Tradição e Modernismo na construção da “nova” mulher do Estado Novo português: fotografia e propaganda no Boletim da Mocidade Portuguesa Feminina (1939-1947)

Palavras-chave: Mocidade Portuguesa Feminina, Publicação Periódica, Propaganda, Fotografia Impressa, Estado Novo, Mulher “nova”.

Resumo

As imagens que constroem o ideal de “nova” mulher do Estado Novo Português estabelecem um importante guia para compreender a forma heterodoxa e “contraditória” como foi usada a fotografia enquanto meio de inculcação de um modelo feminino consentâneo com a ideologia do regime. Estas revelam uma intrínseca dialética entre temas / formas “tradicionalistas” e “modernistas”. Tomando como objecto de análise as fotografias publicadas no Boletim da Mocidade Portuguesa Feminina (1939-1947), o objectivo deste artigo é compreender de que modo esta dialética é realizada ao serviço da propaganda do Estado Novo.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACCIAIUOLI, Margarida. Exposições do Estado Novo – 1934-1940. Lisboa: Livros Horizonte, 1998.

ACCIAIUOLI, Margarida. A Vertigem da Palavra: Retórica, Política e Propaganda no Estado Novo. Lisboa: Bizâncio, 2013.

ALVES, Vera. Arte popular e nação no Estado Novo: A política folclorista do Secretariado da Propaganda Nacional. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2013.

ANDRÉ, Paula. Arquitectura moderna e portuguesa: Lisboa 1938-1948. 2010. Tese (Doutorado em Arquitectura e Urbanismo) – ISCTE-IUL, Lisboa, 2010.

ANTLIFF, Mark Fascism, modernism, and modernity. Art Bulletin, [s. l.], v. 84, n. 1, p. 148-169, mar. 2002. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/3177257. Acesso em: 1 abr. 2018. https://doi.org/10.2307/3177257.

BHABHA, Homi K. The Location of Culture. Londres: Routledge, 1994.

BARRON, Stephanie. Modern Art and Politics in Prewar Germany. In: BARRON, Stephanie (ed.). Degenerate Art: The Fate of the Avant-Garde in Nazi Germany. Los Angeles: Los Angeles County Museum of Art, 1991. p. 09-23.

BELKNAPP, Geoffrey. From Photograph Authentic Science and the Periodical Press, 1870-1890. London: Bloomsbery Academic, 2016.

BOLETIM da Mocidade Portuguesa Feminina, n.1-n.96, maio 1949/abr. 1947.

BRITES, Joana. Estado Novo, arquitetura e «renascimento nacional. Risco: Revista de Pesquisa em Arquitetura e Urbanismo, [s. l.], v. 15, n. 1, p. 100-113, 2017. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/risco/article/view/131640. Acesso em: 1 abr. 2018. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4506.v15i1p100-113.

BRITES, Joana. Is there an Ideologically-Biased Broadening of the Concept of Modern Architecture? Questioning the Limits of Postmodernism’s Inclusivism and Testing a Further Expansion. RIHA Journal, [s. l.], 0133, 15 jul. 2016.

CABRAL, Manuel Villaverde. A Estética do Nacionalismo Modernismo literário e autoritarismo político em Portugal no início do século XX. Novos estudos –Cebrap, São Paulo, n. 98, mar. 2014. https://doi.org/10.1590/S0101-33002014000100006.

CALINESCU, Matei (1986), As Cinco Faces da Modernidade. Lisboa: Veja, 1999.

CASCÃO, Rui. Modos de Habitar. In: VAQUINHAS, Irene (coord.). História da Vida Privada em Portugal (A Época Contemporânea). Lisboa: Círculo de Leitores, 2011. v. 3. p. 22-54.

COVA, Anne; PINTO, António Costa. O Salazarismo e as mulheres: uma abordagem comparativa. Lisboa: Edições Cosmos, 1997.

DE DUVE, Thierry. Echoes of the Readymade. Critique of Pure Modernism. In: BUSHIER, Martha; NIXON, Mignon. The Duchamp. Cambridge: Mit-Press, 1996. p. 93-127.

FERREIRA, Isabel Alves. Mocidade Portuguesa Feminina. Revista de História das Ideias, [s. l.], n. 16, p.193-233, 1994. https://doi.org/10.14195/2183-8925_16_7.

FERNÁNDEZ, Horacio. Fotografía Pública: Photography in Print 1919-1939. Madrid: Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia: Aldeasa, 2000.

FOTO BELEZA. Capa [fotografia impressa]. Boletim da Mocidade Portuguesa Feminina, [s. l.], n. 27, jul. 1941.

FOTO BELEZA. 5º Elegantes [fotografia impressa]. Boletim da Mocidade Portuguesa Feminina, [s. l.], n. 29, set. 1941.

FREIRE, Isabel. Amor e Sexo no Tempo de Salazar. Lisboa: Esfera dos Livros, 2010.

GARCIA, José Luis Lima. A Agéncia Geral das Colónias/ Ultramar e a Propaganda do Estado Novo (1932-1974). In: RODRIGUES, Alberto Pena; PAULO, Heloísa (coord.). A Cultura do Poder: A Propaganda no Estados Autoritários. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2016.

GENTILE, Emilio. Qu’ Est – Ce que Le Fascisme? Histoire et Interpretation? Paris: Gallimard, 2004.

GONÇALVES. Capa [fotografia impressa]. Boletim da Mocidade Portuguesa Feminina, [s. l.], n. 70, fev. 1945).

GREENBERG, Clement. “Modernisme Painting” (1960). In: GREENBERG, Clement. Art and Culture: critical essays. Boston: Beacon Press, 1989. p. 754-760. [1.ª edição em 1961]

GRIFFIN, Roger. Modernism and Fascism: The Sense of a Begining Under Mussolini and Hitler. London/New York: Palgrave Macmillan, 2007.

GRIFFIN, Roger. Modernity, Modernism, and Fascism: A “Mazeway Resynthesis”. Modernism/Modernity, [s. l.], v. 15, n. 1, p. 09-24, 2008. https://doi.org/10.1353/mod.2008.0011.

HERF, Jeffrey. Reactionary Modernism: Technology, Culture and Politics in Weimar and the Third Reich. Cambridge: Cambridge University Press, 1984. https://doi.org/10.1017/CBO9780511583988.

HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence (ed.). The Invention of Tradition. Cambridge: Cambridge University Press, 1983.

KRAUSS, Rosalind. “Impressionism”. Partisan Review, New York, v. 42, p. 63-73, 1974.

KUIN, Simon. Mocidade Portuguesa. In: ROSAS; Fernando; BRANDÃO, J. M. (coord.). Diccionário de História do Estado Novo. Lisboa: Círculo de Leitores, 1996. p. 607-608.

LEAL, Joana Cunha. An Introduction: Around Southern Modernisms. RIHA Journal, [s. l.], 0131, 15 jul. 2016. Disponível em: www.riha-journal.org/articles/2016/0131-0140-special-issue-southern-modernisms/0131-cunha-leal.

LEAL, Joana Cunha; SANTOS, Mariana Pinto. As “sete cabeças” do modernismo. In: CRESPO, Nuno (ed.). Arte crítica política. Lisboa: Tinta da China, 2016. p. 93-111.

LEFAIVRE, Liane; TZONIS, Alexander. Critical Regionalism: Architecture and Identity in a Globalized World. Munich: [s.l.], 2003.

LIMA, Pires de e SCUZE. “Os que não têm férias” [fotografia impressa]. Boletim da Mocidade Portuguesa Feminina, [s.l.], n. 28, ago. 1941.

MACHADO, Ana Patrícia Milhanas. Para uma propaganda educacional: o registo fotográfico de Mário Novais em torno de uma visita da Mocidade Portuguesa Feminina ao Museu Nacional de Arte Antiga. Comunicação Pública, v. 12, n. 23, 2017. Disponível em: https://journals.openedition.org/cp/1912. Acesso em: 1º abr. 2018. https://doi.org/10.4000/cp.1912.

MATARD-BONUCCI, Marie Anne. “L’homme nouveau entre dictature et totalitarisme (1922-1945)”. Marie-Anne Matard-Bonucci et Pierre Milza, L’homme nouveau dans l’Europe fasciste (1922-1945). Entre dictature et totalitarisme. Paris: Fayard, 2004.

MASCARENHAS, João Mário; NEVES, Helena; CALADO, Maria (coord.). O Estado Novo e as Mulheres: O Género como Investimento Ideológico e de Mobilização. Lisboa: Câmara Municipal de Lisboa, 2001.

MELO, Daniel. Salazarismo e Cultura Popular (1933-1958). Lisboa: Instituto de Ciências Sociais, 2001.

MITTER, Partha. Decentering Modernism: Art History and Avant-Garde Art from the Periphery. The Art Bulletin, [s. l.], v. 90, n. 4, p. 531-548, dez. 2008. https://doi.org/10.1080/00043079.2008.10786408.

NOVAIS, Mário. Capa [fotografia impressa]. Boletim da Mocidade Portuguesa Feminina, n. 4, ago. 1939.

NOVAIS, Mário. Capa [fotografia impressa]. Boletim da Mocidade Portuguesa Feminina, n. 21, jan. 1941.

Ó, Jorge Ramos do. Os Anos de Ferro. O dispositivo cultural durante a “Política do Espírito” 1933-1949. Lisboa: Editorial Estampa, 1999.

OFER, Inbal. A “New” Woman for a “New” Spain: The Sección Femenina de la Falange and the Image of the National Syndicalist Woman. European History Quarterly, [s. l.], v. 39, n. 4, p. 583-695, 2009. Disponível em: http://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/0265691409342657. https://doi.org/10.1177/0265691409342657.

PAULO, João Carlos. Exposições Coloniais. In: ROSAS, Fernando; BRITO, J. M. Brandão (coord.). Diccionário de História do Estado Novo. Venda Nova: Bertrand, 1996. p. 327-329. v. 1.

PIMENTEL, Irene. Contributos para a História das Mulheres no Estado Novo. As Organizações Femininas do Estado Novo. A «Obra das Mães pela Educação Nacional» e a «Mocidade Portuguesa Feminina» (1936- 1966). Tese (Mestrado em História dos Séculos XIX e XX) – FCSH-UNL, Lisboa,1996.

PIMENTEL, Irene. Mocidade Portuguesa Feminina. Lisboa: Esfera dos Livros, 2000.

PIMENTEL, Irene. A cada um o seu lugar. A política feminina do Estado Novo. Lisboa: Temas e Debates, 2011.

POMAR, Alexandre. “A fotogenia do Estado Novo”: um capítulo esquecido da história da fotografia e do modernismo nacionais. Cartaz suplemento do Semanário Expresso, 28/02/1998.

POZAL, Fernando Martinez. “A orientação da ginástica dentro da M.P.F.” [fotografia impressa]. Boletim da Mocidade Portuguesa Feminina, n. 40, ago. 1942.

REVEZ, Natasha F. M. P. Os Álbuns Portugal 1934 e Portugal 1940 – Dois retratos do país no Estado Novo. 2012. Dissertação (Mestrado em História da Arte) – FCSH-UNL, Lisboa, 2012.

ROSAS, Fernando. O salazarismo e o homem novo: ensaio sobre o Estado Novo e a questão do totalitarismo. Análise Social, [s. l.], v. 35, n.157, p. 1031-1054, 2001.

SAN-PAYO. Capa [fotografia impressa]. Boletim da Mocidade Portuguesa Feminina, n. 32, dez. 1941.

SAN-PAYO, Walter. Capa [fotografia impressa]. Boletim da Mocidade Portuguesa Feminina, n. 75-76, jul./ago. 1945.

SCHOLES, Robert; WULFMAN, Clifford. Modernism in the Magazines – The Case of Visual Art. Modernism in the Magazines: An Introduction. New Haven: Yale University Press, 2010.

SERRA, Filomena. Introdução. Comunicação Pública [on-line], v. 12, n. 23, 2017. Disponível em: http://journals.openedition.org/cp/1961. Acesso em: 16 jun. 2018. https://doi.org/10.4000/cp.1961.

TAVARES, Emília. João Martins – Imagens de um tempo descritivo desolador. Porto: Mimesis, 2001.

TAVARES, Emília. Batalha de Sombras. Vila Franca de Xira: Câmara Municipal de Vila Franca de Xira; Museu do Neo-Realismo, 2009.

TAVARES, Emília. Retratos do Povo. In: NEVES, José (coord.). Como se Faz um Povo: Ensaios em História Contemporânea de Portugal. Lisboa: Edições Tinta da China, 2010. p. 401-414.

TAVARES, Emília. History of Portuguese Photography 1900-1938. History of European Photography 1900-1930, [s. l.], p. 482-493, 2008.

TESSADORI, Pietro. O Homem Novo do fascismo italiano e do Estado Novo Português. Tese (Doutorado em História, Dinâmicas do Mundo Contemporâneo) – ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa, Universidade de Lisboa, Universidade Católica Portuguesa e Universidade de Évora, Lisboa, 2014. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/15449/1/ulsd069172_td_Pietro_Tessadori.pdf.

TRINDADE, Luís. O Estranho Caso do Nacionalismo Português. Lisboa: Instituto de Ciências Sociais, 2008.

TRINDADE, Luís. A forma de Almada: o século XX de Almada Negreiros. In: MUSEU CALOUSTE GULBENKIAN (org.). José de Almada Negreiros: uma maneira de ser moderno. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian: Sistema Solar CRL (Documenta), 2017. p. 73-79.

UPTON, Dell. “Authentic’ Anxieties”. In: ALSAYYAD, Nezar (ed.). Consuming Tradition, Manufacturing Heritage. Global Norms and Urban Forms in the Age of Tourism. Londres: Routledge, 2001. P. 298-306.

VIEIRA, Joaquim. Crónica em Imagens 1930-1940. Portugal Século XX. Círculo de Leitores, 1999.

Publicado
2020-08-10
Como Citar
Marques, B. S., & Guarda, I. V. (2020). Tradição e Modernismo na construção da “nova” mulher do Estado Novo português: fotografia e propaganda no Boletim da Mocidade Portuguesa Feminina (1939-1947). Estudos Ibero-Americanos, 46(2), e32309. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2020.2.32309
Seção
Seção Livre