamento. 1ed.São Paulo: ECA/USP, 2017, v. 1, p. 104-111.

CHRISTOFOLETTI, Rogério. Privacidade como dimensão problemática da alteridade: análise de dez dicionários de jornalismo. Brazilian Journalism Research, Vol. 13, nº 2, agosto de 2017, pp. 96-119.

CHRISTOFOLETTI, Rogério. Privacidade: o que podemos esperar quando não podemos mais esperar? IN: CHRISTOFOLETTI, Rogério (org.) Questões para um jornalismo em crise. Florianópolis: Insular, 2015, pp. 233-248.

COMMITTEE FOR JOURNALIST PROTECTION. Seguridad de la información. Manual de Seguridad para Periodistas, 2012. Disponível em: <https://www.cpj.org/es/2012/04/seguridad-de-la-informacin.php>

DAGAN, M. Online privacy for journalists: a must-have guide for journalism in 2017. Disponível em: <https://www.vpnmentor.com/journalist-privacy-guide.pdf>

DÍAZ, M. Agressiones a periodistas: periodismo, libertad de expresión y seguridad digital. Disponível em: <https://www.derechosdigitales.org/11196/periodismo-libertad-de-expresion-y-seguridad-digital/> Acesso em 16 de novembro de 2017.

FERNANDEZ, N.; MANCINI, P. CryptoPeriodismo. Manual Ilustrado Para Periodistas. Disponível em <http://cryptoperiodismo.org>

FUNDACIÓN PARA LA LIBERTAD DE PRENSA. Manual Antiespías: herramientas para la protección digital de periodistas. 2015.

GOLDFARB, R. (ed.). After Snowden: privacy, secrecy, and security in the information age. New York: St. Martin’s Press, 2015.

GREENBERG, A. This machine kills secrets. Virgin Books, 2012.

GREENWALD, G. Sem lugar para se esconder. Rio de Janeiro: Sextante, 2014.

GUARDIAN NEWS AND MEDIA; INFORMATION LAW AND POLICY CENTRE. Protecting sources and whistleblowers in a digital era. London, 2017. Disponível em: <https://clip.blogs.sas.ac.uk/files/2017/02/Sources-Report_webversion_22_2_17.pdf>

HARDING, L. Os arquivos Snowden. Rio de Janeiro: Leya, 2014.

INTERNATIONAL CENTER FOR JOURNALISTS. The State of Technology in Global Newsrooms. 2017. Disponível em: http://www.icfj.org/sites/default/files/ICFJTechSurveyFINAL.pdf

JENKINS, Henry; FORD, Sam; GREEN, Joshua. Cultura da Conexão: Criando valor e significado por meio da mídia propagável. São Paulo, Aleph, 2014.

LYON, David. Surveillance Culture: Engagement, Exposure, and Ethics in Digital Modernity. International Journal of Communication, Vol. 11, 2017, pp. 824-842. Disponível em: https://goo.gl/ARwPTG.

MARTINS, Paulo. O público em privado: direito à informação e direitos de personalidade. Coimbra: Almedina, 2013.

MARX. Gary T. Windows into the Soul: Surveillance and Society in an Age of High Technology. Chicago: Chicago Press, 2016.

MCSTAY, Andrew. Privacy and the media. Los Angeles/London: Sage, 2017.

MOORE, A.A. (ed.) Privacy, Security and accountability: ethics, law and policy. London-New York: Rowman & Littlefield, 2016.

NISSENBAUM, Helen. Privacy in context: technology, policy and integrity of social life. Stanford: Stanford Law Book, 2010.

PAVLIK, John V. Ubiquidade: O 7.º princípio do jornalismo na era digital. IN: CANAVILHAS, João (org.) Webjornalismo: 7 caraterísticas que marcam a diferença. Covilhã: LabCom, 2014, pp. 159-184.

PEÑA OCHOA, P. ¿Cómo funciona Internet? Nodos críticos desde una perspectiva de los derechos. Guía para periodistas. Santiago de Chile: ONG Derechos Digitales, 2013. Disponível em < https://www.derechosdigitales.org/wp-content/uploads/Comofunciona-internet-ebook.pdf >

RAMOS, J.G. Journalist Security in the Digital World: a Survey. Are We using the right tools? Center for International Media Assistance, 2016. Disponível em: https://www.cima.ned.org/resource/journalist-security-in-the-digital-world/

REPÓRTERES SEM FRONTEIRAS. Censura e vigilância de jornalistas: um negócio sem escrúpulos, 2017. Disponível em <https://rsf.org/sites/default/files/rapport_cs_pt_v2-2.pdf>

RICHARDS, Neil M. Four privacy miths. IN: SARAT, A. A world without privacy: what law can and should do? NY: Cambridge University Press, 2015

RUBY, F.; GOGGIN, G.; KEANE, J. Comparative Silence still? Journalism, academia, and the Five Eyes of Edward Snowden (2016). Digital Journalism.

SALAVERRÍA, Ramón. Multimedialidade: Informar para cinco sentidos. IN: CANAVILHAS, João (org.) Webjornalismo: 7 caraterísticas que marcam a diferença. Covilhã: LabCom, 2014, pp. 25-52.

SIERRA, J. L. Manual de seguridad digital y móvil para periodistas y blogueros. International Center For Journalists & Freedom House, 2013. Disponível em <https://freedomhouse.org/sites/default/files/Manual%20de%20seguridad%20web%20Imprenta%20Final.pdf>

TAYLOR, L.; FLORIDI, L.; SLOOT, B. (eds.) Group Privacy: new challenges of data technology. Oxford: Springer, 2017.

WASSERMAN, E. Safeguarding the News in the Era of Disruptive Sources. Journal of Media Ethics, 2017, vol. 32, nº 2, p.72-85.

Publicado
2018-08-23
Como Citar
Christofoletti, R., & Torres, R. J. (2018). Jornalistas expostos e vulneráveis: ataques digitais como modalidade de risco profissional. Revista FAMECOS, 25(3), ID29210. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2018.3.29210
Seção
Jornalismo