Práticas e ferramentas para o compartilhamento de conhecimento em Escolas de Cursos Livres

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15448/2179-8435.2022.1.42753

Palavras-chave:

Gestão do Conhecimento, Escolas de Cursos Livres, Compartilhamento do conhecimento

Resumo

Este artigo tem como objetivo propor práticas e ferramentas para o compartilhamento de conhecimento em Escolas de Cursos Livres. Metodologicamente, realizou-se um levantamento bibliográfico que propiciasse a contextualização desse propósito, sendo o manual de Gestão do Conhecimento da Organização Asiática de Produtividade (APO), em sua versão de 2020, a principal referência para as práticas e ferramentas de compartilhamento do conhecimento passíveis de uso em Cursos Livres. O artigo oferece uma abordagem sobre o tema, contribuindo dessa forma com a Gestão do Conhecimento em organizações desse tipo e semelhantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tiago Carvalho Sabatino, Universidade Cesumar (UNICESUMAR), Maringá, PR, Brasil.

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), em Maringá, PR, Brasil. Bolsista Capes Prosup. Mestrando em Gestão do Conhecimento nas Organizações pela Universidad 

Maria Ligia Ganacim Granado Rodrigues Elias, Universidade Cesumar (UNICESUMAR), Maringá, PR, Brasil.

Doutora em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP) em São Paulo, SP, Brasil; mestre em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, SC, Brasil; e graduada em Ciências Sociais pela UFSC. Pesquisadora do Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICETI); professora do Programa Pós-Graduação em Gestão do Conhecimento nas Organizações da Universidade Cesumar (UNICESUMAR), em Maringá, PR, Brasil. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação ICETI, em Maringá, PR, Brasil.

Cláudia Herrero Martins Menegassi, Universidade Cesumar (UNICESUMAR), Maringá, PR, Brasil.

Doutora em Administração pela Universidade Positivo; mestre em Administração pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), em Maringá, PR, Brasil; e graduações em Economia pela UEM, Administração pela Universidade Cesumar (UNICESUMAR), em Maringá, PR, Brasil e Processos Gerenciais pela mesma instituição. Pesquisadora do Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICETI); professora do Programa Pós-Graduação em Gestão do Conhecimento nas Organizações da Universidade Cesumar (UNICESUMAR), em Maringá, PR, Brasil.

Referências

ALARCON, D. F.; SPANHOL, F. J. Gestão do conhecimento na educação a distância: práticas para o sucesso. São Paulo: Pimenta Cultural, 2015. Disponível em: https://media.wix.com/ugd/143639_8be9e0cb9fd44dffaa347ba2fcd5af78.pdf. Acesso em: 4 jan. 2022.

AL-KURDI, O.; EL-HADDADEH, R.; ELDABI, T. Knowledge sharing in higher education institutions: a systematic review. Journal of Enterprise Information Management, [S. l.], v. 31, n. 2, p. 226-246, 2018.

APO – Asian Productivity Organization. Knowledge management: tools and techniques manual. Escrito por Ron Young. Tokio: APO, 2020. Disponível em: https://www.apo-tokyo.org/publications/wp-content/uploads/sites/5/KM-Tools-and-Texhniques-Manual.pdf. Acesso em: 10 jul. 2020.

ARRUDA, S. D. M.; PASSOS, M. M.; DIAS, M. P. Matriz 3X3: um instrumento para investigar as relações com o saber em sala de aula. Enseñanza de las ciencias: revista de investigación y experiencias didácticas, [S. l.], n. Extra, p. 2399-2404, 2017.

BONFANTE, S. C. M. Compartilhamento de conhecimento e formação de competências: um estudo em unidades do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – Senac. 2016. Dissertação (Mestrado em Gestão do Conhecimento nas Organizações) – Centro Universitário de Maringá, Maringá, 2016.

BRASIL. Decreto no 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2 do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5154.htm. Acesso em: 1 set. 2021.

BRASIL. Lei no 13.868, de 3 de setembro de 2019. Altera as Leis n. 4.024, de 20 de dezembro de 1961, e n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, para incluir disposições relativas às universidades comunitárias. Brasília, DF: Presidência da República, 2019. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/lei/L13868.htm. Acesso em: 1 set. 2021.

BRASIL. Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 1 set. 2021.

BUKOWITZ, W. R.; WILLIAMS, R. L. Manual de Gestão do Conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2002.

CAMILLO, E. DA S.; CASTRO FILHO, C. M. DE. A biblioteca pública na educação do adulto e o papel do bibliotecário: um diálogo de interações. Páginas a&b: arquivos e bibliotecas, [S. l.], v. 7, n. 7, p. 126-133, 2017.

CARVALHO, D. D. Cocriação de valor: conceitos e implicações vistos sob a ótica da educação a distância no Brasil. 2017. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

CHARLOT, B. Os fundamentos antropológicos de uma teoria da relação com o saber. Revista Internacional Educon, [S. l.], v. 2, n. 1, 2021.

CHU, K. W.; WANG, M.; YUEN, A. H. K. Implementing knowledge management in school environment: teachers’ perception. Knowledge Management and E-Learning, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 139-152, 2011.

DALKIR, K. Knowledge management in theory and practice. 2. ed. Burlington, MA: Elsevier, 2011.

DAVENPORT, Thomas H.; PRUSAK, L. Working knowledge: how organizations manage what they know. Boston, MA: Harvard Business School Press, 1998.

DIEHL, F. M. As relações entre as motivações intrínsecas e extrínsecas para o compartilhamento de conhecimento. 2016. Tese (Doutorado em Administração) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

DIXON, N. M. Common knowledge: how the companies thrive by sharing what they know. Boston, MA: Harvard Business School Press, 2000.

FACCIN, T. C. Tecnologias da informação e comunicação: ferramentas para práticas de Gestão do Conhecimento no ensino público da região da Amusep. 2017. Dissertação (Mestrado em Gestão do Conhecimento nas Organizações) – Centro Universitário de Maringá, Maringá, 2017.

FERNANDES, F. R. V. Estresse docente: a espiral do conhecimento como base para estratégias de enfrentamento em escolas públicas ofertantes de educação profissional na cidade de Foz do Iguaçu (PR). 2016. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2016.

FREITAS, C. R. Silêncio organizacional no contexto da gestão do conhecimento. 2017. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Potiguar, Natal, 2017.

GIUFFRA PALOMINO, C. E. Aplicação de um modelo adaptativo de tutores inteligentes para disseminação do conhecimento em ambientes virtuais de ensino-aprendizagem. 2017. Tese (Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

HUGO, F.; DIAZ, A.; MACKENZIE, U. P. Tecnologia e competências tecnológicas em educação a distância: um estudo exploratório. Pesquisa Integrada – Biblioteca Unisinos. Future Studies Research Journal, [S. l.], v. 9, n. 2, p. 140-166, 2017.

JAHANI, S.; RAMAYAH, T.; EFFENDI, A. A. Reward system and leadership role as key factors influencing knowledge sharing behavior among academicians in Iran: an empirical study. In: KNOWLEDGE MANAGEMENT 5TH INTERNATIONAL CONFERENCE, 5., 2010, Bucharest, Romania. Anais [...]. Bucharest, Romania: “Carol I” National Defense University, 2010. p. 509-514.

KHALIL, O. E. M.; SHEA, T. Knowledge sharing barriers and effectiveness at a higher education institution. International Journal of Knowledge Management, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 43-64, 2012.

LIN, H. F. Effects of extrinsic and intrinsic motivation on employee knowledge sharing intentions. Journal of Information Science, [S. l.], v. 33, n. 2, p. 135-149, 2007.

NÓBREGA, M. B.; ARAÚJO, R. L. F. Análise da viabilidade de University Coworking Space (UCS) com base na Teoria da Influência Social (TIS). Holos, [S. l.], n. 6, p. 1-15, 2020.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

NONAKA, I., TOYAMA, R. The knowledge-creating theory revisited: knowledge creation as a synthesizing process. Knowledge Management Research & Practice, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 2-10, 2003.

OLIVEIRA, E. T. et al. Odontologia e preceptoria: um olhar para a prática pedagógica dos preceptores de estágio. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, [S. l.], v. 31, p. 1-8, 2018.

OLIVEIRA, R. R.; SAUER, A. B. S. Compartilhamento de conhecimento em uma empresa familiar: um estudo à luz da investigação apreciativa. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 175-199, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/pgc/article/view/22915. Acesso em: 4 jan. 2022.

PICOLI, F. R.; TAKAHASHI, A. Capacidade de absorção, aprendizagem organizacional e mecanismos de integração social. Revista de Administração Contemporânea, [S. l.], v. 20, n. 1, p. 1-20, 2016.

PIRASOL, S. A gestão do conhecimento e a educação a distância: a questão da afetividade entre o tutor on-line e os estudantes. 2017. Dissertação (Mestrado em Gestão do Conhecimento nas Organizações) – Centro Universitário de Maringá, Maringá, 2017.

ROTHER, E. T. Revisão sistemática x revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem, [S. l.], v. 20, n. 2, p. v-vi, 2007.

SANTOS, A. S.; FIGUEIREDO, F. C. O método de casos para a Gestão do Conhecimento no Ministério Público: um manual técnico para a implementação da ferramenta. Educação por Escrito, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p. e33877, 2020.

SÃO PAULO (Estado). Deliberação CEE no 14/97. Fixa diretrizes para a educação profissional no sistema de ensino do Estado de São Paulo. São Paulo, SP: Conselho Estadual da Educação, 1997. Disponível em: http://siau.edunet.sp.gov.br/ItemLise/arquivos/notas/delcee14_97.htm. Acesso em: 1 set. 2021.

SEFERIN, A. M. L. Cosmologia e atividades investigativas no ensino médio: um estudo sobre efeitos dessa abordagem sobre a aprendizagem dos estudantes. 2016. Dissertação (Mestrado em Ensino na Educação Básica) – Universidade Federal do Espírito Santo, São Mateus, 2016.

SENA, S. Jogos digitais educativos: design propositions para GDDE. 2017. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

SOUZA, M. C. S. Gestão do conhecimento. Salvador: UFBA, Escola de Administração; Superintendência de Educação a Distância, 2020. E-book.Disponível em: https://repositorio.ufba.br/bitstream/ri/31905/1/ebook-gestao_do_conhecimento.pdf. Acesso em: 4 jan. 2022.

TAKEUCHI, H.; NONAKA, I. Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2008.

TONET, H. C.; PAZ, M. G. T. Um modelo para o compartilhamento de conhecimento no trabalho. Revista de Administração Contemporânea, [S. l.], v. 10, n. 2, p. 75-94, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rac/a/9TxQfBDscJR6Md9rHqKwKhh/?lang=pt. Acesso em: 4 jan. 2022.

VAN DEN HOOFF, B.; RIDDER, J. A. Knowledge sharing in context: the influence of organizational commitment, communication climate and CMC use on knowledge sharing. Journal of Knowledge Management, [S. l.], v. 8, n. 6, p. 117-130, 2004.

WIIG, K. M. Knowledge management foundations: thinking about thinking – how people and organizations create, represent, and use knowledge. Arlington, TX: Schema Press, 1993. v. 1.

Downloads

Publicado

2022-10-21

Como Citar

Sabatino, T. C., Elias, M. L. G. G. R., & Menegassi, C. H. M. (2022). Práticas e ferramentas para o compartilhamento de conhecimento em Escolas de Cursos Livres. Educação Por Escrito, 13(1), e42753. https://doi.org/10.15448/2179-8435.2022.1.42753