De testemunha à protagonista

Beatriz Roquette Bojunga no Instituto Nacional de Cinema Educativo (1936-1965)

Palavras-chave: Mediação cultural, Trabalho de mulheres, Mulheres no cinema brasileiro, Beatriz Roquette Bojunga, Instituto Nacional de Cinema Educativo

Resumo

Beatriz Roquette Bojunga (1911-1999) atuou por 30 anos no Instituto Nacional de Cinema Educativo, o INCE (1936-1966). Ao longo desse período foi de secretária a diretora da filmoteca e executou atividades ligadas à organização da produção e divulgação dos filmes da primeira produtora oficial do país. Braço direito de Humberto Mauro, ao contrário do que se estabeleceu na bibliografia, ela também participava de filmagens. Assim, menos do que uma faz-tudo, como designava sua função, ela teria sido o que se denomina hoje ‘diretora de produção’ do INCE e sua divulgadora, atuando, assim, como mediadora cultural entre a instituição, especialistas e o público que ajudou a criar. É o que se busca mostrar neste artigo, levando em conta o silêncio no relato de Bojunga sobre seu estatuto no INCE – devido à irrelevância atribuída às atividades profissionais de mulheres, pelos homens e pelas próprias mulheres, e à escassez de documentação escrita sobre sua atuação. No entanto, se os interditos apontam questões de gênero, estes são atravessados e toldados pelo pertencimento social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheila Schvarzman, Universidade Anhembi Morumbi (UAM), São Paulo, SP, Brasil.

Pós-doutora em Multimeios; doutora e mestre em História Social pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), em Campinas, SP, Brasil; professora titular do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi (UAM), em São Paulo, SP, Brasil.

Referências

AGUIAR, Claudio Almeida. O Cinema como Agitador de Almas. São Paulo: Annablume/FAPESP, 1999
CHARLE, Christophe. Le Temps des hommes doubles. Revue
d’histoire moderne et contemporaine/Société d’histoire moderne 39 (1): 73 -85, Paris, 1992
GOMES, Angela de Castro e HANSEN, Patrícia Santos (Orgs.). Intelectuais Mediadores: Práticas Culturais e Ação Política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016
HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2014
HOLLANDA, Heloísa Buarque de (org.). Quase Catálogo 1: realizadoras de cinema no Brasil (1930-1988). Rio de Janeiro: CIEC/UFRJ; MIS/Secretaria do Estado de Cultura; Funarj, 1989
KOSSELECK, Reinhart. Estratos do Tempo, Rio de Janeiro: Contraponto, 2014
MUNERATO, Eunice: OLIVEIRA, Maria H. D. As musas da matinê. Rio de Janeiro: RioArte, 1982.
PERROT, Michelle. Une histoire des femmes est elle possible? Paris, Rivages, 1984, p.12. APUD PERROT, Michelle, Critique n. 843 e 844, Paris, Août-Septembre 2017, p. 614
PERROT, Michelle. Minha História das Mulheres. São Paulo: Contexto, 2007
PESSOA, Ana. Carmen Santos: o cinema dos anos 20. Rio de Janeiro, Aeroplano, 2002
PIZOQUERO, Lucilene. Cinema e gênero: a trajetória de Gilda de Abreu (1904-1979) Dissertação de Mestrado. Cinema, UNICAMP, 2006. Disponível em http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/284770, Acesso em 12.3.2020
RAMOS, Fernão Pessoa. Documentário Sonoro. In RAMOS, Fernão Pessoa; MIRANDA, Luiz Felipe (orgs.) Enciclopédia do Cinema Brasileiro. São Paulo. Editora SESC, 2012, pp. 224-225.
RIBEIRO, Adalberto Mário. O Instituto Nacional de Cinema Educativo. Revista do Serviço Público, ano VII, vol. 1, n. 3, Rio de Janeiro: março de 1944 (Separata)
ROCHA, Glauber. Revisão Crítica do Cinema Brasileiro. São Paulo: Cosac&Naif, 2003
ROQUETTE-PINTO, Edgar. O cinema e a educação popular no Brasil. Revista Nacional de Educação, 1(5), Rio de Janeiro, fev. 1933
SOUZA, Carlos Roberto R. de (coord.). Catálogo Filmes produzidos pelo INCE. Rio de Janeiro: Fundação do Cinema Brasileiro, Núcleo de Documentação. Mimeo, 1990.
VARGAS, Getúlio. O cinema nacional como elemento de aproximação dos habitantes do país. In A Nova Política do Brasil, vol. III - A Realidade Nacional em 1933, Rio de Janeiro, José Olympio, 1938, p.182 a 189.
Publicado
2021-11-04
Como Citar
Schvarzman, S. (2021). De testemunha à protagonista: Beatriz Roquette Bojunga no Instituto Nacional de Cinema Educativo (1936-1965). Estudos Ibero-Americanos, 47(3), e40390. https://doi.org/10.15448/1980864x.2021.3.40390
Seção
Dossiê: Mulheres intelectuais: práticas culturais de mediação