Labirintos identitários em Todos os nomes, de Saramago

Palavras-chave: Discurso, Pós-modernidade, Literatura, Identidade

Resumo

Este trabalho problematiza a construção de identidades nestes tempos contemporâneos a partir de uma leitura do romance Todos os nomes, de José Saramago, pelo prisma teórico-metodológico dos estudos discursivos e culturais, centrando a discussão no personagem Sr. José. Este é um exercício analítico cujo desejo é contribuir para as discussões a respeito da relação entre discurso, literatura e identidade na chamada (pós)modernidade. Discutir “identidade” é também levantar pontos sobre “sujeito”, “subjetividade”, “história”, dentre outros termos nucleares a esse campo de estudo. O presente artigo, com base de modo especial em Stuart Hall e Zygmunt Bauman, inicia um percurso em busca por respostas para quem são os “anônimos” (ou Zés) na (pós)modernidade e como se constroem suas próprias significações na contemporaneidade. Fazem-se aqui perguntas; levantam-se algumas respostas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Lúcio de Sousa Góis, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS, Brasil.

Doutor em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP). Líder do Grupo de Pesquisa TD: discurso, memória e violência. Professor Associado da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), em Dourados, MS, Brasil.

Noraci Cristiane Michel Braucks, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS, Brasil.

Mestre em Letras pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), em Dourados, MS, Brasil.

Referências

BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Tradução de Mauro Gama e Cláudia Martinelli Gama; revisão técnica de Luís Carlos Fridman. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

CABRAL, João de Pina. Outros nomes, histórias cruzadas: apresentando o debate. Etnográfica, Lisboa, v. 12, n. 1, p. 5-16, maio 2008.

FLACH, Alessandra Bittencourt. Todos os nomes e a busca do inominado. Nau Literária Revista eletrônica de crítica e teoria de literaturas, Porto Alegre, v. 2, p. 1-14, jul./dez. 2006. Dossiê: Saramago.

GUILHAUMOU, Jacques. Linguística e História: percursos analíticos de acontecimentos discursivos. São Carlos: Pedro & João Editores, 2009.

GROS, Frederic. Foucault e a questão quem somos nós? Tradução de Maria das Graças de Souza do Nascimento. Tempo Social; Rev. Sociol., São Paulo, v. 7, n. 1-2, p. 175-178, oct. 1995. Disponível em: http://www.journals.usp.br/ts/article/viewFile/85221/88055. Acesso em: 25 abr. 2021.

HALL, Stuart. Quem precisa de identidade? SILVA, Tomaz Tadeu (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2007. 133 p.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva e Guaracira Lopes Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

LE GOFF, Jacques (dir.). O homem medieval. Tradução de Maria Jorge Vitar de Figueiredo. Lisboa: Editorial Presença, 1989.

MACHADO, Ana Maria. Recado do nome: leitura de Guimarães Rosa à luz do nome de seus personagens. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

MAINGUENEAU, Dominique. Discurso literário. Tradução Adail Sobral. São Paulo: Contexto, 2006.

ORLANDI, Eni P. Terra à vista: discurso do confronto: velho e no mundo. São Paulo: Cortez Editora; Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1990.

PARANHOS, Maria Cecília Rogers. Todos os nomes, de José Saramago: um texto em dobras. Revista do Núcleo de Estudos de Literatura Portuguesa e Africana da UFF, Niterói, v. 2, n. 3, p. 99-108, nov. 2009.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 5. ed. Porto (PT): Afrontamentos, 1996.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A crítica da razão indolente: Contra o desperdício da experiência. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Introdução a uma ciência pós-moderna. São Paulo: Graal, 2003.

SARAMAGO, José. As intermitências da morte. Lisboa: Caminho, 2005.

SARAMAGO, José. Todos os nomes. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

SARAMAGO, José. O presente é uma linha ténue. [Entrevista cedida a] Carlos Câmara Leme. Público, 25 out. 1997. Disponível em: http://static.publico.pt/docs/cmf/autores/joseSaramago/todosOsNomes.htm. Acesso em: 2 ago. 2021.

SOLER, Colette. Os nomes da identidade. Tradução de Vera Pollo. Trivium: Estudos Interdisciplinares: Ciência, Tecnologia e Religião, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 171-177, 2009. Disponível em:

http://www.uva.br/trivium/edicao1/conferencia/os-nomes-da-identidade.pdf. Acesso em: 5 set. 2021.

Publicado
2022-03-08
Como Citar
Góis, M. L. de S., & Braucks, N. C. M. (2022). Labirintos identitários em Todos os nomes, de Saramago. Navegações, 15(1), e41912. https://doi.org/10.15448/1983-4276.2022.1.41912
Seção
Dossiê