Impactos do mercado jornalístico na vida de seus trabalhadores: um estudo sobre indicadores de saúde dos jornalistas brasileiros

Palavras-chave: Perfil profissional. Saúde dos jornalistas. Trajetórias profissionais.

Resumo

O artigo apresenta resultados sobre indicadores de saúde de 1.233 jornalistas que responderam a um online survey, realizado entre novembro e dezembro de 2017, que avaliou as suas trajetórias profissionais. Os respondentes são os mesmos que participaram, no final de 2012, da pesquisa Perfil do Jornalista Brasileiro (MICK; LIMA, 2013). A pesquisa de Trajetórias Profissionais dos Jornalistas Brasileiros atesta que houve manutenção da alta sobrecarga de trabalho, da desigualdade de gênero e do aumento dos profissionais que estão fora do mercado de trabalho jornalístico (PONTES; MICK, 2018). Dentre os resultados alcançados, está que 57% dos respondentes declaram se sentir estressados, 37% receberam diagnóstico de estresse, 16% receberam diagnóstico de transtorno mental, 24% estão diagnosticados com LER/ Dort e 26% fazem uso regular de antidepressivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Simão Pontes, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa (PR).

Professor do Programa de Pós Graduação em Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa (PPGJor-UEPG). Pós-Doutorado em Jornalismo pela UEPG e Doutor em Sociologia Política pela UFSC.

Samuel Pantoja Lima, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis (SC).

Professor da Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina. (PPGJor-UFSC). Doutor e Mestre em Engenharia de Produção pela UFSC.

Referências

ANTUNES, R. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

BABBIE, E. Métodos de Pesquisa Survey. Belo Horizonte: UFMG, 2001.

BRAGA, R. A política do precariado: do populismo à hegemonia lulista. S. Paulo: Boitempo, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Dor relacionada ao trabalho: Lesões por esforços repetitivos (LER) e Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (Dort). Brasília, 2006. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/dor_relacionada_trabalho_ler_dort.pdf. Acesso em: 20 mar. 2019.

BULHÕES, J; RENAULT, D. A precarização da prática jornalística: uma revisão bibliográfica sobre o impacto das condições de trabalho na saúde e qualidade de vida do jornalista. Parágrafo, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 164-175, 2016. Disponível em: http://revistaseletronicas.fiamfaam.br/index.php/recicofi/article/view/414/424. Acesso em: 24 jul. 2018.

CHIAVENATO, I. Gestão de pessoas e o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

DARDOT, P; LAVAL, C. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

EVANS, J.; MATHU R, A. The value of online surveys. Internet Research, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 195-219, 2005. Disponível em: http://wwwemeraldinsight-com.ez82.periodicos.capes.gov.br/doi/ pdfplus/10.1108/10662240510590360. Acesso em: 01 maio 2016. https://doi.org/10.1108/10662240510590360

FIGARO, R (org.). As mudanças no mundo do trabalho do jornalista. São Paulo: Atlas, 2013.

HELOANI, J. R. M. Mudanças no mundo do trabalho e impactos na qualidade de vida do jornalista. In: SIMPÓSIO DE ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO, LOGÍSTICA E OPERAÇÕES INTERNACIONAIS, 7., 2002, São Paulo. Anais [...]. São Paulo, FGV, 2004.

LIMA, S. A precarização do trabalho e a saúde dos jornalistas brasileiros. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL MUDANÇAS ESTRUTURAIS NO JORNALISMO (MEJOR), 3., 2015, Florianópolis. Anais [...]. Florianópolis, 2015. Disponível em: https://bit.ly/2uZikQd. Acesso em: 26 jul. 2018.

MICK, J; LIMA, S. Perfil do jornalista brasileiro: características demográficas, políticas e do trabalho jornalístico em 2012. Florianópolis: Insular, 2013.

MICK, J. A precarização do trabalho dos jornalistas no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES EM JORNALISMO, 11, Brasília, DF. Anais [...]. Brasília, 2013.

MICK, J. Detalhamento metodológico da pesquisa “Perfil profissional do jornalismo brasileiro”. Florianópolis, 2013b. Disponível em: http://perfildojornalista.ufsc.br/files/2012/04/ PerfilJornal_Metodologia.pdf. Acesso em: 11 jul. 2018.

NONATO, C. O perfil diferenciado dos jornalistas associados ao Sindicato de São Paulo. In: FIGARO, R (org.). As mudanças no mundo do trabalho do jornalista. São Paulo: Atlas, p. 143-202, 2013.

PONTES, Felipe S. Desigualdades estruturais de gênero no trabalho jornalístico: o perfil das jornalistas brasileiras. E-Compós, Brasília, DF, v. 20, n. 1, p. 1-15, jan./jul. 2017. Disponível em: http://www.e-compos.org.br/e-compos/article/view/1310. Acesso em: 17 jul. 2018. https://doi.org/10.30962/ec.1310

PONTES, F. S.; MICK, J. Crise e mercado de trabalho: trajetórias profissionais de jornalistas no Brasil (2012-2017). In: ENCONTRO NACIONAL DA COMPÓS, 16., 2018, Belo Horizonte. Anais […]. Belo Horizonte, 2018. Disponível em: http://www.compos.org.br/data/arquivos_2018/trabalhos_arquivo_ 72JHNDAEFV9AD5MYXI08_27_6951_26_02_2018_14_58_21.pdf. Acesso em: 08 jul. 2018.

ROXO DE OLIVEIRA, M. O projeto de reestruturação do trabalho jornalístico na Folha de S. Paulo: racionalidade e gerenciamento. Cadernos Ceru, São Paulo, v. 24, n. 2, jul.-dez. 2013. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ceru/article/view/87212. Acesso em: 14 jul. 2018.

STANDING, G. O precariado: a nova classe perigosa. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

STRAUSS, A. Espelhos e Máscaras. São Paulo: Edusp, 2009.

WRIGHT, K. B. Researching internet-based populations: advantages and disadvantages of online survey research, online questionnaire authoring software packages, and web survey services. Journal of Computer-Mediated Communication, [S. l.], v. 10, n. 3, p. 1-22, Apr. 2005. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1083-6101.2005.tb00259.x/full. Acesso em: 2 jan. 2018. https://doi.org/10.1111/j.1083-6101.2005.tb00259.x

Publicado
2019-12-17
Como Citar
Pontes, F. S., & Lima, S. P. (2019). Impactos do mercado jornalístico na vida de seus trabalhadores: um estudo sobre indicadores de saúde dos jornalistas brasileiros. Revista FAMECOS, 26(2), e31729. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2019.2.31729
Seção
Jornalismo