Devolução dos resultados de pesquisa em psicologia para os respectivos participantes

Palavras-chave: psicologia, ética em pesquisa, comunicação e divulgação científica, tradução de conhecimento, validade de impacto

Resumo

A devolução de resultados para participantes é um dever ético em pesquisa. Objetivou-se identificar as práticas adotadas pelas(os) pesquisadoras(es) brasileiras(os) em psicologia para devolução dos resultados de pesquisa para as(os) respectivas(os) participantes. Realizou-se uma pesquisa online, da qual participaram 68 pesquisadoras(es) brasileiros em psicologia. As(os) participantes tinham entre 32 e 73 anos (M = 49,8; DP = 11,5), 62% eram mulheres, com tempo médio de formação desde o doutorado de 14,3 anos (DP = 9,6). 43% das(os) participantes respondeu que frequentemente realizava alguma prática de devolução, presencial ou coletiva, por meio de cursos de extensão, capacitações e palestras. Praticar a devolução de resultados de pesquisa em psicologia pode motivar a colaboração em pesquisas, além de fazer cumprir um direito dos participantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jean Von Hohendorff, Faculdade Meridional (IMED), Passo Fundo, RS, Brasil

Doutor e mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil. Professor da Faculdade Meridional (IMED), em Passo Fundo, RS, Brasil.

Naiana Dapieve Patias, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS, Brasil

Doutora em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil; mestre em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), em Santa Maria, RS, Brasil. Professora do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), em Santa Maria, RS, Brasil.

Icaro Bonamigo Gaspodini, Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Rio Grande, RS, Brasil

Doutor e mestre em Psicologia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), em São Leopoldo, RS, Brasil. Professor da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), em Rio Grande, RS, Brasil.

Lisiane Bizarro, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil

Doutora em Psicologia pelo Institute of Psychiatry King’s College London, em Londres, Reino Unido; mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil. Professora Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil e Pesquisadora CNPq 308629/2019-1.

Referências

Anjos, K. F. dos, Boery, R. N. S. de O., Santos, V. C., & Boery, E. N. (2016). Devolutiva dos resultados de pesquisa desenvolvida com cuidadores familiares de idosos dependentes. Extensio: Revista Eletrônica de Extensão, 13(23), 99-111. https://doi.org/10.5007/1807-0221.2016v13n23p99

Cassepp-Borges, V. (2009). Devolução de dados por correio eletrônico: Uma alternativa para pesquisas quantitativas. Avaliação Psicológica, 8(1), 149-152. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/avp/v8n1/v8n1a15.pdf

Conselho Nacional de Saúde. (2016). Resolução 510/2016. http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (2013). Relatório de avaliação 2010-2012 – Trienal 2013. https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=sites&srcid=Y2FwZXMuZ292LmJyfHRyaWVuYWwt-MjAxM3xneDozYmEwNjgwYTJmMjE1Y2Y1

Creswell, J. W. (2010). Seleção de um projeto de pesquisa. In Creswell, J. W., Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto (3. ed., pp. 25-47). Artmed.

Cross, D., Thomson, S., & Sinclair, A. (2017). Research in Brazil: A report for CAPES by Clarivate Analytics. Clarivate Analytics.

Granek, L., & Nakash, O. (2016). The impact of qualitative research on the “real world”: Knowledge translation as education, policy, clinical training, and clinical practice. Journal of Humanistic Psychology, 56(4), 414-435. https://doi.org/10.1177/0022167815574623

Hagger-Johnson, G., Hegarty, P., Barker, M., & Richards, C. (2013). Public engagement, knowledge transfer, and impact validity. Journal of Social Issues, 69(4), 664–683. https://doi.org/10.1111/josi.12035

Hicks, D., Wouters, P., Waltman, L., De Rijcke, S., & Rafols, I. (2015). The Leiden Manifesto for research metrics. Nature, 520(7548), 429-431. https://doi.org/10.1038/520429a

Hohendorff, J. V., Postay, A. T., Habigzang, L. F., & Koller, S. H. (2017). Parceria com a rede de atendimento no estudo da violência sexual infantil. Revista da SPAGESP, 18(2), 143-156. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rspagesp/v18n2/v18n2a12.pdf

Knauth, D. R., & Meinerz, N. E. (2015). Reflexões acerca da devolução dos dados na pesquisa antropológica sobre saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 20, 2659-2666. https://doi.org/10.1590/1413-81232015209.04672015

Lordello, S. R., & Oliveira, M. C. S. L. (2012). Contribuições conceituais e metodológicas do modelo bioecológico para a compreensão do abuso sexual intrafamiliar. Psico, 43(2), 260-269. http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/11703

Massey, S. G., & Barreras, R. E. (2013). Introducing “Impact Validity.” Journal of Social Issues, 69(4), 615-632. https://doi.org/10.1111/josi.12032

Patzlaff, R. G., & Peixoto, A. L. (2009). A pesquisa em etnobotânica e o retorno do conhecimento sistematizado à comunidade: Um assunto complexo. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, 16(1), 237-246. https://doi.org/10.1590/S0104-59702009000100014

Pessanha, J., da Silva, C. O., & Rotenberg, L. (2013). Uma experiência de restituição de resultados em saúde do trabalhador. ECOS-Estudos Contemporâneos da Subjetividade, 3(1), 32-44. http://www.periodicoshumanas.uff.br/ecos/article/view/1124/817

Vinuto, J. (2014). A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: Um debate em aberto. Temáticas, 22(4), 203-220. https://pdfs.semanticscholar.org/cd8e/3ecb215bf9ea6468624149a343f8a1fa8456.pdf?_ga=2.73445466.913058980.1586440468-78208785.1586440468

Publicado
2022-05-23
Como Citar
Hohendorff, J. V., Patias, N. D., Gaspodini, I. B., & Bizarro, L. (2022). Devolução dos resultados de pesquisa em psicologia para os respectivos participantes. Psico, 53(1), e38216. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2022.1.38216