O problema da relação todo-partes na lógica da essência de Hegel

Palavras-chave: Relação. Todo. Partes. Condição. Antinomia.

Resumo

O objetivo do meu artigo é apresentar a relação todo-partes no contexto da Doutrina da Essência (1813) de Hegel. Depois de ter indicado sucintamente a variedade de contextos em que essa relação ainda está debatida hoje em dia, tanto fora como dentro da interpretação da filosofia hegeliana, analisarei o contexto específico da primeira subdivisão (A.) do terceiro capítulo (“A relação essencial”) da segunda seção (“O aparecimento”) da obra referida, analisando o argumento do texto e contextualizando o significado da Observação anexa. A relevância deste ensaio consiste em promover uma compreensão precisa de um par conceitual usado muitas vezes como um passe-partout hermenêutico para defender ou combater a filosofia de Hegel com base na suposta defesa hegeliana da primazia do todo sobre as partes. A tese (negativa) da lógica da essência é que tanto a primazia das partes sobre o todo como a primazia do todo sobre as partes são posições insustentáveis. Por fim, o argumento para essa tese envolverá um exame contextual da segunda antinomia da Crítica da Razão Pura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Federico Orsini, Universidade Federal de Lavras (UFLA), Lavras, MG
Professor Visitante na Universidade Federal de Lavras (UFLA, Lavras, MG, Brasil).

Referências

ADORNO, T.W. Skoteinos oder Wie zu lesen sei. In: Drei Studien zu Hegel (1963). Gesammelte Schriften. Band 5. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1970.

ARANTES, P. Hegel. A ordem do tempo. Tradução de Rubens Rodrigues Torres. São Paulo: Editora Hucitec, 2000.

BECKENKAMP, J. Ceticismo e Idealismo alemão. Com a tradução do texto de Hegel “Relação do ceticismo com a filosofia” (1802). Edições Loyola: 2019.

BIARD, J. et al. Introduction à la lecture de la Science de la logique de Hegel. II La Dcotrine de l’essence. Paris: Aubier Montaigne, 1983. p. 246-256.

BERTO, F., PLEBANI, M. Ontology and Metaontology: A Contemporary Guide. Bloomsbury Academic: 2015.

BRANDOM, R. Articulating Reasons. An Introduction to Inferentialism. Harvard University Press, 2001.

CHIEREGHIN, F. Il Parmenide di Platone alle origini della dialettica hegeliana, Verifiche, v. XXIV, n.3-4, 1995, pp.243-271.

CORTI, L. Ritratti hegeliani. Un capitolo della filosofia americana contemporanea. Roma: Carocci, 2014.

FERRARIN, A. Hegel and Aristotle. Cambridge: Cambridge University Press, 2001. https://doi.org/10.1017/CBO9780511498107

FERRARIN, A. Il pensare e l’io. Hegel e la critica di Kant. Roma: Carocci, 2016.

HEGEL, G.W.F. Das Verhältnis des Skeptizismus zur Philosophie. In: Werke in zwanzig Bänden (=W). MOLDENHAUEr E., Michel M. (org.). Band 2. Jenaer Schriften, pp. 213-272. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1969.

HEGEL, G.W.F. Enciclopédia das Ciências Filosóficas em Compêndio (1830). Tradução de Paulo Meneses. São Paulo: Edições Loyola, 1995. Vol. 1. Ciência da Lógica.

HEGEL, G.W.F. Ciência da Lógica. 1. A Doutrina do Ser. Petrópolis: Vozes, 2016.

HEGEL, G.W.F. Ciência da Lógica. 2. A Doutrina da Essência. Petrópolis: Vozes, 2017.

HEIDEMANN, D. Die Lehre vom Wesen. Zweiter Abschnitt. Die Erscheinung. In: QUANTE, Michael, MOOREN, Nadine (Hgg.). Kommentar zu Hegels Wissenschaft der Logik. Hegel-Studien, Beiheft 67. Hamburg: Meiner, 2018, p. 325-386.

IBER, C. Metaphysik absoluter Relationalität. Eine Studie zu den beiden ersten Kapiteln der Wesenslogik. De Gruyter: 1990. https://doi.org/10.1515/9783110872866

JARCZYK, G. Monisme oui, monisme non. In: HEGELIANA, P.J.; LABARRIÈRE, Jarczyk, G. (org.) Paris: PUF, 1986. p. 347-361.

KREINES, J. Reason in the World. Hegel’s Metaphysics and Its Philosophical Appeal. London-New York: Oxford University Press, 2015. https://doi.org/10.1093/acprof:oso/9780190204303.001.0001

ORSINI, F. “Donde vêm os múltiplos? A análise do uno na lógica do ser para si. In: BAVARESCO, A; PERTILLE, J.; MIRANDA, L.M.; TAUCHEN, J. (org.).Leituras da Lógica de Hegel. Porto Alegre: Editora Fi, 2017, p. 163-182.

PIPPIN, R. Hegel’s Realm of Shadows. Logic as Metaphysics in the Science of Logic. Cambridge: Cambridge University Press, 2019. https://doi.org/10.7208/chicago/9780226588841.001.0001

SCHÄFER, R. Die Dialektik und ihre besondere Formen in Hegels Logik. Hegel-Studien. Beiheft 45. Hamburg: Meiner, 2001.

SCHMIDT, K. Georg W.F. Hegel. Wissenschaft der Logik – Die Lehre vom Wesen. Ein einführender Kommentar. Paderborn, München, Wien, Zürich: Ferdinand Schöningh, 1997.

WINFIELD, R.D. Hegel’s Science of Logic. A Critical Rethinking in Thirty Lectures. New York: Rowman&Littlefield. 2012.

Publicado
2020-05-15
Como Citar
Orsini, F. (2020). O problema da relação todo-partes na lógica da essência de Hegel. Veritas (Porto Alegre), 65(1), e34836. https://doi.org/10.15448/1984-6746.2020.1.34836