O Oriente de Os Lusíadas e a América dos descobrimentos e colonização: o feminino e a feminização da realidade

Palavras-chave: Engendramento, Feminização, Cronística Mundonovista, Os Lusíadas

Resumo

O artigo parte da verificação de que o fazer literário representa geografias e paisagens culturais de outras localidades, além da sua própria realidade e contexto, de forma retórica, imaginária e simbólica, refletindo formações ideológicas, de ordem política e cultural. Na esteira desta ideia, o artigo examina, por meio de pressupostos teóricos e críticos, buscados nos estudos do discurso do gênero e suas estratégias de engendramento da realidade, o principal tropo da retórica da literatura dos descobrimentos e da conquista, qual seja, a feminização ou sexualização da realidade etnoantropológica a ser conquistada por sua redução
ao princípio do feminino como regente do mundo natural e da realidade social e cultural. Tendo por base essas noções, o artigo propõe examinar representativos textos da cronística sobre a América dos descobrimentos e colonização e Os Lusíadas, de Luís Vaz de Camões, como escritas comprometidas com traços do complexo etnocultural e androcêntrico da tradição ocidental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BADINTER, Elisabeth. The Unopposite Sex: The End of the Gender Battle. Tradução Barbara Wright. New York: Harper & Row, 1989.

BEAUVOIR, Simone de. The Second Sex. Trad. e ed. H. M. Parshley. New York: Vintage Books/Randon House, 1989.

BERGER, John. Ways of Seeing. London: BBC and Penguin, 1977.

BRANDÃO, Ambrósio Fernandes. Diálogos das Grandezas do Brasil. Rio de Janeiro: Officina Industrial Graphica, 1930.

CAMÕES, Luís Vaz de. Os Lusíadas. Rio de Janeiro: Tecnoprinte, [1980?]. (Edição crítica de Francisco Silveira Bueno).

CARDIM, Fernão. Do Clima e Terra do Brasil. In: CARDIM, Fernão. Tratados da Terra e Gente do Brasil. Belo Horizonte: Editora Itatiaia Ltda; São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1980. p. 25-61.

CUDDON, John Anthony Bowden. The Penguin Dictionary of Literary Terms and Literary Theory. New York: Penguin Books, 1992.

FANON, Frantz. The Wretched of Earth. Tradução Constance Farrington. New York: Grove Press, 1963.

GANDAVO, Pero de Magalhães. Tratado da Terra do Brasil / História da Província de Santa Cruz. Belo Horizonte: Editora Itatiaia Ltda.; São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1980.

HELGERSON, Richard. Forms of Nationhood: The Elizabethan Writing of England. Chicago and London: University of Chicago Press, 1992.

KAPLAN, Cora. Sea Changes: Culture and Feminism. London: Verso, 1986.

LÉRY, Jean de. Viagem à Terra do Brasil. Belo Horizonte: Editora Itatiaia Ltda; São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1980.

MACKINNON, Catherine. Feminism Unmodified. Cambridge: Harvard University Press, 1987.

MONTROSE, Louis. The Work of Gender and Sexuality in the Elizabethan Discourse of Discovery. In: STANTON, Donna C. (ed.). Discourses of Sexuality: From Aristotle to AIDS. Ann Arbor: University of Michigan Press, 1992. p. 138-184.

QUINT, David. Epic and Empire: Politics and Generic Form from Virgil to Milton. New Jersey: Princeton University Press, 1993.

RUTHVEN, K. K. Feminist Literary Studies: An Introduction. Cambridge: Cambridge University Press, 1984.

SAID, Edward W. Orientalism. New York: Vintade Books: Randon House, Inc., 1979.

SHOHAT, Ella; STAM, Robert. Unthinking Eurocentrism: Multiculturalism and the Media. London and New York: Routledge, 1994.

SHOWALTER, Elaine. Introduction: The Rise of Gender. In: SHOWALTER, E. (org.) Speaking of Gender. New York: Routledge, Chapman and Hall, 1994. p. 1-13.

SOUSA, Gabriel Soares de. Tratado Descritivo do Brasil em 1587. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1987.

STARR, Tama. The “Natural Inferiority” of Women: Outrageous Pronouncements by Misguided Males. New York: Poseidon Press, 1991.

STOLTENBERG, John. Refusing to be a Man: Essays on Sex and Justice. New York: Meridian: Penguin Books, 1990.

TUANA, Nancy. The Less Noble Sex: Scientific, Religious, and Philosophical Conceptions of Woman’s Nature. Bloomington: Indiana University Press, 1993.

WALKER, Barbara G. The Woman’s Dictionary of Symbol and Sacred Objects. San Francisco: Harper and Row, 1988.

WHITE, Hayden. Tropics of Discourse: Essays in Cultural Criticism. Baltimore and London: Johns Hopkins University Press, 1992.

WILSON, M. Edward. Spanish Drama of the Golden Age. Oxford: Pergamon, 1969.

Publicado
2020-07-27
Como Citar
Fonseca, P. C. L. (2020). O Oriente de Os Lusíadas e a América dos descobrimentos e colonização: o feminino e a feminização da realidade. Navegações, 13(1), e36624. https://doi.org/10.15448/1983-4276.2020.1.36624
Seção
Dossiê