RECONTEXTUALIZAÇÕES DO –ISMO: Disputas em torno do jornalismo "em crise"

Nuno Manna, Phellipy Jácome, Thiago Ferreira

Resumo


Este artigo tem por objetivo problematizar, através de um exercício historicizante, a ideia de uma “crise” do jornalismo diagnosticada por vários autores e agentes midiáticos contemporâneos. Para tanto, nos dedicamos a compreender e a inquerir uma série de discursos autorreferentes buscando, num primeiro momento, traçar as características desse “contexto de crise”. Como perceberemos, elas partem de um regime de crenças moderno que, sob a tutela de um –ismo, almeja delimitar as fronteiras do exercício jornalístico, a partir de um conjunto de valores, institucionalidades, que estariam, agora, sofrendo uma série de questionamentos e reiterações. Em seguida, analisamos algumas das respostas – advindos de mídias de “referência” e “alternativas” – que nos permitem perceber que concepções de jornalismo são atualizadas nesse contexto, e de que maneira diferentes agentes da mídia informativa reivindicam um lugar nessa recontextualização.


Palavras-chave


Jornalismo; crise; contexto

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Afonso de. A modernização autoritária do jornalismo brasileiro. Revista Alceu, Rio de Janeiro, v. 10, n. 20, p. 100-115, jan./jun. 2010.

ALBUQUERQUE, Afonso de; GAGLIARDI, Juliana.The copy desk and the dilemmas of the institutionalization of the “modern journalism” in Brazil. Journalism Studies, London, v. 12, p. 80-91, 2011. https://doi.org/10.1080/1461670X.2010.511956

ALCIDES, Jota. O papel do jornal. Observatório da Imprensa, São Paulo, n. 841, 10 mar. 2015. Disponível em: http://observatoriodaimprensa.com.br/imprensa-em-questao/_ed841_o_papel_do_jornal Acesso em: mai. 2015.

ALMIRON, Núria. Journalism in crisis: corporate media and financialization. Cresskill: Hampton Press, 2010.

ANDERSON, Christopher. W.; BELL, Emily; SHIRKY, Clay. Jornalismo pós-industrial. Revista de Jornalismo da ESPM, São Paulo, n. 5, p. 30-89, abr./jun. 2013. Disponível em: http://www.espm.br/download/2012_revista_jornalismo/Revista_de_Jornalismo_ESPM_5/files/assets/common/downloads/REVISTA_5.pdf. Acesso em: 1 dez. 2016.

BABREU, Alzira Alves. A modernização da imprensa: 1970-2000. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

BARBOSA, Marialva. História cultural da imprensa: Brasil, 1900-2000. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

CHALABY, Jean K. Journalism as an anglo-american invention: a comparison of the development of french and anglo-american journalism, 1830s-1920s. European Journal of Communication, Thousand Oaks, v. 11, n. 3, p. 303-326, set. 1996. https://doi.org/10.1177/0267323196011003002

DAHLGREN, Peter. The troubling evolution of journalism. In: ZELIZER, Barbie (org.). The changing faces of journalism: tabloidization, technology and truthyness. New York: Routledge, p. 146-160, 2009.

DAHLGREN, Peter. Trazando la evolución del periodismo: el horizonte de la democracia. Revista Iberoamericana de Comunicación Infoamérica, Málaga, n. 2, p. 21-38, jan./abr. 2010

DINES, Alberto. O papel do jornal: tendências da comunicação e do jornalismo no mundoem crise. Rio de Janeiro: Artenova, 1974.

FERREIRA, Thiago. Mídia Ninja e juventude: corpos e afetos na disputa política e nas narrativas audiovisuais. In: JESUS, Eduardo; TRINDADE, Eneus; JANOTTI Jr., Jéder; ROXO, Marco (org.). Reinvenção comunicacional da política: modos de habitar e desabitar o século XXI. Salvador: EDUFBA; Brasília: Compós, p. 129-145, 2016.

FULLER, Jack. What is happening to news: the information explosion and the crisis in journalism. Chicago: University of Chicago Press, 2010. https://doi.org/10.7208/chicago/9780226268996.001.0001

GILLMOR, Dan. The end of objectivity. 20 Jan. 2005. Disponível em: http://dangillmor.typepad.com/dan_gillmor_on_grassroots/2005/01/the_end_of_obje.html. Acesso em: 4 dez. 2016.

GOMES, Itania e outros. Porque o jornalismo faz rir: matrizes midiáticas do programa Sensacionalista, do Multishow. In: LISBOA FILHO, Flavi Ferreira; BAPTISTA, Maria Manuel (org.). Estudos culturais e interfaces: objetos, metodologias e desenhos de investigação. Universidade de Aveiro, Programa Doutoral em Estudos Culturais. Santa Maria: UFSM, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, 2016.

GROSSBERG, Lawrence. Cultural studies in the future tense. Durham and London: Duke University Press, 2010.

GRUPO O Globo. Disponível em: http://g1.globo.com/principios-editoriais-do-grupo-globo.html. Acesso em: 30 abr. 2010.

JÁCOME, P.; LEAL, B. S. ; MANNA, Nuno . Mudar para permanecer o mesmo: marcas de um discurso de autolegitimação jornalística na história. Galáxia (São Paulo. Online), v. 1, p. 149-162, 2017.

JOBIM, Danton. French and U.S. influences upon the latinamerican press. Journalism Quarterly, v.31. n. 1, p. 61-66, dez. 1954.

JORNALISTAS LIVRES. Quem Somos. Disponível em: https://jornalistaslivres.org/quem-somos. Acesso em: 06 de fev. 2017.

KAPLAN, Richard Lee. Politics and the American Press: the rise of objectivity, 1865-1920. Cambridge: Cambridge University Press, 2002.

__________________.The origins of objectivity in american journalism. In: ALLAN, Stuart (org.). The Routledge Companion to News and Journalism. London: Routledge, 2010. p. 25-37.

KOVACH, Bill; ROSENSTIEL, Tom. Os elementos do jornalismo: o que os jornalistas devem saber e o público exigir. 2. ed. São Paulo: Geração Editorial, 2004.

LAGE, Nilson Lemos; FARIA, Tales; RODRIGUES, Sérgio. Diário Carioca: o primeiro degrau para a modernidade. Estudos em Jornalismo e Mídia: Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 132-144, 2004.

LISBOA FILHO, Flavi Ferreira; BAPTISTA, Maria Manuel (org.). Estudos culturais e interfaces: objetos, metodologias e desenhos de investigação. Aveiro: Universidade de Aveiro, Programa Doutoral em Estudos Culturais. Santa Maria: UFSM, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, 2016.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: UFRJ, 2008.

MÍDIA NINJA. Quem somos. Disponível em: https://ninja.oximity.com/partner/ninja/about. Acesso em 06 de fev. 2017.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Crise nos paradigmas do jornalismo. Observatório da Imprensa, São Paulo, 21 ago. 2002. Disponível em: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/da210820022.htm. Acesso em: 01 fev. 2014.

NERONE, John. The historical roots of the normative model of journalism. Journalism, Thousand Oaks, v.14, n.4, p. 446-458, 2013.

_____________.The journalism tradition. In: EADIE, Wilian F. 21st Century Communication: a reference handbook. Thousand Oaks: Sage, p. 31-38, 2009.

NOBLAT, Ricardo. A arte de fazer um jornal diário. São Paulo: Contexto, 2008.

O JORNAL do futuro. Direção Fernando Andrade. Trilha, Edição e Mixagem de Som: B, A, START!. São Paulo: Spray Filmes, 2010. (18 min), som., color., arquivo digital.

OXIMITY. Perfil Mídia Ninja no Oximity. Disponível em: https://ninja.oximity.com/partner/ninja/about. Acesso em: 6 fev. 2017.

PORTAL IMPRENSA. Mídia Ninja ultrapassa grandes veículos em engajamento no Facebook. Disponível em: http://portalimprensa.com.br/noticias/brasil/78276/midia+ninja+ultrapassa+grandes+veiculos+em+engajamento+no+facebook. Acesso em: 26 abr. 2017.

Redação Portal Imprensa. Mídia Ninja ultrapassa grandes veículos em engajamento no Facebook. 9 set. 2016. Disponível em: http://portalimprensa.com.br/noticias/brasil/78276/midia+ninja+ultrapassa+grandes+veiculos+em+engajamento+no+facebook.Acesso em: 26 abr. 2017.

RIBEIRO, Ana Paula Goulart. Imprensa e história no Rio de Janeiro dos anos 50. Rio de Janeiro: E-papers, 2007.

ROSEN, Jay. Para além da objectividade. Revista de Comunicação e Linguagens, Lisboa, n. 27, 2003.

SANT’ANNA, Lourival. O destino do jornal: a Folha de S. Paulo, O Globo e O Estado de São Paulo na sociedade da informação. Rio de Janeiro: Record, 2008.

SCHILLER, Dan. Objectivity and the news: the public and the rise of commercial journalism. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1981.

SCHLESINGER, Philip. Is there a crisis in british journalism? Media, Culture & Society, London,v. 28, n. 2, p. 299-307, mar., 2006.

SCHUDSON, Michael. Descobrindo a notícia. Uma história social dos jornais nos Estados Unidos. Petrópolis: Vozes, 2010.

______.The objectivity norm in american journalism. Journalism, Thousand Oaks, v. 2, n. 2, p.149-170, 2001.

STARR, Paul. An unexpected crisis: the news media in postindustrial democracies.International Journal of Press/Politics, v. 17, n. 2, p. 1-9, fev., 2012.

YOUNG, Sally. The Journalism “crisis”: is Australia immune or just ahead of its time? Journalism Studies, London, v. 11, n. 4, p. 610-624, mar. 2010. https://doi.org/10.1080/14616701003638517

ZELIZER, Barbie. Public spheres, imagined communities, and the underdeveloped historicalunderstanding of journalism. In: ZELIZER, Barbie (org.). Explorations in communicationand history. New York: Routledge, p. 181-189, 2008.

ZELIZER, Barbie. Why journalism’s changing faces matter. In: ZELIZER, Barbie (org.). The changing faces of journalism: tabloidization, technology and truthyness. New York: Routledge, p. 1-10, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-3729.2017.3.26991

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Métricas por PLOS ALM. Dados disponíveis somente após 12/2014.



 


 This journal is a member of, and subscribes to the principles of, the Committee on Publication Ethics (COPE) http://www.publicationethics.org

 


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.


ISSN-L: 1415-0549 | e-ISSN: 1980-3729 | Copyright: © 2017 EDIPUCRS

Avaliação do Qualis CAPES | ÁREA CAPES - Comunicação e Informação | CLASSIFICAÇÃO - A2

REVISTA FAMECOS: publicação do Programa de Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PPGCOM/PUCRS
Av. Ipiranga, 6681, Prédio 7 | Bairro Partenon - CEP: 90619-900 | Porto Alegre, RS, Brasil
tel/fax: 55 51 3320.3658
e-mail: revistadafamecos@pucrs.br

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS