Transferência de padrões linguísticos do mandarim e do cantonês em aprendentes de PLA

Considerações sobre o ensino da interpretação em Macau

Palavras-chave: Macau, Interpretação Consecutiva português-chinês, Português Língua Adicional (PLA), Transferência Linguística, Aprendente chinês

Resumo

Partindo da premissa de que falar sobre “língua materna chinesa” é falar de um espectro de diferentes línguas e dialetos, o objetivo do presente artigo é verificar a transferência de padrões linguísticos das línguas maternas de aprendentes chineses de PLA durante práticas de interpretação consecutiva do português ao mandarim (putonghua) e, ainda, verificar as variáveis que eventualmente afetam as produções em mandarim de falantes de língua materna cantonesa. Para isso, analisamos a produção de interpretações consecutivas de 16 aprendentes divididos em dois grupos de controle: um com oito falantes de cantonês e outro com oito falantes de mandarim. Os resultados apontam que, apesar de os falantes de cantonês terem menor proficiência na língua de chegada, suas interpretações expressam com maior eficácia os textos originais, alimentando a hipótese de que a educação linguística e o caráter multilíngue e multicultural da sociedade de Macau contribuem positivamente para a prática da interpretação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlio Reis Jatobá, Universidade de Macau (UM), Macau, China

Professor da Faculdade de Letras da Universidade de Macau (UM). Licenciado em Letras pela Universidade de Brasília (UnB), mestre em Linguística Aplicada e doutor em Estudos Literários e Interculturais pela UM. Dedica-se desde 2006 ao ensino e à pesquisa da língua portuguesa na China e tem como objetos de investigação e interesse pessoal o ensino da Língua Portuguesa na China, Políticas Linguísticas e Tradução Literária Chinês-Português.

Weng Fong Ho, Instituto Politécnico de Macau (IPM), Macau, China

Licenciada em Estudos Portugueses pela Universidade de Macau (UM). Mestranda em Tradução e Interpretação Chinês-Português pelo Instituto Politécnico de Macau (IPM).

Referências

BOLTON, K.; NELSON, G.; HUNG, J. A corpus-based study of connectors in student writing: Research from the International Corpus of English in Hong Kong (ICE-HK). International Journal of Corpus Linguistics, v. 7, n.2, p. 165-182, 2002.

CHEN, J. Preparação do interprete de simultánea para os julgamentos de processos-crime no Tribunal Judicial de Base. 2009. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução) – Universidade de Macau, Macau, 2014.

CUHK. Conjunctions. A comparative database of Modern Chinese and Cantonese, 2014. Disponível em: http://apps.itsc.cuhk.edu.hk/hanyu/Page/Terms.aspx?target=%E9%80%A3%E8%A9%9E.

DIRIKER, E. Conference Interpreting. In: PÖCCAHACKER, F. (ed.). Routledge Encyclopedia of Interpreting Studies. New York: Routledge, 2015. p. 4.

FIELD, Y.; OI, Y. L. M. A comparison of internal conjunctive cohesion in the English essay writing of Cantonese speakers and native speakers of English. RELC journal, [s. l.], v. 23, n. 1, p. 15-28, 1992.

GILLIES, A. Consecutive Interpreting A Short Course. New York: Routledge, 2019. (Translation Practices Explained).

GROSSO, M. J. Política e Ensino da Língua Portuguesa na Região Administrativa de Macau (Pós-1999). In: PINTO, P. F.; MELO-PFEIFER, S. (ed.). Políticas linguísticas em português. Lisboa: Lidel, 2018. p. 169-181.

JATOBÁ, J. R. Poesia e (in)traduzibilidade na língua chinesa. Scientia Traductionis, [s. l.], n. 13, p. 213-223, 24/10/2019 2013a. DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1980-4237.2013n13p213

JATOBÁ, J. R. Práticas na Feira de Cantão e suas interfaces no ensino/aprendizagem de PLE de alunos da GDUFS. Revista da SIPLE, [s. l.], v. 3, n. 2, 2013b.

JATOBÁ, J. R. Ideologias linguísticas e diferenças individuais no contexto de português língua estrangeira na China. 2014. 173 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Universidade de Macau, Macau, 2014.

JATOBÁ, J. R. The learner between cultures: interculturality and interpreting teaching in China. BELT-Brazilian English Language Teaching Journal, [s. l.], v. 10, n. 1, p. 1-11, 2019a. DOI: https://doi.org/10.15448/21783640.2019.1.32961.

JATOBÁ, J. R. O espaço da interculturalidade no ensino da Interpretação em contexto de PLE em Guangzhou, China. In: LIMA-HERNANDES, M. C.; ABI-SÂMARA, R. et al. (ed.). Cruzamentos: Brasil, Portugal e Grande China. São Paulo: Ed. Paulistana, 2019b. p. 119-137.

JATOBÁ, J. R. Poéticas do Traduzir a, na e para a China: uma proposta. Cadernos de tradução, [s. l.], v. 39, n. especial, p. 120-147, 2019c. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2019v39nespp120.

KONG, I. I. G. Especificidades da interpretação entre chinês-cantonense e português. 2018. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 2018.

PÖCCAHACKER, F. Introducing Interpreting Studies. 2. ed. NewYork: Routledge, 2016.

PÖCCHACKER, F. (ed.). Routledge Encyclopedia of Interpreting Studies. NewYork: Routledge, 2015. PRC. Law of the People’s Republic of China on the Standard Spoken and Written Chinese Language. Order of the President, n. 37, 2001.

RAEM. Lei Básica da Região Admnistrativa de Macau da República Popular da China. CHINA, P. d. R. P. d. Pequim/ Região Administrativa Especial de Macau: Direcção dos Serviços de Assuntos de Justiça. Decreto do Presidente da República Popular da China No. 3 1993/1999.

RAEM, D. Intercensos 2016: Resultados Globais. Região Administrativa Especial de Macau: Direcção dos Serviços de Estatística e Censos, 2017.

SELESKOVITCH, D.; LEDERER, M. Pédagogie Raisonnée De L´Interprétation. 2. ed. Paris: Didier Erudition, 2002.

SUN, Y. Q. Positive language transfer of causative verbs in Chinese-Portuguese simultaneous interpretations. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 52, n. 3, p. 322-330, 2017.

ZHOU, J. Y. Omissão na interpretação consecutiva de português para chinês por aprendentes Chineses: uma análise das unidades de interpretação dos textos jornalísticos. 2019. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução) – Universidade de Macau, Macau, 2019.

ZHU, M. Y. 普通话与广东话口语词汇、语法差异 比较、分析 [A Comparação e análise das diferenças vocabulares e gramaticais na oralidade de Mandarim e Cantonês]. Journal of Chang Chun Teachers College, [s. l.], v. 23, n. 3, p. 3, 2004.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Jatobá, J. R., & Ho, W. F. (2020). Transferência de padrões linguísticos do mandarim e do cantonês em aprendentes de PLA: Considerações sobre o ensino da interpretação em Macau. Letras De Hoje, 55(4), e38358. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2020.4.38358
Seção
PORTUGUÊS COMO LÍNGUA ADICIONAL: LINGUÍSTICA E TRADUÇÃO