Educação infantil e currículo

Um olhar sobre os olhares da produção acadêmica

Palavras-chave: educação infantil, currículo, documentos curriculares, prática pedagógica

Resumo

O artigo analisa produção acadêmica nacional relativa à temática do currículo na Educação Infantil, tradicionalmente reconhecida como controversa na área e, ao mesmo tempo, central à consolidação da Educação Infantil enquanto etapa inicial da Educação Básica e à construção de propostas e práticas institucionais de qualidade para a infância. Essa centralidade materializa-se na instituição de documentos curriculares oficiais nas últimas décadas. Em meio às tensões que marcam as discussões sobre o tema, o que dizem as pesquisas que o tomam como objeto? Tomando como fonte a Biblioteca Digital de Teses e Dissertações - BDTD, o estudo buscou investigações que focalizam o currículo na/da Educação Infantil, entre 2009 e 2019. Foram identificados 45 trabalhos – dissertações e teses – com uma multiplicidade de focos e perspectivas: políticas públicas, práticas pedagógicas, processos de elaboração e desenvolvimento, fundamentos, diversidade humana, especificidades e direitos infantis. A diversidade da produção revela-se profícua à afirmação do currículo como tema fundamental à educação de crianças de zero a cinco anos, o que implica em mais estudos e mais compreensão junto às políticas, às propostas e às práticas pedagógicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elaine Luciana Sobral Dantas, Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Angicos, RN, Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, RN, Brasil; professora de Magistério Superior na Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), em Angicos, RN, Brasil. Líder do Grupo de Pesquisa e Extensão em Educação da Infância, Cultura, Currículo e Linguagem - EDUCLIN (UFERSA - CNPQ).

Denise Maria de Carvalho Lopes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, RN, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, RN, Brasil, com pós-doutorado em Educação pela Universidade de Coimbra/UC; professora associada da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, RN, Brasil. Líder do Grupo de Pesquisa sobre Crianças, Infâncias, Cultura e Educação (CRIANCE) – UFRN-CNPQ.

Referências

Abuchaim, B. O. (2012). Currículo, planejamento pedagógico e cotidiano na pré-escola: do prescrito-planejado ao experienciado-vivido. (Tese de Doutorado em Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil). Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/PUC_SP-1_ecf27ebc2ecab95c0f9922980bb30821.

Assis, R. (1985). Projeto Nezahualpilli: uma alternativa curricular para a educação de criança de classes populares. Cadernos Cedes. São Paulo. Cortez, 67-95.

Agostini, C. C. (2017). As artes de governar o currículo da educação infantil: a base nacional comum curricular em discussão. (Dissertação de Mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas, Universidade Federal da Fronteira do Sul. Erechim, Brasil). Disponível em: https://rd.uffs.edu.br/handle/prefix/1566.

Akuri, J. G. M. (2016). Currículo na educação infantil: implicações da Teoria Histórico-Cultural. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Estadual Paulista. Marília, Brasil). Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/134386.

Almeida, F. B. (2014). A implementação da proposta curricular de educação infantil na rede municipal de Juiz de Fora: um estudo na escola municipal Elisa Amaral. (Dissertação de Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública, Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil). Disponível em: http://www.mestrado.caedufjf.net/a-implementacao-da-proposta-curricular-de-educacao-infantil-na-rede-municipal-de-juiz-de-fora-um-estudo-na-escola-elisa-amaral/.

Amorim, A. L. N. (2011). Sobre educar na creche: é possível pensar em currículo para crianças de zero a três anos? (Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, Brasil). Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/4727.

André, R. C. M. O. (2016). Creche: desafios e possibilidades uma proposta curricular para além do educar e cuidar. (Dissertação de Mestrado em Educação, Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil). Disponível em: https://revistas.pucsp.br/curriculum/article/view/36067.

Apple, M. (1982). Ideologia e currículo. São Paulo: Brasiliense. doi: 10.1590/1981-7746-sol00248

Appolinário, D. L. (2015). Provinha Brasil: repercussões nas práticas curriculares da educação infantil. (Dissertação de Mestrado em Educação, Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Campinas, Brasil). Disponível em: http://tede.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br:8080/jspui/handle/tede/743.

Barbosa, M. C. S. (2009). Práticas cotidianas na educação infantil – bases para reflexão sobre as orientações curriculares. (Projeto de Cooperação Técnica MEC e UFRGS para construção de orientações curriculares para a educação infantil). Brasília: MEC/SEB/UFRG.

Barros, A. P. (2013). Currículo em ação e educação infantil: análise comparativa de concepções e práticas de professoras de duas realidades socioeconômicas diversas. (Dissertação de Mestrado em Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil). Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/9720.

Barros, M. (2010). Poesia Completa. São Paulo: Leya.

Brasil (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal. Centro Gráfico.

Brasil. (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Lei n.º 9.394/96. Brasília: Assembleia Legislativa. MEC. Centro Gráfico.

Brasil. (2009). Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil. Brasília: MEC. CNE. SEB.

Brasil. (2017). Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/CONSED/UNDIME.

Bodenmuller, S. C. (2017). Orientações Curriculares para a pequena infância na América Latina: uma análise da educação infantil obrigatória no Equador, Peru e Uruguai. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, Brasil. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/188272.

Camargo, A. R. O. (2019). Foto-grafando infâncias: experiências imagéticas e poéticas e currículo na educação infantil. (Tese de Doutorado em Educação, Universidade Estadual Paulista. Rio Claro, Brasil). Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/183533.

Carneiro, M. C. M. (2017). Currículo para bebês no contexto da creche: concepções, práticas e participação das crianças. (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Ceará. Ceará, Brasil). Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/27107.

Carvalho, R. N. S. (2011). A construção do currículo da e na creche: um olhar sobre o cotidiano. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal do Amazonas. Manaus, Brasil). Disponível em: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/3233

Cicarello Júnior, I. C. (2018). Educação infantil: concepções de desenvolvimento humano em documentos curriculares das três maiores cidades catarinenses. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade da Região de Joinville. Joinville, SC - UNIVILLE, Brasil). Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/IBICT-1_3437961193525558436f20ebdfe5d559.

Dantas, E. L. S. (2016). Educação infantil, cultura, currículo e conhecimento: sentidos em discussão. (Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, Brasil). Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22052.

Drummond, R. C. R. (2014). Educação infantil-ensino fundamental: possibilidades de produções no entre-lugar. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil). Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UERJ_241cf5e95e1bb78e6f5a3d2b58aae077.

Espinoza, M. E. O. (2014). Currículos por competências en la educación infantil: otras estrategias de gobierno de los infantes. (Tese de Doutorado Latino Americano: Políticas públicas e profissão docente, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, Brasil). Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/BUOS-9PMKCQ.

Ferreira, B. S. (2012). Conteúdos na educação infantil: tensões contemporâneas. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Brasil). Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/69935.

Fiorio, A. F. C. (2013). Pensando o currículo com as crianças: ou sobre aprendizagens inventivas na educação infantil. (Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo. Espírito Santo, Brasil). Disponível em: http://repositorio.ufes.br/bitstream/10/1141/1/Tese.Angela%20Francisca%20Caliman.pdf

Fonseca, D. J. R. (2018). Análise discursiva sobre a Base Nacional Comum Curricular. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal de Goiás. Jataí, Brasil). Disponível em: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9107.

Freitas, F. N. (2016). De figuras que invento: movimentos de professores no currículo da Educação Infantil. (Dissertação de Mestrado, Universidade do Vale do Taquari - Univates. Lajeado, Brasil). Disponível em: https://www.univates.br/bdu/handle/10737/1105.

Giroux, H. (1992). A escola crítica e a política cultural. São Paulo: Cortez.

Giuriatti, P. (2018). Direitos de aprendizagem e desenvolvimento: contextos educativos para as infâncias no século XXI. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade de Caxias do Sul. Brasil). Disponível em: https://repositorio.ucs.br/xmlui/handle/11338/4589.

Gonçalves, C. B. V. (2019). As fabuloinvenções das crianças nos agenciamentos dos currículos. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo. Espírito Santo, Brasil). Disponível em: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11250.

Goodson, I. F. (2013). Currículo: teoria e história. Petrópolis, RJ: Vozes.

Leite, M. S. A. (2014). Currículo na educação infantil: um olhar reflexivo para re(pensar) o desenvolvimento da oralidade em crianças de quatro e cinco anos de idade. (Dissertação de Mestrado Profissional em Linguística, Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, Brasil). Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFPB-2_776ee939e9773b34ff2e983077a65d93.

Maia, M. N. V. G. (2016). Currículo da Educação Infantil e Datas Comemorativas: O que dizem profissionais e crianças. (Tese de Doutorado, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro). Disponível em: https://grupoinfoc.com.br/publicacoes/doutorado/d08.pdf.

Maia, M. N. V. G. (2011). Educação Infantil - Com quantas datas se faz um currículo? (Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro). DOI: https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.21707.

Miranda, M. R. (2013). Jucu, jacutia, a gente dá comida pro jacu!: as culturas infantis: contributos na produção da identidade do currículo para educação quilombola. (Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Brasil). Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/26955.

Monteiro, K. B. F. S. (2014). Educação infantil e currículo: o lugar de crianças, famílias e professoras no currículo de uma instituição de educação infantil de Imperatriz/MA. (Tese de Doutorado, Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, Brasil). Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/9019.

Mota, G. L. (2017). A concepção de infância nas orientações curriculares para a Educação Infantil: um estudo sobre o documento da Prefeitura de São Paulo no período de 2005-2012. (Tese de Doutorado em Educação - Psicologia da Educação. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil). Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/20109.

Nascimento, F. B. G. (2018). Currículo integrador na Educação Infantil: concepção e visão de educadores do ensino municipal da cidade de São Paulo. (Dissertação de Mestrado em Educação - Currículo, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil). Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21457.

Oliveira, K. L. (2016). Um currículo dança? perspectiva pós-crítica de currículo e infância a partir dos projetos de linguagens da UEI Cremação, Belém-PA. (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Pará. Belém, Brasil). Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8598.

Oliveira, W. T. F. (2017). Diversidade étnico-racial no currículo da educação infantil: o estudo das práticas educativas de uma EMEI da cidade de São Paulo. (Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil). DOI: 10.11606/T.48.2017.tde-31072017-164022

Paulino, R. (2018). Educação Infantil e currículo: conceitos e fazeres pedagógicos na Rede Municipal de Educação de São Paulo. (Dissertação de Mestrado em Educação - Currículo, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil). Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21819.

Pavezi, N. P. (2014). Limites e possibilidades da crítica ao Referencial Curricular Nacional para a educação infantil: uma abordagem marxista. (Dissertação de mestrado, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho). Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/115554.

Prates, M. R. C. (2012). Composições curriculares na educação infantil: por um aprendizado afetivo. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória, Brasil). Disponível em: http://repositorio.ufes.br/bitstream/10/2296/1/tese_5628_Disserta%C3%A7%C3%A3o%20Maria%20Riziane%20Costa%20Prates.pdf.

Santos, M. O. (2017). Nós estamos falando! E vocês, estão nos escutando? Currículos praticados com bebês: professoras com a palavra. (Tese de Doutorado em educação, Universidade Federal da Bahia. Salvador, Brasil). Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/24562.

Silva, T. M. (2018). Os entrelugares educação infantil-ensino fundamental: o que podem os currículos tecidos com os cotidianos das escolas?. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo). Disponível em: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10845.

Silva, T. T. (2015). Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica.

Silva, V. J. (2016). Encanto e coerência: a infância construindo pontes entre Reggio Emilia e a política para a educação infantil no município de São Paulo. (Dissertação de Mestrado em Educação: Currículo. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, Brasil).

Silva, V. A. (2010). Análise da implantação de um currículo para a educação infantil do Centro Social Marista Itaquera: desafios e perspectivas. (Dissertação de Mestrado em Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil).

Souza, D. L. (2018). Base Nacional Comum Curricular e produção de sentidos de educação infantil: entre contextos, disputas e esquecimentos. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal de Santa Maria). Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/9527.

Souza, E. X. (2015). A elaboração e implementação da proposta curricular de educação infantil no município de Juiz de Fora. (Dissertação de Mestrado Profissional em Educação, Universidade Federal de Juiz de Fora). Disponível em: http://www.mestrado.caedufjf.net/a-elaboracao-e-implementacao-da-proposta-curricular-de-educacao-infantil-no-municipio-de-juiz-de-fora/.

Souza, T. N. (2017). Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil em contexto de uso de Sistemas Privados de Ensino: a análise de concepções de professoras de pré-escolas. (Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara). Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/150455.

Swetsch, P. S. (2017). Educação Infantil, creche e currículo: movimentos e tensões entre o nacional e o local. (Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal de Santa Maria). Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/handle/1/14971.

Teles, F. P. (2018). O brincar na educação infantil com base em atividades sociais, por um currículo não encapsulado. (Tese de Doutorado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil). Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/PUC_SP-1_0afcee4eb8a8c2c60c08d8641646abcc.

Trois, L. P. (2012). O privilégio de estar com as crianças: o currículo das infâncias. (Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Brasil). Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/49724.

Tussi, D. (2011). O espaço e o currículo: conexões e diálogos sobre as práticas pedagógicas no cotidiano da educação infantil. (Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, Brasil). Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/handle/1/6982.

Zabalza, M. A. (1998). Qualidade em Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Dantas, E. L. S., & Lopes, D. M. de C. . (2020). Educação infantil e currículo: Um olhar sobre os olhares da produção acadêmica. Educação, 43(3), e38667. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2020.3.38667
Seção
Artigos