Práticas de liderança em tempos de isolamento social

reflexões e breves relatos de práticas bem sucedidas

Palavras-chave: educação, liderança, trabalho em equipe

Resumo

O papel das lideranças das organizações educacionais no contexto complexo da pandemia e do consequente isolamento social, exigiu práticas inusitadas e urgentes, de modo a garantir que todos os processos da organização funcionassem e a proposta de ensino e de aprendizagem alcançasse êxito. Importante destacar que uma organização não se constrói sem as pessoas que fazem a dinâmica dos processos se efetivarem. O desafio da gestão de pessoas foi significativamente ampliado nesse contexto. Alguns questionamentos nortearam as ações estratégicas das lideranças: como criar engajamento nas equipes de forma remota, por meios virtuais? Como é possível potencializar a comunicação e o relacionamento para criar proximidade com os diferentes públicos? Como dar direcionamento e cultivar o senso de propósito nos liderados? O objetivo deste artigo é possibilitar algumas reflexões sobre processos desencadeados no ambiente remoto das atividades escolares, sobre as experiências vivenciadas e tecer breves relatos de práticas que se mostraram bem sucedidas em ambiente remoto, no que tange ao alcance, à mobilização e à criação de engajamento de todos os segmentos da comunidade escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marisa Albertina Crivelaro da Silva, Colégio Marista Sant’Ana, Uruguaiana, RS, Brasil.

Mestre em educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil; diretora do Colégio Marista Sant´Ana, em Uruguaiana, RS, Brasil.

Referências

CAMPOS, Vicente Falconi. Gerenciamento da rotina do trabalho do dia-a-dia. Nova Lima: INDG Tecnologia e Serviços Ltda., 2004.

CHARAN, Ram. O líder criador de líderes / Ram Charan; tradução Cristina Yamagami. – Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

DELORS, Jacques et al. Educação, um tesouro a descobrir. Relatório da comissão internacional sobre educação para o século XXI. Lisboa: Edições Asa, 1996.

ERVILHA, A. J. Limão. Liderando Equipes para otimizar. São Paulo: Saraiva, 2012.

ESTEVE, José M. A terceira revolução educacional: a educação na sociedade do conhecimento. São Paulo: Moderna, 2004 (Coleção educação em pauta).

FORNI, João José. Gestão de Crises e Comunicação: o que gestores e profissionais de comunicação precisam saber para enfrentar crises corporativas. – 3. Ed.- São Paulo: Atlas, 2020.

HARARI, Yuval Noah. 21 lições para o século XXI. Tradução Paulo Geiger. 1.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

LI, Charlene. Liderança aberta: como as mídias sociais transformam o modo de liderarmos. São Paulo: Évora, 2011.

PERRENOUD, Philippe. Ensinar: agir na urgência, decidir na incerteza. 2. ed. Porto Alegre: ArtMed, 2001.

SENGE, Peter M. A quinta disciplina: arte e prática da organização que aprende. 16. ed. São Paulo: Best Seller, 2004.

SOCIEDADE BÍBLICA CATÓLICA INTERNACIONAL e EDIÇÕES PAULINAS, S. Paulo, Brasil, 1990.

WILLINK, Jocko. A dicotomia da liderança: como equilibrar os desafios da responsabilidade extrema para liderar e vencer. Rio de Janeiro: Atlas Books, 2019.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Crivelaro da Silva, M. A. (2020). Práticas de liderança em tempos de isolamento social: reflexões e breves relatos de práticas bem sucedidas. Caderno Marista De Educação, 11(2), e39269. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/index.php/caderno-marista-de-educacao/article/view/39269
Seção
Artigos