Liberdade e proximidade em Levinas

  • Paulo César Nodari

Resumo


O objetivo deste artigo é mostrar que a concepção de liberdade situa-se no rol da crítica levinasiana à ontologia ocidental e no cenário da ética como filosofia primeira. Levinas concebe, então, a liberdade como acolhimento do Outro. A liberdade deve cessar de manter-se na certeza solitária da supremacia do Mesmo sobre o Outro. Assim, Levinas distancia-se da ontologia e recorre à proximidade não como estado de consciência que conceitua, mas como relação proximal que clama por justiça e responsabilidade.
PALAVRAS-CHAVE – Levinas. Liberdade. Proximidade. Ética. Ontologia. Justiça. Outro.
ABSTRACT
The aim of this article is show that the conception of freedom lies in the roll of levinasian’s critique on the occidental ontology and on the scenery of ethics as first philosophy. Levinas conceives freedom as reception of Other. The freedom must cease maintaining on the solitary certainty of the Same’s supremacy above Other. Consequently Levinas distances himself from the ontology and runs over the proximity not as state of conscience that judges but as proximate relation that claims for justice and responsability.
KEY WORDS – Levinas. Freedom. Proximity. Ethics. Ontology. Justice. Other.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2006-08-30
Como Citar
Nodari, P. C. (2006). Liberdade e proximidade em Levinas. Veritas (Porto Alegre), 51(2). https://doi.org/10.15448/1984-6746.2006.2.1848