Inovações estilísticas na telenovela: a situação em Avenida Brasil

  • Renato Luiz Pucci Junior Professor do Mestrado em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi.
Palavras-chave: Televisão brasileira, Telenovela, Cognitivismo

Resumo

Exame da telenovela Avenida Brasil (Globo, 2012), por meio da metodologia da análise audiovisual, com o objetivo de detectar inovações estilísticas. Com base no conceito de schemata, utilizado por pesquisadores de linha cognitivista, como Patrick C. Hogan e David Bordwell, procura-se indicar que um processo de revisão de paradigma ocorre na ficção televisiva brasileira, no sentido da renovação de características estilísticas consagradas pelo sucesso de décadas de produção. A análise parte da ideia, sustentada por Edgar Morin, de que a cultura de massa se caracteriza também por uma dinâmica de conservação e inovação. No período atual, algumas telenovelas brasileiras, de que Avenida Brasil é provavelmente o melhor exemplo, absorvem schemata audiovisuais testados no cinema e em outras mídias, reconfigurando-os segundo suas próprias necessidades narrativas e comunicacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Luiz Pucci Junior, Professor do Mestrado em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi.

Doutor em Ciências da Comunicação pela USP-ECA, professor do Mestrado em Comunicação, da Universidade Anhembi Morumbi, autor de O Equilíbrio das Estrelas: Filosofia e Imagens no Cinema de Walter Hugo Khouri (Annablume, 2001) e de Cinema Brasileiro Pós-moderno (Sulina, 2008), além de artigos sobre cinema e televisão em periódicos como Contracampo, Fronteiras e E-Compós. Bolsista de produtividade do CNPq-PQ2.

Referências

BELLOUR, Raymond. L’analyse du film. Paris: Albatroz, 1979.

BORDWELL, David. Narration in the fiction film. Madison: University of Wisconsin Press, 1985.

_____. On the history of film style. Cambridge e Londres: Harvard University Press, 1997.

FREIRE FILHO, João. O debate sobre a qualidade da televisão no Brasil: da trama dos discursos à tessitura das práticas. In: BORGES, G.; REIA-BAPTISTA, V. (Org.). Discursos e práticas de qualidade na televisão. Lisboa: Livros Horizonte, 2008. p. 78-99.

GOMBRICH, Ernst H. Arte e ilusão: um estudo da psicologia da representação pictórica. São Paulo: Martins Fontes, 1986 [1959].

HOGAN, Patrick Colm. Cognitive science, literature, and the arts: a guide for humanists. [S.l.]: Kindle Ed., [S.d.]. (Edição original: Nova York e Londres: Routledge, 2003).

MACHADO, Arlindo. A arte do vídeo. São Paulo: Brasiliense, 1995.

_____, VÉLEZ, Marta L. Questões metodológicas relacionadas com a análise de televisão. E-Compós, v. 8, abr. 2007. Disponível em: http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/view/123/124 - Acesso em: 12 fev. 2013.

MORIN, Edgar. Cultura de massas no Século XX. 9. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1997. Vol. 1: Neurose.

PUCCI JUNIOR., Renato Luiz et al. Avenida Brasil: o lugar da transmidiação entre as estratégias narrativas da telenovela brasileira. In: LOPES, Maria Immacolata V. de (Org.). Estratégias de transmidiação na ficção televisiva brasileira. Porto Alegre: Sulina, 2013. p. 95-131.

SADEK, José Roberto. Telenovela: um olhar do cinema. São Paulo: Summus, 2008.

THOMPSON, Kristin. Storytelling in film and television. Cambridge e Londres: Harvard University Press, 2003.

Publicado
2014-09-12
Como Citar
Pucci Junior, R. L. (2014). Inovações estilísticas na telenovela: a situação em Avenida Brasil. Revista FAMECOS, 21(2), 675-697. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2014.2.16648
Seção
Narrativa Ficcional