Brasil e Uruguai: influências e aproximações no campo intelectual educacional

Eduardo Arriada, Caroline Braga Michel, Gabriela Medeiros Nogueira

Resumo


No Brasil, nos anos finais do século XIX, como nas primeiras décadas do XX, é possível evidenciar aproximações com os modelos internacionais nos mais diversos campos: econômico, social, político, cultural, educacional. Considerando que muitos intelectuais de Pelotas tiveram um papel ativo na divulgação de um ideário educacional na cidade, tem-se como objetivo neste texto discutir os itinerários de formação desses intelectuais, as redes de sociabilidades que engendraram suas projeções, bem como a influência que receberam de autores uruguaios. Cabe salientar que, pautados no campo da história da educação, compreende-se como intelectual o sujeito que das mais variadas formas preocupava-se em divulgar, discutir e propor projetos educacionais, seja por meio de redes de sociabilidades, seja por conferências, cursos, artigos jornalísticos. Para tanto, foram pesquisados elementos das trajetórias desses intelectuais a partir do acesso de diversos exemplares que compunham seus acervos.


Palavras-chave


História da educação. Uruguai. Pelotas (Rio Grande do Sul). Intelectuais.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMANAQUE DE PELOTAS. Direção Ferreira & C. Pelotas, 1916.

ALMANAQUE DE PELOTAS. Direção Ferreira & C. Pelotas, 1918.

ALMANAQUE DE PELOTAS. Direção de F. Paradeda. Pelotas, 1933.

ARAÚJO, Orestes. Historia de la Escuela Uruguaya. Montevideo: Imp. El Siglo Ilustrado, 1911.

BORGES, Luis. O projeto cívico-pedagógico de João Simões Lopes Neto. Pelotas: Editora da Universidade Federal de Pelotas, 2009 [Dissertação de Mestrado].

BRALICH, Jorge. Breve historia de la educación en el Uruguay. Montevideo: Ediciones del Nuevo Mundo, 1987.

CAETANO, Gerardo. La República Batllista. Tomo 1. Ciudadanía, republicanismo y liberalismo en Uruguay (1910-1933). Montevideo: Ediciones de la Banda Oriental, 2011.

CAMPOS, Humberto de. Fragmentos de um diário. São Paulo: Editora Mérito, 1962.

CARVALHO, Marta M. Chagas de Carvalho. A escola e a República. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.

CELLARD, André. A análise documental. In: POUPART, Jean et. al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2010.

DEVOTO, Juan E. Pivel; DEVOTO, Alcira Ranieri de Pivel. Historia de la Republica del Uruguay (1830-1930). 2. ed. Montevideo: Editorial Medina, 1956.

DINIZ, Carlos Sica. João Simões Lopes Neto, uma biografia. Porto Alegre: AGE, 2003.

GREISSING, Carolina. Conflictos y tensiones en el debate por la educación durante el Centenario (1910-1934). In: CAETANO, Gerardo. Los uruguayos del Centenario: nación, ciudadanía, religión y educación (1910-1930). Montevideo: Ediciones de la Banda Oriental, 2000.

MARLETTI, Carlo. Intelectuais (verbete). In: BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de Política. 4. ed. Brasília: Universidade de Brasília, 1992.

MICHEL, Caroline B.; ARRIADA, Eduardo. Uma missão pedagógica ao Uruguai em 1913: uma leitura sob a ótica do jornal A Federação. In: Anped Sul , X., 2013, Florianópolis, SC. Anais... Florianópolis: Udesc, 2013. p. 1-19. Disponível em: . Acesso em: 03 jan. 2017.

MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio; GONDRA, José Gonçalves. (Org.). Viagens pedagógicas. São Paulo: Cortez, 2007.

MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio. Viajar para legitimar: Armanda Álvaro Alberto na Comissão de Intercâmbio Brasil- Uruguai (1931). In: Revista Brasileira de História da Educação, Campinas (SBHE/Autores Associados), n. 22, jan./abr. 2010.

MUNICÍPIO DE PELOTAS. Relatório apresentado ao Conselho Municipal em 20 de setembro de 1911, pelo intendente José Barboza Gonçalves. Pelotas: Of. do Diário Popular, 1911.

NAGLE, Jorge. Educação e sociedade na Primeira República. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

NAHUM, Benjamín. Breve historia del Uruguay independiente. Montevideo: Ediciones de la Banda Oriental, 2013.

ODDONE, Juan A. A formação do Uruguai moderno (1870-1930). In: BETHELL, Leslie (Org.). História da América Latina. De 1870 a 1930. São Paulo: Edusp, 2008. v. 5. OLIVEIRA, Lúcia Lippi de. A questão nacional na Primeira República. São Paulo: Brasiliense, 1990.

OSÓRIO, Fernando Luiz. Tiro brasileiro. Discurso proferido no ato da posse de presidente do Tiro Brasileiro de Pelotas, nº 31 da Confederação, em 2 de janeiro de 1916. Pelotas: Typ. do Diário Popular, 1916.

OSÓRIO, Fernando Luiz. Funcção hodierna das bibliothecas populares. Conferência inaugural da série de palestras com o povo, organizada pela Biblioteca Pública Pelotense. Pelotas: Typ. da Livraria Universal, 1920.

OSÓRIO, Fernando Luiz. O encanto dos salões: sua influência literária, artística, social e moral. O dom da raça. A sociedade rio-grandense. Linha-ideal de Pelotas. Pelotas: Livraria do Globo, 1931.

OSORIO, Joaquim Luis. Relatório [da] Sociedade de Tiro Brasileiro de Pelotas, nº 31 da Confederação de Tiro Brasileiro. Pelotas: Livraria Universal de Echenique & C., 1910 (impr. a vapor).

PALOMEQUE, Agapo Luis. La educación primaria entre 1886 y 1900. In: PALOMEQUE, Agapo Luis (Org.) Historia de la educación uruguaya: la educación uruguaya 1886-1930. Montevidéu: Ediciones de La Plaza, 2012. p. 25-58. (Colección Ensayos, 3).

PERES, Eliane. A escola graduada no Rio Grande do Sul no início do século XX: a implantação de um novo modelo e de uma nova cultura escolar. In: VIDAL, Diana Gonçalves; SCHWARTZ, Cleonara Maria (Org.). História das culturas escolares no Brasil. Vitória: Edufes, 2010.

RELATÓRIO apresentado ao Sr. Dr. A. A. Borges de Medeiros, presidente do Estado do Rio Grande do Sul, pelo Dr. Protásio Antônio Alves, secretário de Estado dos Negócios do Interior e Exterior. Em 8 de setembro de 1913. Porto Alegre: Officinas Graphicas da Livraria do Globo, 1913.

REVERBEL, Carlos. Um capitão da Guarda Nacional. Vida e obra de J. Simões Lopes Neto. Porto Alegre: Martins Livreiro, 1981.

ROCHA, Artur Pinto da. João Simões (Serafim Bemol). A Opinião Pública, Pelotas, 13 jul. 1916.

ROSA, Abadie Farias. Pelotas de Agora. In: Almanach de Pelotas. Pelotas: Gráfica do Diário Popular, 1918. p. 180.

SOUZA, Marcos Alves de. A cultura política do “batllismo” no Uruguai (1903-1958). São Paulo: Annablume, Faspesp, 2003.

SOUZA, Rosa Fátima de. História da organização do trabalho escolar e do currículo no século XX (ensino primário e secundário no Brasil). São Paulo: Cortez, 2008.

VELLINHO, Moysés. A carreira póstuma de Simões Lopes Neto. Ensaios literários. Carlos Alexandre Baumgarten (Org.). Porto Alegre: IEL/Corag, 2001.

VIEIRA, Carlos Eduardo. Erasmo Pilotto: identidade, engajamento político e crenças dos intelectuais vinculados ao campo educacional brasileiro. In: LEITE, Juçara Luzia; ALVES, Cláudia (Org.). Intelectuais e história da educação no Brasil: poder, cultura e políticas. Vitória: Sociedade Brasileira de História da Educação/Universidade Federal do Espírito Santo,




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2018.2.31936

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS