Erigir novos corpos, reinventar personas: o ator moderno do cinema brasileiro

  • Pedro Maciel Guimarães Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Ator de cinema, História do Cinema, Cinema Brasileiro

Resumo

Assim como no cinema mundial, o cinema brasileiro chegou à modernidade no final dos anos 1950, início dos anos 1960, quando o Cinema Novo abalou as estruturas tradicionais da produção e da estética dos filmes, no Brasil. Novas estruturas narrativas e novas formas estéticas foram experimentadas pelos cineastas. A mudança atingiu também a maneira de se filmar os corpos dos atores, de fazê-los interagir entre si e com os diretores. Surgem novas formas de interpretação. Os centros teatrais tradicionais do país já não bastam para fornecer ao cinema seus intérpretes. A persona de antigos atores é recuperada e trabalhada pelos novos filmes. A televisão influencia o cinema, é influenciada por ele e surgem novos parâmetros para o star system.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Maciel Guimarães, Universidade de São Paulo
Pedro Maciel Guimarães é mestre e doutor em Cinema e Audiovisual pela Sorbonne Nouvelle (Paris 3). Atualmente é pós-doutorando do programa de pós-graduação em Meios e Processos Audiovisuais da Eca-USP com trabalho sobre atores de cinema, financiado pela Fapesp.

Referências

AUMONT, Jacques. Moderne? Paris: Cahiers du Cinéma, 2007.

BAX, Dominique (Org.). Glauber Rocha, Anthologi du Cinéma Brésilien des années 60 aux années 80, Nelson Rodrigues. Bobigny: Collection Magic Cinéma, 2005.

BAZIN, André. Comment peut-on être hitchcocko-hawksien. Cahiers du Cinéma, n. 44, p. 17-18, fev. 1955.

BERGALA, Alain. Monika. Paris: Yellow Now, 2005.

______. Godard au travail. Paris: Cahiers du Cinéma/Ed. de l’Étoile, 2006.

BERNARDINO, Vanderlei. O ator de teatro de arena no cinema novo. 2013. 94 f. Dissertação (Mestrado em Meios e Processos Audiovisuais) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

BRENEZ, Nicole. La Nuit Ouverte: Cassavetes, l’invention de l’acteur. In: Conférences du Collège d’Art Cinématographique, n. 3 – Le théâtre dans le cinéma. Paris: Cinémathèque Française, 1992-1993.

BLANCHOT, Maurice. O espaço literário. Trad. de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

______. L’espace littéraire. Paris: Gallimard, 2007.

DEL PICCHIA, Pedro. MURANO, Virginia. Entrevista a Glauber Rocha. In: Glauber, o Leão de Veneza. São Paulo: Escrita, [s/d.].

HAMBURGER, Esther. O Brasil antenado: a sociedade na novela, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

KHOURY, Simon (Org.). Atrás da Mascara I. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983.

PARANAGUA, Paulo Antonio. A La Recherche d’un Star-system. In: Le Cinéma Brésilien. Paris: Centre Pompidou, 1987. p. 198-211.

ROCHA, Glauber. Revisão crítica do cinema brasileiro. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

TRUFFAUT, François. Une Certaine Tendance du Cinéma Français. Cahiers du Cinéma, n. 31, p. 15-28, jan. 1954.

XAVIER, Ismail. O discurso cinematográfico. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

Publicado
2014-06-03
Como Citar
Maciel Guimarães, P. (2014). Erigir novos corpos, reinventar personas: o ator moderno do cinema brasileiro. Revista FAMECOS, 21(1), 287-307. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2014.1.14520
Seção
Cinema