Morte na página

  • Patrick Tacussel Universidade Paul Valéry – Montpellier III.
Palavras-chave: Comunicação, imaginário, noticiário

Resumo

Este artigo analisa, sob forma idealtípica, a divulgação de mortes pela mídia, estabelecendo uma distinção operatória entre fatos relatados em noticiários e outros, que pertencem ao registro do acontecimento. Observa-se a recorrência de certos cenários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrick Tacussel, Universidade Paul Valéry – Montpellier III.
Professor de Sociologia na Universidade Paul Valéry – Montpellier III.

Referências

AUCLAIR, Georges. Le mana quotidien. Structures et Fonctions de la chronique des faits divers. Paris: Anthropos, 1982.

CAILLOIS, Roger. Sociologie du bourreau. In: Instincts et Sociétés. Paris: Denoël-Gonthier, Coll. “Médiations”, n. 24, p. 12, 1964.

PERELMAN, Ch; OLBRECHTS-TYTECA, L. Rhétorique et Philosophie. Paris: Presses Universitaires de France, 1952.

DEBORD, Guy. La Societé du Spectacle. Paris: BuchetChastel, 1967.

Publicado
2008-04-13
Como Citar
Tacussel, P. (2008). Morte na página. Revista FAMECOS, 13(29), 29-33. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2006.29.3353
Seção
França: mídia e violência