Rastros digitais sob a perspectiva da teoria ator-rede

Fernanda Bruno

Resumo


Um volume expressivo de rastros de nossas ações é gerado, monitorado e tratado cotidianamente na internet constituindo imensos arquivos sobre nossos modos de vida. Estes rastros digitais vêm sendo apropriados por diversos campos: vigilância, publicidade, entretenimento, serviços, etc. Eles também vêm sendo valiosa fonte de pesquisa nas ciências humanas e sociais. O valor desses rastros está atrelado ao conhecimento que possibilitam e há, neste domínio, uma série de embates. Este artigo confronta dois modelos de conhecimento, os quais têm implicações diferenciadas para uma política dos rastros digitais. O primeiro, vigente nos aparatos comerciais e policiais, concebe o rastro como evidência atrelada ao indivíduo e/ou a padrões comportamentais. O segundo, objeto maior de nosso interesse e inspirado na teoria ator-rede, entende os rastros como inscrições de ações que permitem descrever a formação de coletivos sociotécnicos.

Palavras-chave


Rastros digitais; teoria ator-rede; conhecimento

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Chris. The end of theory: the data deluge makes the scientific method obsolete. Wired Magazine, 2008.

BRUNO, Fernanda. Dispositivos de vigilância no ciberespaço: duplos digitais e identidades simuladas. Revista Fronteira, VIII, 2006.

______. Monitoramento, classificação e controle nos dispositivos de vigilância digital. Revista FAMECOS, Porto Alegre, v. 15, n. 36, 2008.

FREUD, Sigmund. O Moisés de Michelângelo. Obras Completas. Rio de Janeiro: Imago, v. XII, 1970.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

LATOUR, Bruno. Changer de société, refaire la sociologie. Paris: La Découverte, 2007.

______. On Technical Mediation: Philosophy, Sociology and Genealogy). Common Knowledge, v. 3, n. 2, pp. 29-64, 1994.

______. Por uma antropologia do centro. Mana, v. 10, n. 2, 2004.

LAW, John; HASSARD, John. (Org.). Actor Network and After. Oxford: Blackwell, 1999.

MORAES, Marcia. O conceito de rede na filosofia mestiça. Revista Informare, v. 6, n. 1, 2000.

SERRES, Michel. O contrato natural. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1991.

VENTURINI, Tommaso; LATOUR, Bruno. Le tissu social: traces numériques et méthodes quali-quantitatives, 2010. Disponível em: http://www.tommasoventurini.it/web/uploads/tommaso_venturini/LeTissuSocial.pdf




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-3729.2012.3.12893

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Métricas por PLOS ALM. Dados disponíveis somente após 12/2014.



 


 This journal is a member of, and subscribes to the principles of, the Committee on Publication Ethics (COPE) http://www.publicationethics.org

 


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.


ISSN-L: 1415-0549 | e-ISSN: 1980-3729 | Copyright: © 2017 EDIPUCRS

Avaliação do Qualis CAPES | ÁREA CAPES - Comunicação e Informação | CLASSIFICAÇÃO - A2

REVISTA FAMECOS: publicação do Programa de Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PPGCOM/PUCRS
Av. Ipiranga, 6681, Prédio 7 | Bairro Partenon - CEP: 90619-900 | Porto Alegre, RS, Brasil
tel/fax: 55 51 3320.3658
e-mail: revistadafamecos@pucrs.br

Copyright: © 2006-2018 EDIPUCRS