Testes de Atenção para Idosos: Relações com Idade, Escolaridade e Moradia

  • Eliane Sousa de Oliveira Fernandes Universidade São Francisco
  • Acácia Aparecida Angeli Santos Universidade São Francisco
Palavras-chave: Atenção concentrada, Atenção sustentada, Testes cognitivos, Envelhecimento.

Resumo

O estudo se propôs a buscar evidências de validade para testes de atenção concentrada e sustentada em idosos, pelos critérios idade, escolaridade, condições de moradia (abrigados ou não) e tempo de resposta do instrumento, assim como validade convergente pela correlação entre eles. Participaram 83 pessoas de 60 anos ou mais, ambos os sexos. Foram aplicados o teste de Atenção Concentrada (AC) e o Teste de Atenção Sustentada (TASU). Os escores de ambos se correlacionaram negativamente com idade, e positivamente com escolaridade. Os idosos jovens tiveram melhor performance que os longevos e os não abrigados apresentaram maiores médias. No AC, com 50% a mais de tempo para os longevos, o desempenho não diferiu significativamente dos mais jovens. A correlação entre AC e TASU indicou que as medidas são convergentes. Os resultados obtidos permitiram concluir que ambas as medidas foram suficientemente sensíveis para avaliação da atenção em idosos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Sousa de Oliveira Fernandes, Universidade São Francisco
Psicologia - Avaliação Psicológica
Acácia Aparecida Angeli Santos, Universidade São Francisco
Psicologia - Avaliação Psicológica

Referências

Argimon, I. L. (2002). Desenvolvimento cognitivo na terceira idade. Tese de doutorado, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto alegre, RS, Brasil.

Argimon, I. L., & Stein, L. M. (2005). Habilidades cognitivas em indivíduos muito idosos: um estudo longitudinal. Cadernos de Saúde Pública, 21(1), 64-72. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2005000100008

Argimon, I. L., Irigaray, T. Q., & Stein, L. M. (2014). Cognitive development across different age ranges in late adulthood. Universitas Psychologica, 13(1), 253-264. http://dx.doi.org/10.11144/2338

Baltes, P. B., & Smith, J. (2003). New frontiers in the future of aging: from successful aging of the young old to the dilemmas of the fourth age. Gerontology, 49, 123-125. http://dx.doi.org/10.1159/000067946

Bartrés-Faz, D., Clemente, I., & Junqué, C. (1999). Alteración cognitiva en el envejecimiento normal: nosología y estado actual. Revista de Neurologia, 29(1), 64-70.

Bottino, C. M., Cid, C. G., & Camargo, C. H. (1997). Avaliação neuropsicológica. In: O. V. Forlenza, & O. P. Almeida. Depressão e demência no idoso - Tratamento farmacológico e psicológico. São Paulo: Lemos Editorial.

Braga, J. L. (2007). Atenção Concentrada e Atenção Difusa: Elaboração de Instrumentos de Medida. Dissertação de mestrado, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Camarano, A. A. (2002). Envelhecimento da população brasileira: uma contribuição demográfica. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (textos para discussão, n. 858).

Camargo, C. H., Gil, G., & Moreno, M. D. (2006). Envelhecimento "normal" e cognição. In: C. M. Bottino, J. Laks, & S. L. Blay, Demência e Transtornos Cognitivos no Idoso (pp. 13-20). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan Ltda.

Cambraia, S. V. (2003). Coleção AC - Atenção Concentrada (3a ed.). São Paulo: Vetor .

Commodari, E., & Guarnera, M. (2008). Attention and aging. Aging clinical and Experimental Research, 6, 578-584. http://dx.doi.org/10.1007/BF03324887

Fonseca, R. P., Zimmermann, L. C. S., Parente, M. A. M. P., & Ska, B. (2010). Episodic memory, concentrated attention and processing speed in aging. Dement Neuropsychol, 4(2), 91-97.

Gazzaniga, M. S., & Heatherton, T. F. (2005). Ciência Psicológica. Mente, Cérebro e Comportamento. Porto Alegre: Artmed.

IBGE. (2011b). Projeção da população. Acesso em 15 de Agosto de 2011, disponível em Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística: http://www.ibge.gov.br/home/estatística/população/projeção_da_população/2008/piramide/piramide.shtm

IBGE. (2011a). Sinopse dos Resultados do Censo 2010. Acesso em 15 de Agosto de 2011, disponível em Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística: http://www.censo2010.ibge.gov.br/sinopse/webservice

James, W. (1890). The Principles of Psychology. Acesso em 26 de setembro de 2010, disponível em Classics in The History of Psychology: http://psychclassics.yorku.ca/James/Principles/prin11.htm http://dx.doi.org/10.1037/11059-000

Karlamangla, A. S., Miller-Martinez, D., Aneshensel, C. S., Seeman, T. E., Wight, R. G., & Chodosh, J. (2009). Trajectories of cognitive function in late in the US: demographic and socioeconomic predictors. American Journal of Epidemiology , 170(3), 331-342. http://dx.doi.org/10.1093/aje/kwp154

Lezak, M. D., Howieson, D. B., & Loring, D. W. (2004). Neuropsychological Assessment (4th ed.). New York: Oxford.

McGaughy, J., & Eichenbaum, H. (2002). It's Time to Pay Attention to Attention in Aging. Learning Memory, 9, 151-152. http://dx.doi.org/10.1101/lm.52902

Mello, B. L., Haddad, M. C., & Dellaroza, M. S. (2012). Avaliação cognitiva de idosos institucionalizados. Acta Scientiarum , 34(1), 95-102. http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v34i1.7974

Mesulam, M.-M. (2000). Principles of behavioral and cognitive neurology (2nd ed.). New York: Oxford.

Monteiro, R. L., & Santos, A. A. (2011). Teste de Atenção Sustentada, TASU. Relatório técnico da versão preliminar. Itatiba: Universidade São Francisco.

Neri, A. L., & Yassuda, M. S. (2008). Velhice bem-sucedida: aspectos afetivos e cognitivos (3a ed.). Campinas: Papirus.

Noronha, A. P., Sisto, F. F., Bartholomeu, D., Lamounier, R., & Rueda, F. J. (2006). Atenção sustentada e concentrada: construtos semelhantes? Psicologia: Pesquisa e Trânsito, 2(1), 29-36.

Nunes, C. H., & Primi, R. (2010). Aspectos técnicos e conceituais da ficha de avaliação dos testes psicológicos. In: A. A. Santos (Org.). Avaliação psicológica: diretrizes na regulamentação da profissão (pp. 101-128). Brasília: Conselho Federal de Psicologia.

Papalia, D. E., & Olds, S. W. (2000). Desenvolvimento Humano (7a ed.). São Paulo: Pioneira.

Parasuraman, R., & Greenwood, P. M. (2000). Selective attention in aging and dementia. In: R. Parasuraman, The Attentive Brain. Massachusetts: MIT Press.

Quevedo, J., Martins, M. R., & Izquierdo, I. (2006). Alterações cerebrais e memória. In: C. M. Bottino, J. Laks, & S. L. Blay (Orgs.). Demência e transtornos cognitivos em idosos (pp. 3-12). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan Ltda.

Reis, L. A., Torres, G. V., Araújo, C. C., Reis, L. A., & Novaes, L. K. (2009). Rastreamento cognitivo de idosos institucionalizados no município de Jequié-BA. Psicologia em Estudo, Maringá, 14(2), 295-301. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722009000200010

Rodrigues, J. L., Ferreira, F. O., & Haase, V. G. (2008). Perfil do desempenho motor e cognitivo na idade adulta e velhice. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 1(1), 20-33.

Rueda, F. J., & Castro, N. R. (2010). Capacidade atencional: há decréscimo com o passar da idade? Psicologia Ciência e Profissão, 30(3), 572-587. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932010000300010

Rueda, F. M. (2013). Bateria Psicológica para Avaliação da Atenção – BPA. São Paulo: Vetor.

Sánchez-Rodrigues, J. L., & Torrellas-Morales, C. (2011). Revisión del constructo deterioro cognitivo leve: aspectos generales. Revista de Neurologia, 52(5), 300-305.

Sisto, F. F., Castro, N. R., Cecilio-Fernandes, D., & Silveira, F. J. (2010). Atenção seletiva visual e o processo de envelhecimento. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, 10(1), 93-102.

Souza, V. L., Borges, M. F., Vitória, C. M., & Chiappetta, A. L. (2009). Perfil das habilidades cognitivas no envelhecimento normal. Revista CEFAC, São Paulo.

Sternberg, R. J. (2008). Psicologia Cognitiva. Porto Alegre: Artmed.

Strauss, E., Sherman, E. M., & Spreen, O. (2006). A Compendium of Neuropsychological Tests (3rd ed.). New York: Oxford .

Urbina, S. (2007). Fundamentos da Testagem Psicológica. Porto Alegre: Artmed.

Valls-Pedret, C., Molinuevo, J. L., & Rami, L. (2010). Diagnóstico precoz de la enfermidad de Alzheimer: fase prodrómica y preclínica. Revista de Neurologia, 51(8), 471-480.

Vázquez-Marrufo, M., Benítez, M. L., Rodríguez-Gómez, G., Galvao-Carmona, A., Fernández-Del-Olmo, A., & Vaquero-Casares, E. (2011). Afectación de las redes neurales atencionales durante el envejecimiento salutable. Revista de Neurologia, 52, 20-6.

Ward, A. (2004). Attention: A Neuropsychological Approach. New York: Psychology Press.

Publicado
2015-03-17
Como Citar
Fernandes, E. S. de O., & Santos, A. A. A. (2015). Testes de Atenção para Idosos: Relações com Idade, Escolaridade e Moradia. Psico, 46(1), 110-119. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2015.1.17281
Seção
Artigos