Sequências didáticas e possibilidades de uma prática pedagógica interdisciplinar

  • Maria Liz Meinhardt Lopes
  • Lisandra Catalan do Amaral
Palavras-chave: Metodologias, Sequência didática, Interdisciplinaridade

Resumo

O presente artigo apresenta uma análise de sequências didáticas elaboradas coletivamente por docentes de uma escola privada de Educação Básica da cidade de Cachoeira do Sul/RS. O objetivo desta análise é indicar os pontos de conexão e diálogo existentes nas sequências didáticas que oportunizam a aplicação de uma prática pedagógica interdisciplinar por área do conhecimento. A produção das sequências didáticas por área do conhecimento caracteriza um processo metodológico que visa unir os componentes da mesma área por meio de um eixo integrador, considerando os conteúdos nucleares de cada componente curricular. As sequências foram analisadas e discutidas por meio de uma metodologia de pesquisa qualitativa utilizando a análise de conteúdo para descrever e interpretar o conteúdo dos documentos e textos. Por meio dessa análise, é possível reinterpretar as mensagens e atingir uma compreensão de seus significados num nível que vai além de uma leitura comum em relação ao objeto de pesquisa. A análise oportunizou identificar que o processo interdisciplinar está impregnado de atitudes e sentidos. Sentidos esses que se referem a vários aspectos, por vezes formais, presentes no planejamento docente, e, por vezes, não formais, presentes no processo de elaboração e concepção. Também foi possível observar a necessidade de variar os suportes, as atividades e as práticas de sala de aula, visando, cada vez mais, a construção e a reelaboração de produções, tanto dos estudantes quanto dos educadores, de novas e significativas aprendizagens, em um processo resiliente individual e coletivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Liz Meinhardt Lopes

Coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental Anos Finais e Médio do Colégio Marista Roque, graduada em Pedagogia e especialista em Gestão Educacional.

Lisandra Catalan do Amaral

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Professor Titular da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Assessora da área de conhecimento de Ciências Humanas.

Referências

ALVES, Ana Cristina dos Santos et al. A avaliação nas diferentes etapas da Educação Básica. Caderno Marista de Educação, Porto Alegre, v. 9, p. 40-55, 2015.

BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

DOLZ, Joaquim; NOVERRAZ, Michele; SHCNEUWLY, Bernard. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SHCNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Trad. e org. Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: Mercado de Letras, 2004. p. 95-128.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia. São Paulo: Edições Loyola, 1992.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Interdisciplinaridade: um projeto em parceria. São Paulo: Edições Loyola,1991.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática docente. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2008, p. 212-217.

KOBASHIGAWA, Alexandre Hiroshi et al. Estação ciência: formação de educadores para o ensino de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental. In: SEMINÁRIO NACIONAL ABC NA EDUCAÇÃO CIENTIFICA, 4., 2008. Anais... São Paulo: Instituição, 2008. p. 212-217. Disponível em: <http://www.cienciamao.usp.br/dados/smm/_estacaocienciaformacaodeeducadoresparaoensinodecienciasnasseriesiniciaisdoensinofundamental.trabalho.pdf>. Acesso em: 05 out. 2011.

PERRENOUD, Philippe et al. (Orgs.). As competências para ensinar no século XXI: a formação dos professores e o desafio da avaliação. Porto Alegre: Artmed, 2002. p. 117-118.

MORIN, Edgar. Complexidade e ética da solidariedade. In: CASTRO, G. de; CARVALHO, E. De; ALMEIDA, M. C. de (Org.). Ensaios de complexidade. Porto Alegre: Sulina,1997.

OLIVEIRA, Maria Marly de. Sequência didática interativa. Petrópolis: Vozes, 2013.

TRINDADE, Diamantino Fernandes. O que é interdisciplinaridade? In: FAZENDA, Ivani Catarina Arantes (Org.). Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

UNIÃO MARISTA DO BRASIL. Projeto Educativo do Brasil Marista: nosso jeito de conceber a Educação Básica. Brasília, DF: Umbrasil, 2010.
Publicado
2020-11-23
Como Citar
Meinhardt Lopes, M. L., & Catalan do Amaral, . L. (2020). Sequências didáticas e possibilidades de uma prática pedagógica interdisciplinar. Caderno Marista De Educação, 10(1), e39611. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/index.php/caderno-marista-de-educacao/article/view/39611
Seção
Artigos