Façam completo silêncio

Poesia de Carlos Drummond de Andrade enquanto geradora de diferença

Palavras-chave: Poesia brasileira, Carlos Drummond de Andrade, Lentidão, Questionamento, Diferença

Resumo

O presente artigo surgiu de uma necessidade de pensar o tema da lentidão e do questionamento na obra de Carlos Drummond de Andrade, tomando como ponto de partida estes dois elementos enquanto geradores de uma ideia de diferença. Para isso é estudada a forma como a poesia de Drummond pensa a diferença através de um constante apelo à desaceleração que cruza a sua criação literária, desaceleração da escrita, mas também da leitura, do processo criativo e de um contacto mais intenso com a realidade. Para isso são estudados e alguns poemas de Carlos Drummond de Andrade em contacto com poetas como Manuel Bandeira, Wislawa Szymborska e Jorge Luís Borges.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nuno Brito, University of California, Santa Barbara (UCSB), California, USA.

Doutor em Literaturas Brasileiras e Portuguesas, mestre em Português e leitor pelo Camões Instituto da Cooperação e da Língua Portugal, no Departamento de Espanhol e Português da Universidade da Califórnia, em Santa Barbara, Estados Unidos. Foi professor de Literatura Portuguesa na Universidad Nacional Autónoma de México.

Referências

ANDRADE, Carlos Drummond. Poesia Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2004.

BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

BAUMAN, Zygmunt. Amor liquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Lisboa: Relógio D’Água, 2006.

BENJAMIN, Walter. Rua de mão única. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987.

BERTMAN, Stephen. Hyperculture: the human cost of speed. New York: Westport, 1998.

BORGES, Jorge Luis. Este ofício de poeta. Lisboa: Relógio D’Água, 2017.

BORGES, Jorge Luis. Otras inquisiciones. Buenos Aires: Sur, 1952.

DICKINSON, Emily. Duzentos poemas. Lisboa, Relógio D´Água, 2014.

SIMON, Iumna Maria. Drummond: uma poética do risco. São Paulo: Ática, 1978.

FERLINGHETTI, Lawrence. A poesia como arte insurgente. Lisboa: Relógio D’Água, 2016.

FLOISTAD, Guttorm. Slow thought: a manifesto. In: Aeon. Disponível em: https://aeon.co/essays/take-your-time-the-seven-pillars-of-a-slow-thought-manifesto. Acesso em: 12 ago. 2019.

LISPECTOR, Clarice. A cidade sitiada. Rio de Janeiro: José Olympio, 1975.

MENDONÇA, José Tolentino. O pequeno caminho das grandes perguntas. Lisboa: Quetzal, 2017.

NAVA. Luís Miguel. Poesia completa. Lisboa: Dom Quixote, 2002.

NOVALIS, Friedrich. Pólen, fragmentos, diálogos, monólogo. São Paulo: Iluminuras, 1988.

PESSOA, Fernando. Livro do Desassossego: Bernardo Soares. Lisboa: Ática, 1982.

KUNDERA, Milan. Slowness. New York: Harper Collins Publishers, 1996.

SZYMBORSKA, Wislawa. The poet and the world (Nobel Lecture). In: Nobel Prize. Disponível em: https://www.nobelprize.org/prizes/literature/1996/szymborska/lecture. Acesso em: 2 ago. 2019

SZYMBORSKA, Wislawa. Poems: New and Collected: 1957-1997. New York: Harcourt Brace & Company, 1998.

TERÊNCIO, Publio. O homem que se puniu a si mesmo; trad. Walter Medeiros. Coimbra: Instituto Nacional de Investigação Científica, 1993.

Publicado
2021-12-16
Como Citar
Brito, N. (2021). Façam completo silêncio: Poesia de Carlos Drummond de Andrade enquanto geradora de diferença. Navegações, 14(2), e40702. https://doi.org/10.15448/1983-4276.2021.2.40702
Seção
Ensaios