Negritude e infância: relações étnico-raciais em situação lúdica estruturada

  • Marcella Padilha Dantas da Silva Universidade de Brasília
  • Angela Uchoa Branco Universidade de Brasília
Palavras-chave: negritude, identidade negra, crianças, desenvolvimento do self.

Resumo

As relações étnico-raciais no Brasil são permeadas pelo preconceito, que se torna visível nas desigualdades socioeconômicas, porém velado nas interações sociais. A partir do referencial sociocultural e da concepção dialógica do self, este trabalho objetiva investigar interações sociais entre meninas negras e brancas em contexto lúdico estruturado. O trabalho foi realizado com oito meninas de 09 a 11 anos, em uma escola pública de Brasília. Em sessões estruturadas, as interações de quatro meninas em dois grupos do quinto ano fundamental, duas “negras” e duas “brancas”, foram filmadas durante 30 minutos, utilizando brinquedos que poderiam evocar a questão racial. Três sessões foram realizadas para cada grupo, e um episódio de cada foi selecionado para análise microgenética. Os resultados apontam para a internalização precoce de padrões de beleza que desvalorizam traços fenotípicos da negritude, criando dificuldades para as meninas negras em sua constituição positiva de si.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcella Padilha Dantas da Silva, Universidade de Brasília
Marcella Padilha é graduada em Psicologia pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL); Mestranda (Apoio CAPES) no Programa de Pós-Graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, vinculado ao Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília (UnB). Investiga processos identitários de crianças e jovens no contexto das relações étnico-raciais.
Angela Uchoa Branco, Universidade de Brasília
Angela Branco é professora associada do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília desde 1987. Realizou se doutorado na USP-SP e pós-doutorado na University of North Carolina e Duke University nos EUA. Investiga questões do desenvolvimento humano na perspectiva Sociocultural Construtivista. Coordena desde 1995 o Laboratório de Microgênese nas Interações Sociais (LABMIS) e trabalha no Programa de Pós-Graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde desde sua criação.
Publicado
2011-01-12
Como Citar
da Silva, M. P. D., & Branco, A. U. (2011). Negritude e infância: relações étnico-raciais em situação lúdica estruturada. Psico, 42(2). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/6516
Seção
Artigos