O populismo no Brasil

Desafios de um debate historiográfico

Palavras-chave: Populismo, História, Historiografia, Estado e Sociedade

Resumo

Este texto foi pronunciado como Conferência de Encerramento do XIX Congresso Internacional da AHILA, realizado em Paris, em agosto de 2021, por via remota. Ele faz uma reflexão sobre a trajetória do conceito de populismo, tendo os debates historiográficos ocorridos no Brasil, especialmente a partir dos anos 1970, como base. A posição crítica da autora, assinalada em trabalhos anteriores, é retomada sob o estímulo de se pensar os chamados neopopulismos, no caso do Brasil, o do desgoverno Bolsonaro. Defende-se que, se como conceito, o populismo não é teórica ou empiricamente sustentável, como categoria de acusação tem e terá largo trânsito. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Angela de Castro Gomes, Universidade Federal Fluminense (UFF), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Doutora em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil; mestre em História do Brasil pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professora titular de História do Brasil da Universidade Federal Fluminense (UFF), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil; professora emérita do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (Cpdoc) da Fundação Getúlio Vargas; no Rio de Janeiro, RJ, Brasil; pesquisadora visitante na Unirio, no Rio de Janeiro, RJ, Brasil, pela Faperj. 

Referências

GOMES, Angela de Castro. O populismo e as ciências sociais no Brasil: notas sobre a trajetória de um conceito. In: FERREIA, Jorge (org.). O populismo e sua história: debate e crítica. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

GOMES, Angela de Castro. A invenção do Trabalhismo. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2005. (1. .ed. de 1988).

GOMES, Angela de Castro. A política brasileira em tempos de cólera. In: Democracia em risco? 22 Ensaios sobre o Brasil hoje. São Paulo: Companhia das Letras, 2019. p. 175-194.

GOMES, Angela de Castro. Estado Novo: debatendo nacionalismo, autoritarismo e populismo. In: FERREIA, Jorge; DELGADO, Lucília A. Neves (org.). O tempo do nacional-estatismo: do início da década de 1930 ao apogeu do Estado Novo (1930-1945). O Brasil Republicano. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2019. v. 2, p. 173-201.

GOMES, Angela de Castro. The history and historiography of Populism in Brazil (1930-1945). Oxford Research Encyclopedia of Latin American, Oxford, p. 1-17, 2021.

Publicado
2022-08-30
Como Citar
Gomes, A. de C. (2022). O populismo no Brasil: Desafios de um debate historiográfico. Estudos Ibero-Americanos, 48(1), e42806. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2022.1.42806