Ensino secundário e as Classes Integrais do Colégio Estadual do Paraná

Aspectos formativos (1960-1967)

Palavras-chave: Classes Integrais, ensino secundário, inovações pedagógicas, Colégio Estadual do Paraná

Resumo

O texto apresenta questões relacionadas aos aspectos formativos das Classes Integrais do Colégio Estadual do Paraná (CEP), experiência de inovação pedagógica do ensino secundário desenvolvida entre 1960 e 1967 no modelar colégio situado em Curitiba-PR. Essa experiência, em conjunto com as iniciativas congêneres desenvolvidas em outras instituições de ensino brasileiras e que atenderam pela denominação de Classes Experimentais, constituíram parte das propostas de inovação pedagógica desenvolvidas a partir dos anos 1950 em território nacional. A análise das fontes possibilitou a identificação de um conjunto de ações pedagógicas desenvolvidas visando à formação integral dos estudantes participantes das turmas selecionadas para aquela inovação educacional, tendo em vista as transformações sociais do contexto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sergio Roberto Chaves Junior, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, PR, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, MG, Brasil. Professor Adjunto da Universidade Federal do Paraná, no Departamento de Teoria e Prática de Ensino, Setor de Educação (DTPEN/ED/UFPR), em Curitiba, PR, Brasil. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná (PPGE/UFPR), em Curitiba, PR, Brasil.

Referências

Araújo, M. M., & Brzezinski, I. (Orgs.) (2006). Anísio Teixeira na Direção do Inep: Programa para a Reconstrução da Nação Brasileira (1952-1964). INEP.

Cardoso, M. L. (1978). Ideologia do desenvolvimento - Brasil: JK-JQ. (2. ed.). Paz e Terra.

Carollo, B. (2002). Alfred Agache em Curitiba e sua visão de urbanismo. [Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul]. https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/3240/000384468.pdf

Chaves Junior, S. R. (2017). “Um embrião de laboratório de Pedagogia”: as Classes Integrais do Colégio Estadual do Paraná no contexto das inovações pedagógicas no ensino secundário (1960-1967). [Tese de doutorado, Universidade Federal de Minas Gerais]. http://hdl.handle.net/1843/BUOS-AQQRBA

Chaves Junior, S. R. (2018). A inspiração nos trabalhos “dos grandes centros de estudos pedagógicos”: considerações sobre as Classes Integrais do Colégio Estadual do Paraná (1960-1967). Hist. Educ. Online, 22(55), 81-100. https://doi.org/10.1590/2236-3459/80457

Chiozzini, D. F. (2014). História & Memória da inovação educacional no Brasil: o caso dos Ginásios Vocacionais (1961-1970). Appris.

Colégio Estadual do Paraná (CEP). (1960a). Plano de Organização das Classes Experimentais. Primeiro ciclo. Curso secundário.

Colégio Estadual do Paraná. (1960b). Os problemas dele são seus; e os seus serão dele. (Boletim informativo aos pais).

Colégio Estadual do Paraná. (1960c). Classes Integrais. (Relatório).

Colégio Estadual do Paraná. (1961). Relatório anual. Classes Integrais.

Colégio Estadual do Paraná. (1962a). As Classes Integrais (Experimentais) do Colégio Estadual do Paraná face ao parecer n. 13 e a Lei de Diretrizes e Bases.

Colégio Estadual do Paraná. (1962b). Relatório anual. Classes Integrais.

Colégio Estadual do Paraná. (1963a). Classes Integrais (Experimentais) do Colégio Estadual do Paraná. (Histórico).

Colégio Estadual do Paraná. (1963b). Relatório anual. Classes Integrais.

Colégio Estadual do Paraná. (1963c). Proposta de modificação do currículo das Classes Integrais do Colégio Estadual do Paraná.

Colégio Estadual do Paraná. (1963d). Necessidade da orientação educacional nas Classes Integrais do Colégio Estadual do Paraná.

Colégio Estadual do Paraná. (1964b). O “estudo do meio” e as Classes Integrais do Colégio Estadual do Paraná. Serviços de recursos audiovisuais de Curitiba.

Colégio Estadual do Paraná. (1966). Plano reestruturado das Classes Integrais do Colégio Estadual do Paraná.

Colégio Estadual do Paraná. [1967?]. Classes Integrais do Colégio Estadual do Paraná. (Relatório final).

Compiani, R. (1964). O currículo das classes integrais do Colégio Estadual do Paraná.

Cunha, M. V. (1991, maio/agosto). A educação no período Kubitschek: os Centros de Pesquisas do INEP. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 72(171), 175-195. https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.72i171.1294

Cunha, N. & Abreu, J. (1963, julho/setembro). Classes Secundárias Experimentais: balanço de uma experiência. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 40(91), 90-151. http://emaberto.inep.gov.br/ojs3/index.php/rbep/issue/view/473/111

Dallabrida, N. (2017, julho). As classes secundárias experimentais: uma tradição escolar (quase) esquecida. Revista Brasileira de História da Educação, 17(3[46]), 196-218. https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/rbhe/article/view/38438/pdf

Dallabrida, N. (2018, maio/agosto). Circuitos e usos de modelos pedagógicos renovadores no ensino secundário brasileiro na década de 1950. História da Educação, 22(55), 101-115. http://dx.doi.org/10.1590/2236-3459/80587

Gomes, Â. de C. (2013). Introdução. As marcas do período. In Â. de C Gomes (Coord.), Olhando para dentro: 1930-1964 (pp. 23-39). Objetiva.

Mello, J. M. C., & Novais, F. A. (1998, janeiro/abril). Capitalismo tardio e sociabilidade moderna. In L. M. Schwarcz, (Org.), História da vida privada no Brasil: contrastes da intimidade contemporânea. (vol. 4, pp. 559-658). Companhia das Letras.

Mendonça, A. W. P. C., Xavier, L. N., Breglia, V. L. A., Chaves, M. W., Oliveira, M. T. C., Lima, C. N., & Santos, P. S. M. B. (2006). Pragmatismo e desenvolvimentismo no pensamento educacional brasileiro nas décadas de 1950-1960. Revista Brasileira de Educação, 11(31), 96-113. https://doi.org/10.1590/S1413-24782006000100008

Mendonça, A. W. P. C., & Xavier, L. N. (2008). O Inep no contexto das políticas do MEC (1950/1960). In: A. W. P. C. Mendonça, & Xavier, L. N. (Orgs.), Por uma política de formação do magistério nacional: o Inep/MEC dos anos 1950/1960 (pp. 19-38). INEP; MEC.

Nunes, C. (2000). Anísio Teixeira: a poesia da ação. EDUSF.

Revel, J. (Org.) (1998). Jogos de Escalas: a experiência da microanálise. Editora da Fundação Getúlio Vargas.

Rosa, F. T. (2014). Circulação de ideias sobre a renovação pedagógica do ensino secundário brasileiro em periódicos educacionais científicos (1956-1961). [Dissertação de mestrado, Universidade do Estado de Santa Catarina]. https://sistemabu.udesc.br/pergamumweb/vinculos/00006e/00006ed2.pdf

Santos, A. C. de A. (1995). Memórias e cidade: depoimentos e transformação urbana de Curitiba (1930-1990). [Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Paraná]. https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/25062/?sequence=1

Santos, P. S. M. B. (2005). O Colégio Nova Friburgo da Fundação Getúlio Vargas: mergulhando em sua memória institucional. [Dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro]. https://www2.dbd.puc-rio.br/pergamum/tesesabertas/0310236_05_pretextual.pdf

Straube, E. C. (1993). Do Licêo de Coritiba ao Colégio Estadual do Paraná. FUNDEPAR.

Tamberlini, Â. R. M. de B. (2001). Os ginásios vocacionais: a dimensão política de um projeto pedagógico transformador. Annablume. Fapesp.

Teixeira, A. (1956, abril/junho). O processo democrático de educação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 25(62), 3-16. http://emaberto.inep.gov.br/ojs3/index.php/rbep/issue/view/451/88

Vieira, L. (2015). Um núcleo pioneiro na renovação da educação secundária brasileira: as primeiras classes experimentais do estado de São Paulo (1951-1964). [Dissertação de mestrado, Universidade do Estado de Santa Catarina]. http://www.faed.udesc.br/arquivos/id_submenu/151/leticia_vieira.pdf

Xavier, L. N. (1999). O Brasil como laboratório: educação e ciências sociais no projeto dos Centros Brasileiros de Pesquisas Educacionais CBPE/INEP/MEC (1950-1960). IFAN/CDAPH/EDUSF.

Publicado
2022-05-02
Como Citar
Junior, S. R. C. (2022). Ensino secundário e as Classes Integrais do Colégio Estadual do Paraná: Aspectos formativos (1960-1967). Educação, 45(1), e34136. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2022.1.34136