A representação do cidadão (português) medíocre em Dulce Maria Cardoso

Palavras-chave: Literatura portuguesa contemporânea, Campo de sangue, Os meus sentimentos, Cidadão mediocre

Resumo

O cidadão (português) medíocre é aquele que abdica da própria individualidade, se aliena, se rende ao sistema socioeconômico e é submisso. Assim, o cidadão (português) medíocre figura, em uma seção da obra de Dulce Maria Cardoso, um ser sem nome, sem identidade fixa, chamado de “funcionário”, que são todos parecidos uns com os outros, para desidentificar a humanidade deles. Nosso corpus, por sua vez, é composto por Campo de sangue e Os meus sentimentos, os dois primeiros romances publicados pela escritora portuguesa contemporânea. Objetivamos, no presente artigo, delinear o perfil desses ditos “funcionários”, bem como investigar sua presença e função no corpus. Para tanto, embasar-nos-emos em O que é a não pertença e como se dá a sua construção em Os meus sentimentos, de Dulce Maria Cardoso, de Gabriela Cristina Borborema Bozzo; Manifesto comunista, de Marx e Engels, Adorno e Freud em “Civilização e alienação: diálogo com Freud e Adorno” (2006), de Danelon e O romance português contemporâneo (1950-2010), de Miguel Real.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Cristina Borborema Bozzo, Universidade Estadual de São Paulo (UNESP), SP, São Paulo, Brasil.

Mestra em Estudos Literários (2019) pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), em Araraquara, SP, Brasil. Bacharela e licenciada em Letras pela mesma instituição.

Referências

BOZZO, G. C. B. O que é a não-pertença e como se dá sua construção em Os meus sentimentos, de Dulce Maria Cardoso. Ponta Grossa: Atena Editora, 2020.

CARDOSO, D. M. Campo de sangue. Lisboa: Tinta da China, 2018.

CARDOSO, D. M. Os meus sentimentos. Rio de Janeiro: Tinta da China Brasil, 2012.

DANELON, M. Civilização e alienação: diálogo com Freud e Adorno. ETD – Educação Temática Digital, Campinas, v. 8, n. esp., p.85-102, dez. 2006.

GENETTE, G. Discurso da narrativa. Lisboa: Vega, 1986.

MARX, K. H.; ENGELS, F. O manifesto comunista. Ebooks Brasil: RocketEdition, 1999.

REAL, M. O romance português contemporâneo (1950- 2010). Alfragide: Caminho, 2012.

Publicado
2021-12-16
Como Citar
Bozzo, G. C. B. (2021). A representação do cidadão (português) medíocre em Dulce Maria Cardoso. Navegações, 14(2), e41665. https://doi.org/10.15448/1983-4276.2021.2.41665
Seção
Ensaios