Memória em disputa

Inah Costa e os desafios da história das mulheres artistas

Palavras-chave: Gênero, História das Mulheres, História da Arte

Resumo

O artigo apresenta parte dos resultados da tese de doutorado sobre os quarenta anos (1949-1989) da trajetória da pintora Inah D´Ávila Costa (1915-1998). Apesar de sua relevância na constituição do sistema das artes da cidade de Pelotas (RS), ela obteve seu reconhecimento tardiamente e continuou invisível por muito tempo. A partir de dois marcos importantes em sua carreira como artista e como professora, iremos discutir o peso do gênero enquanto categoria analítica na crítica feminista da história das mulheres artistas no Brasil.



 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rebecca Corrêa e Silva, Instituto Federal Farroupilha (IFFar), Alegrete, RS, Brasil

Doutora em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina, (UFSC), em Florianópolis, SC, Brasil; professora do Instituto Federal Farroupilha, (IFFar), em Alegrete, RS, Brasil.

Referências

AMARAL, Aracy. Mário Pedrosa: um homem sem preço. In: AMARAL, Aracy do (org.) Textos do Trópico de Capricórnio: artigos e ensaios (1980-2005): Circuitos de Arte na América Latina e no Brasil. São Paulo: Ed. 34, 2006. v. 2, p. 328-332.

AVERBECK, Ada Costa. Entrevista sobre Inah Costa. [Depoimento concedido a] Rebecca Corrêa e Silva. Pelotas, 27 de fev. 2016.

BARROS, Roberta. Elogio ao toque ou como falar de arte feminista à brasileira. Rio de Janeiro: Ed. Relacionarte, 2016.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. 6. Ed. São Paulo: Ed. Perspectiva, 2005.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. 6. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

BULHÕES, Maria Amélia; KERN, Maria Lucia Bastos. Artes plásticas na América Latina contemporânea. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 1994.

CAMPOS, Beatriz Pinheiro de. Quirino Campofiorito e Mário Pedrosa: entre a figuração e a abstração. A crítica de arte e o surgimento da arte abstrata no (1940 a 1960). 2014. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2014.

CHIARELLI, Tadeu. Mulheres artistas: as pioneiras (1880- 1930). Catálogo. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2015, p. 6-9.

COSTA, Inah D’Ávila. Depoimento concedido em 1985 à Angélica de Moraes. In: Entrevista sobre Inah Costa. [Depoimento concedido a] Rebecca Corrêa e Silva. São Paulo, 3 de ago. 2016a.

COSTA, Mário Eduardo. [Depoimento concedido a] Rebecca Corrêa e Silva. Porto Alegre, 10 abr. 2016c.

COSTA, Mário Eduardo. [Depoimento concedido a] Rebecca Corrêa e Silva. Porto Alegre, 16 abr. 2018.

COUTO, Harly. [Depoimento concedido a] Rebecca Corrêa e Silva. Pelotas, 21 jun. 2019.

DIAS, Maria Odila. Teoria e método dos estudos feministas: perspectiva histórica e hermenêutica do cotidiano. In: COSTA, Albertina de Oliveira (org.). Uma questão de gênero. Rio de Janeiro: Ed. Rosa dos tempos, 1992. p. 39-53.

DINIZ, Carmen Regina Bauer. Nos Descaminhos do Imaginário: a tradição acadêmica nas artes plásticas de Pelotas. 1996. Dissertação (Mestrado). IA/UFRGS, Porto Alegre, 1996.

DINIZ, Carmen Regina Bauer. Questões de Gênero na História da Arte de Pelotas. In: SEMINÁRIO DE HISTÓRIA DA ARTE - CENTRO DE ARTES, 12., 2013, Pelotas. Anais [...]. Pelotas: UFPel, 2013. n. 3. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/Arte/article/view/3779/3058. Acesso em: 14 jun. 2017.

ELIAS, Norbet. A Sociedade de corte – investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Ed. Zahar, 2001.

ELIAS, Norbet. Mozart, sociologia de um gênio. Organizado por Michael Schrõter; Tradução de Sérgio Góes de Paula. Revisão técnica de Renato Janine Ribeiro. Rio de Janeiro: JorgeZahar Ed., 1995.

ELIAS, Norbet. O processo civilizador I. 2. ed. Tradução de Ruy Jungman. Revisão e apresentação de Renato Janine Ribeiro. 2. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1994. v.1.

FERREIRA, Hélio M. D. (org.). Ivan Serpa. Rio de Janeiro: Funarte, 2004. (Coleção Fala do Artista).

FONSECA, Cláudia. Solteironas de fino trato: Reflexões em torno do (não) casamento entre pequeno-burguesas do início do século. Revista Brasileira de História, São Paulo v. 9, n.18, p. 99-120, 1989.

HARDING, Sandra. Debates en torno a una metodología feminista. Traducción de Glória Elena Bernal. México: UNAM, 1998. p. 9-34.

LAGARDE Y DE LOS RÍOS, Marcela. Mujeres cuidadoras: entre la obligación y la satisfacción. In: CONGRESO INTERNACIONAL SARE, 2003, Vitoria-Gasteiz. Anais […]. Vitoria-Gasteiz: EMAKUNDE; Instituto Vasco de la Mujer, 2004. p. 155-160. Tema: “Cuidar cuesta: costes y beneficios del cuidado”.

MAYAYO, Patricia. Historias de mujeres, historias del arte. Madrid: Catedra, 2003.

MORAES, Angélica de. Entrevista sobre Inah Costa. [Depoimento concedido a] Rebecca Corrêa e Silva. São Paulo, 3 ago. 2016.

MORAES, Angélica de. Entrevista sobre Inah Costa. [Depoimento concedido a] Rebecca Corrêa e Silva. São Paulo, 13 de ago. 2017.

RODRIGUES, Augusto (org.). Escolinha de Arte do Brasil. Brasília, 1980. 128 p. (Estudos e pesquisas, v. 6). Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me002413.pdf. Acesso em: 15 out. 2018.

SCOTT, Joan W. A cidadã paradoxal: as feministas francesas e os direitos do homem. Tradução de Élvio Antônio Funck. Florianópolis: Ed. Mulheres, 2002. 312 p.

SCOTT, Joan W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99. jul./dez. 1995.

SCOTT, Joan W. História das mulheres. In: BURKE, Peter (org.). A Escrita da História: Novas Perspectivas. São Paulo: Ed. UNESP, 1992. p. 63-96

SCOTT, Joan W. Prefácio a Gender and Politics of History. Cadernos Pagu, Campinas, n. 3, p. 16, 1994. Desacordos, desamores e diferenças.

SILVA, Ursula Rosa da (org.). Nelson Abott de Freitas e a crítica de artes visuais. Pelotas: Ed. Universitária/UFPel, 2004.

SILVA, Ursula Rosa da; LORETO, Mari Lucie da Silva. História da Arte em Pelotas: A pintura de 1870 a 1980. Pelotas: EDUCAT/Editora da UCPEL, 1996.

SIMIONI Ana Paula Cavalcanti. Profissão Artista: pintoras e escultoras acadêmicas brasileiras. São Paulo, SP: Editora da Universidade de São Paulo: FAPESP, 2008.

SORJ, Bila. O feminismo na encruzilhada da modernidade e da pós-modernidade. In: BRUSCHINI, Cristiana; COSTA, Albertina de Oliveira (org). Uma questão de gênero. Rio de Janeiro: Ed. Rosa dos tempos, 1992. p. 15-23.

SOUZA, Wilma Rosa. Entrevista sobre Inah Costa. [Depoimento concedido a] Rebecca Corrêa e Silva. Pelotas, 29 de fev. 2016.

Publicado
2021-04-26
Como Citar
e Silva, R. C. (2021). Memória em disputa: Inah Costa e os desafios da história das mulheres artistas. Estudos Ibero-Americanos, 47(1), e38160. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2021.1.38160
Seção
Dossiê: História das Mulheres, das relações de gênero e das sexualidades dissidentes - Vol. 47, n. 1