Práticas educativas na docência universitária

Concepções na/da inovação pedagógica

Palavras-chave: Práticas educativas, Inovação, Docência universitária

Resumo

O trabalho analisa os resumos expandidos escritos e apresentados ao evento denominado Seminário Pedagogia do Ensino Superior: Partilha de Práticas Inovadoras realizado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre Pedagogia Universitária – NEPPU de uma instituição pública de Ensino Superior do Estado da Bahia. O objetivo do estudo foi analisar como os professores, autores dos resumos e participantes do referido Seminário concebem uma prática inovadora. A metodologia utilizada foi o desenvolvimento do Estado da Arte, que consiste numa técnica de mapeamento de estudos já realizados em determinada área do conhecimento. A base teórica constituiu nas contribuições de Cunha (2001), Fullan (2007), Lucarelli (2005), entre outros. O estudo mostrou que os professores consideram suas práticas enquanto inovadoras, pois elas se fundamentam no paradigma da mudança caracterizada por uma variação de estratégias metodológicas que o professor desenvolve, tornando as aulas diferentes e atrativas para os estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabrício Oliveira da Silva, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Feira de Santana, BA, Brasil

Doutor em Educação pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB), em Salvador, BA, Brasil e pós-doutorando em Educação na mesma instituição; professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), em Feira de Santana, BA, Brasil.

Referências

André, M. et al. (1999) Estado da arte da formação de professores no Brasil. Educação & Sociedade 20 (n. 69), p. 301-309. https://doi.org/10.1590/S010173301999000300015

Carbonell, J. (2002) A aventura de inovar: a mudança na escola. Artmed Editora.

Cunha, M. I. da; Lucarelli, E. (2005). Inovações na sala de aula universitária e saberes docentes: experiências de investigação e formação que aproximam Argentina e Brasil. In: Anais do Primer Congreso Nacional de Estudios Comparados en Educación, Buenos Aires, Buenos Aires, Argentina.

Ferreira, N. S. de A. (2002). As Pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, (79), p. 257-272. https://doi.org/10.1590/S0101-73302002000300013

Fullan, M. (2007). The new meaning of educational change. Routledge.

Hannan, A. Silver, H. (2006). La innovación en la enseñanza superior: enseñanza, aprendizaje y culturas institucionales. Narcea, Libedinsky, M. (2001). La innovación en la enseñanza: Diseño y documentación de experiências de aula. Paidós.

Lucarelli, E. (2000). Um desafio institucional: inovação e formação pedagógica do docente universitário. In CASTANHO, S., CASTANHO. M. O que há de novo na educação superior: do projeto pedagógico à prática transformadora. Papirus.

Maseto, M. Behrens, M. A. (2000) Novas tecnologias e mediação pedagógica. Papirus.

Masetto, M. T. (2003). Competências pedagógicas do professor universitário. Summus.

Ribeiro, M., Mussi, A. (2015). Inovação da prática pedagógica de professores do ensino universitário pela pesquisa-ação colaborativa. UEFS, Resolução CONSEPE 011/2015.

Slongo, I. Inês. P. (2004) A produção acadêmica em ensino de biologia: um estudo a partir de teses e dissertações. [Tese de Doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina], Florianópolis, Brasil.

Veiga, I. (2000). Aula universitária e inovação. In: Veiga, I. Pedagogia universitária: a aula em foco. Papirus.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Silva, F. O. da. (2020). Práticas educativas na docência universitária: Concepções na/da inovação pedagógica. Educação, 43(3), e31310. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2020.3.31310
Seção
Outros Temas