Uma Nota Sobre o Ruído: A teoria da ação comunicativa como crítica a uma interpretação cibernética

Estevan de Negreiros Ketzer

Resumo


O artigo desenvolve um delineamento epistemológico sobre a articulação da teoria da ação comunicativa diante das considerações de um estado cibernético que aflora na primeira metade do século XX. A teoria da ação comunicativa problematiza a noção de sujeito e contradiz os modelos cibernéticos ao propor uma leitura que seja ao mesmo tempo racional e articulada com as demandas sociais. Desse modo a crítica a cientificidade dos modelos estatais compreende também uma crítica aos modelos de mente que a psicologia inaugura, os quais Habermas argumenta como instrumentais. Assim, enterder-se-á como primeiro elemento de contato com a ação comunicativa um ordenador na ética das relações sociais, o que possibilita o bom desempenho de políticas sociais mais igualitárias.

Palavras-chave


conhecimento; ação comunicativa; subjetividade; cibernética.

Texto completo:

PDF () PDF


e-ISSN: 1984-4301

Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional , que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.