Dependência epistêmica, testemunho e gettierização

J.R. Fett

Resumo


O objetivo deste ensaio é examinar a proposta de Sandy Goldberg, segundo a qual há divisão de trabalho epistêmico em certos processos de aquisição de conhecimento – ao menos em se tratando de conhecimento testemunhal.  Goldberg propõe mostrar a veracidade desta alegação salientando a nossa dependência epistêmica em relação a outros indivíduos, ou mesmo comunidades inteiras. Nós, então, vamos propor o tratamento de um famoso caso tipo-Gettier que, segundo Gilbert Harman, revelaria algumas dimensões sociais do conhecimento. Por fim, nós esperamos tirar algumas lições da explicação oferecida por Goldberg, dentre as quais a mais importante a ser tomada é que, havendo tal divisão de trabalho epistêmico em processos de aquisição de conhecimento, muitas vezes, não são apenas as propriedades epistêmicas do sujeito que determinam a sua posse de conhecimento ou ignorância, de modo que o conhecimento é mais social do que individual em se tratando de uma ampla gama de casos.

Palavras-chave


Dependência Epistêmica; Testemunho; Gettierização; Sandy Goldberg; Gilbert Harman

Texto completo:

PDF

Referências


AUDI, R. The Place of Testimony in the Fabric of Justification and Knowledge. American Philosophical Quarterly, 34: 405–422, 1997.

BECKER, K. Epistemology Modalized. New York: Routledge, 2007.

FELDMAN, R. & CONEE, E. Internalism Defended. American Philosophical Quarterly 38 (1):1 – 18, 2001.

GOLDBERG, S. Relying on Others: An Essay in Epistemology. Oxford: Oxford University Press, 2010.

GOLDBERG, S. The Division of Epistemic Labor. Episteme 8 (1):112–125, 2011.

GOLDMAN, A. Discrimination and perceptual knowledge. Journal of Philosophy 73: 771–791, 1976.

HARMAN, G. Thought. Princeton: Princeton University Press, 1973.

HETHERINGTON, S. Gettier problems. Internet Encyclopedia of Philosophy, 2005.

KLEIN, P. Certainty: a Refutation of Scepticism. University of Minnesota Press, 1981.

KLEIN, P. What Makes Knowledge the Most Highly Prized Form of True Belief. In: Becker, K.; Black, T. The Sensitivity Principle in Epistemology. Cambridge: Cambridge University Press, 152–169, 2012.

LACKEY, J. Learning from Words: Testimony as a Source of Knowledge. Oxford: Oxford University Press, 2008.

NOZICK, R. Philosophical Explanations. Harvard University Press, 1981.

PRITCHARD, D. Epistemic Luck. New York: Oxford University Press, 2005.

PRITCHARD, D. Anti-Luck Virtue Epistemology. Journal of Philosophy, 109, (3), pp. 247-279, 2012.

SOSA, E. How to defeat opposition to Moore. Philosophical Perspectives, 13, pp. 137- 149, 1999a.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-6746.2019.3.34636



ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


ISSN-L: 0042-3955 | e-ISSN: 1984-6746


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada. Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS