Board games

A gamificação e a interdisciplinaridade na construção de uma educação significativa

Palavras-chave: Board games., Sequência didática, interdisciplinaridade, gameficação

Resumo

A adolescência é um processo doloroso, no qual o indivíduo passa por mudanças corporais, comportamentais e sociais. Considerando essas transformações, frequentemente professores encontram um público desmotivado com as rotinas escolares e ávido por inovações. Buscando suprir as necessidades desses estudantes construiu-se a sequência didática Board Games: uma abordagem interdisciplinar. Alicerçados nas teorias sobre gameficação e educação, os professores do ensino fundamental anos finais do Colégio Marista Assunção desenvolveram propostas pedagógicas interdisciplinares com os estudantes de 7º ano. A partir dos board games, as turmas iniciaram o estudo de diversos conteúdos nucleares a fim de desenvolver habilidades e competências das quatro áreas do conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joicy Carvalho dos Santos, Colégio Marista Assunção, Porto Alegre, RS, Brasil

Graduada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil;
professora do Colégio Marista Assunção em Porto Alegre, RS, Brasil; educadora maker do AuLab – Assessoria
Pedagógica em Porto Alegre, RS, Brasil.

Camila Marchiori Sena, Colégio Marista Assunção, Porto Alegre, RS, Brasil

Mestra em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
(PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil; professora do Colégio Marista Assunção em Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

ALVES, Lynn; MINHO, Marcelle; DINIZ, Marcelo. Gamificação: diálogos com a educação. In: FADEL, Luciane et al. (org.). Gamificação na Educação. São Paulo: Pimenta Cultural, 2014. p. 74-121.

BUSARELLO, Raul; ULBRICHT, Vania. Gamificação em debate. In: SANTAELLA, Lucia et al. (org.). Narrativa e gamificação (sic), ou com quantos pontos se faz uma boa história? São Paulo: Blucher, 2018. v. 1, p. 67-82.

CAMPBELL, Joseph. O herói de mil faces. São Paulo: Cultrix, 1989.

COSENZA, Ramon; GUERRA, Leonor. Neurociência e educação. Porto Alegre: Artmed Editora, 2011.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1987.

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

KAPP, Karl. The Gamification of Learning and Instruction: Game-based Methods and Strategies for Training and Education. [S. l.]: Pfeiffer, 2012. https://doi.org/10.1145/2207270.2211316

KYPPO, Jorma. Jogos de tabuleiro: ao longo da história e dos espaços multidimensionais. NJ, EUA: World Scientific Publishing Co Inc; 2018.

MORIN, Edgard. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2005.

OLIMPIO, Eliana; MARCOS, Cristina Moreira. A escola e o adolescente hoje: considerações a partir da psicanálise. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 21, n. 3, p. 498-512, dez. 2015. Disponível em:http://pepsic.bvsalud.org/pdf/per/v21n3/v21n3a06.pdf. Acesso em: 02 dez. 2019. https://doi.org/10.5752/P.1678-9523.2015V21N3P498

UNIÃO MARISTA DO BRASIL — UMBRASIL. Tessituras do currículo Marista: matrizes curriculares de educação

básica: área de linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília, DF: União Marista do Brasil, 2016.

UMBRASIL. Projeto Educativo do Brasil Marista: nosso jeito de conceber a Educação Básica. Brasília, DF: União Marista do Brasil, 2010

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Carvalho dos Santos, J., & Marchiori Sena, C. (2020). Board games: A gamificação e a interdisciplinaridade na construção de uma educação significativa. Caderno Marista De Educação, 11(2), e39275. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/index.php/caderno-marista-de-educacao/article/view/39275
Seção
Relatos de Experiência