Telefones desfiados

  • João Maia Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Leonardo Viso Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Comunicação, cidades, travestis

Resumo

Independente das horas, dos dias e dos expedientes, os habitués da cidade vão deixando marcas que podem ser vistas ou ignoradas. Marcas que (e se) comunicam com cada elemento que compõem esse cenário. Os letreiros dos estabelecimentos comerciais, o mau-cheiro dos indesejáveis, as pichações nos muros, os sacos de lixos dos prédios e os cartazes nos postes e orelhões. Saí em busca de algumas dessas marcas para elaborar esse artigo/ensaio. Através dessas marcas pretendo iniciar questões referentes à ocupação, circulação e sociabilidade das travestis no espaço urbano. Nesse trabalho partirei da análise de anúncios colados em telefones públicos nas regiões da Glória/Lapa e de Copacabana. Duas áreas cariocas que abrigam pontos de circulação e prostituição de travestis. Tratarei tais anúncios como marcas deixadas pelos travestis que vivem/trabalham/circulam nesses bairros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Maia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
P
Leonardo Viso, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

BENTO, Berenice. A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro: Garamond,

______. “Corpos e Próteses: dos Limites Discursivos do Dimorfismo”. In: VII Seminário Internacional Fazendo Gênero, 2006, Florianópolis. Anais do VII Seminário Internacional Fazendo Gênero. Florianópolis: UFSC, 2006.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileiro, 2008.

CANCLINI, Néstor García. Culturas Híbridas – Estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: EdUsp, 1998.

CANEVACCI, Massimo. Fetichismos Visuais – Corpos Erópticos e a Metrópole Comunicacional. São Paulo: Ateliê Cultural, 2008.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano – 1. Artes do fazer. Petrópolis: Vozes, 2008.

______. A invenção do Cotidiano – 2. Morar, cozinhar. Petrópolis: Vozes: 2000.

HOBSBAWN, Eric. Introdução: A Invenção das Tradições. In: HOBSBAWN, Eric; RANGER, Terence (Orgs.). A Invenção das Tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

PELÚCIO, Larissa. Experiências plurais em categorias singulares: Problematizando a materialização das travestilidades. In: VIII Seminário Internacional Fazendo Gênero, 2008, Florianópolis. Anais do VIII Seminário Internacional Fazendo Gênero. Florianópolis: UFSC, 2008.

SARLO, Beatriz. Tempo Presente – Notas sobre a mudança de

uma cultura. Rio de Janeiro: José Olympio, 2005.

SILVA, Hélio R.S. Travestis: entre o espelho e a rua. Rio de Janeiro: Rocco, 2007.

TORRES, Lilian de Lucca. Programa de Paulista. In: MAGNANI,

José Guilherme; TORRES, Lilian de Lucca (Orgs.). Na Metrópole: Textos de Antropologia Urbana. São Paulo: Edusp, 2000.

Como Citar
Maia, J., & Viso, L. (2011). Telefones desfiados. Revista FAMECOS, 17(3), 304-313. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2010.3.8198
Seção
Cultura da Mídia