Inclusão escolar de aluno com surdo-cegueira por síndrome de Usher

O trabalho em sala de recursos multifuncionais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15448/2179-8435.2022.1.43591

Palavras-chave:

educação escolar, surdocegueira, trabalho colaborativo

Resumo

O presente artigo trata da educação escolar de aluno com surdocegueira por síndrome de Usher. Tem como objetivo discutir as especificidades da surdocegueira e a relevância do atendimento educacional especializado. Utiliza como referencial teórico a abordagem Histórico-Cultural que entende que a pessoa com deficiência, para aprender e se desenvolver, precisa de mediação intencional, de recursos especiais e de caminhos alternativos; e busca em Paulo Freire fundamentos para discutir o diálogo e trabalho docente. Dessa forma, apresenta algumas estratégias utilizadas com um estudante surdocego, em um estudo de caso, matriculado na sala de recursos multifuncionais no Estado do Paraná. Conclui que para a inclusão escolar ocorra é fundamental que o estudante seja ouvido e que o ensino leve em consideração as suas potencialidades. A partir desse processo, são necessárias adaptações curriculares, uso de diferentes ferramentas e formas de comunicação que atendam as singularidades do estudante com surdocegueira. As aulas em sala de recursos multifuncionais e o trabalho colaborativo, envolvendo professores da classe do comum e do atendimento educacional especializado, podem trazer grandes avanços para a inclusão escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francieli Giza, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Francisco Beltrão, PR, Brasil.

Licenciada em Letras – Língua Portuguesa e Libras pelo Centro Universitário Fundação Assis Gurgacz (FAG), Toledo, PR, Brasil. Mestranda do Programa de Pós-graduação Sociedade, Cultura e Fronteiras da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), em Foz do Iguaçu, PR, Brasil. Professora da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), em Francisco Beltrão, PR, Brasil.

Andreia Nakamura Bondezan, Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), Campo Mourão, PR, Brasil.

Doutora em Educação, Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), em Maringá, PR, Brasil. Professora Associada da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), em Campo Mourão, PR, Brasil.

Denise Rosana da Silva Moraes, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Foz do Iguaçu, PR, Brasil.

Doutora em Educação e Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) em Maringá, PR, Brasil. Professora Sênior do Programa de Pós-Graduação Sociedade, Cultura e Fronteiras da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), em Foz do Iguaçu, PR, Brasil.

Referências

BATISTA, Adryana Kleyde Henrique Sales. Currículo funcional: atendimento aos estudantes com surdocegueira. 2019. 109 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2019.

BATISTA, Adryana Kleyde Henrique Sales. Currículo funcional no contexto da surdocegueira. 1. ed. Curitiba: Appris, 2021.

BONDEZAN, Andreia Nakamura. Educação inclusiva em região de fronteira: políticas e práticas. 2012. 261 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá. Maringá, 2012.

BRASIL. Lei n. 13.146, de 6 de jul. de 2015. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Brasília: Presiência da República, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso em: 24 abr. 2017.

CADER-NASCIMENTO, Fatima Ali Abdalah Abdel; COSTA, Maria da Piedade Resende da. Descobrindo a surdocegueira: comunicação e educação. São Carlos, SP: EdUFSCar, 2007.

CAMBRUZZI, Rita de Cássia Silveira. Recursos pedagógicos acessíveis ao aluno com surdocegueira por síndrome de Usher: um estudo de caso. 2013. 256 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de São Carlos. São Carlos (UFSCar), São Carlos, 2013.

CAMBRUZZI, Rita de Cássia Silveira; COSTA, Maria da Piedade Resende da. Surdocegueira por Síndrome de Usher: Recursos pedagógicos acessíveis. São Carlos: EdUFSCar, 2016a.

CAMBRUZZI, Rita de Cássia Silveira; COSTA, Maria da Piedade Resende da. Surdocegueira: níveis e formas de comunicação. São Carlos: EdUFSCar, 2016b.

FERREIRA, Bárbara Carvalho; MENDES, Enicéia Gonçalves; ALMEIDA, Maria Amélia; DEL PRETTE, Zilda Aparecida Pereira. Parceria colaborativa: descrição de uma experiência entre o ensino regular e especial. Revista do Centro de Educação/Cadernos, Santa Maria, n. 29, 2007. Disponível em: http://coralx.ufsm.br/revce/ceesp/2007/01/a1.htm. Acesso em: 20 set. 2021.

FIGUEIREDO, Marília Zannon de Andrade; CHIARI, Brasilia Maria; GOULART, Bárbara Niegia Garcia de. Comunicação em adultos surdocegos com síndrome de Usher: estudo observacional retrospectivo. CoDAS, [S. l.], v. 25, n. 4, p. 319-24, 2013.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. 36. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

FREIRE, Paulo. A escola. Revista Nova escola, n. 163, jun./jul. 2003.

GERALDI, J. W. Paulo Freire e Mikhail Bakhtin – o encontro que não houve. In: GERALDI, J. W.; CORTEZÃO, L. et al. (org.). Diálogos através de Paulo Freire. 3. ed. Porto, Portugal: Edição Instituto Paulo Freire de Portugal e Centro de Recursos Paulo Freire da FPCE, 2004. v.1, p. 37-52.

GÓES, Maria Cecília Rafael. Relações entre Desenvolvimento Humano, Deficiência e Educação: contribuições da abordagem Histórico-Cultural. In: OLIVEIRA. Marta Kohl de; REGO, Teresa Cristina.; SOUZA, Denise Trento Rebello (org.). Psicologia, Educação e as Temáticas da Vida Contemporânea. São Paulo: Moderna, 2002. p. 95-114.

KELLER, Helen. A história da minha vida. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 2008.

MAIA, Shirley Rodrigues. A Educação do Surdocego: Diretrizes básicas para pessoas não especializadas. 2004. 93 f. Dissertação (Mestrado em Distúrbio do Desenvolvimento) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2004.

MASINI, Elcie Fortes Salzano. Pesquisas sobre surdocegueira e deficiências sensoriais múltiplas. Constr. Psicopedag, São Paulo, v. 19, n. 18, p. 65-72, 2011. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-69542011000100007&lng=pt& nrmiso. Acesso em: 3 set. 2021.

MICHAELIS. Moderno dicionário da língua portuguesa. São Paulo: Melhoramentos, 1998.

ORLANDO, Evelyn de Almeida e MESQUIDA, Peri. Ressonâncias freireanas: duas experiências de conscientização de si e do outro(as) pela educação. In: ORLANDO, Evelyn de Almeida e MESQUIDA, Peri (org.). Paulo Freire: (re)leituras e práticas. Porto Alegre, RS: Editora Fi, p. 190-206, 2021.

QUADROS, Ronice Müller de. Libras. São Paulo: Parábola, 2019.

PARANÁ. Instrução nº 08/2016. Estabelece critérios para o Atendimento Educacional Especializado em Sala de Recursos Multifuncionais – Surdez, Ensino Fundamental, anos finais, e Ensino Médio, nas instituições da rede pública estadual de ensino. Curitiba/Paraná: Secretaria de Estado da Educação Superintendência da Educação, 2016.

SISSON, Daya. A educação inclusiva e a Ética da Libertação de Paulo Freire. Revista Brasileira de Bioética, [S. l.], n. 5, v. 1-4, p. 48-62. 2009. Disponível em: https://doi.org/10.26512/rbb.v5i1-4.815. Acesso em: 22 set. 2021.

THOMAS, J. Ensino Além da Visão: ferramentas e estratégias que auxiliam a inclusão do deficiente visual em sala de aula. Educação Por Escrito, Porto Alegre, v. 10, n. 2, p. e30304, 22 abr. 2020. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/porescrito/article/view/30304. Acesso em: 22 set. 2021.

VILELA, Elaine Gomes. Educação de surdocegos: perspectivas e memórias. Curitiba: Appris, 2020.

VILELA, Elaine Gomes; AZEVEDO, Adriana Barroso; RAMOS, Marcos Henrique Assunção. Surdocegueira e as possibilidades em meio a pandemia por COVID-19. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 5, n. 16, p. 1563-1576, 29 dez. 2020.

VYGOTSKY, Lev Semionovich. Obras escogidas – V: Fundamentos da defectología. Madrid: Visor, 1997.

Downloads

Publicado

2022-11-23

Como Citar

Giza, F., Bondezan, A. N., & Moraes, D. R. da S. (2022). Inclusão escolar de aluno com surdo-cegueira por síndrome de Usher: O trabalho em sala de recursos multifuncionais. Educação Por Escrito, 13(1), e43591. https://doi.org/10.15448/2179-8435.2022.1.43591