Circuito de festas de música “alternativa” na área central de São Paulo: cidade, corporalidades, juventude

  • Simone Luci Pereira Universidade Paulista - UNIP/SP.
Palavras-chave: Música alternativa, Afrolatinidade, Juventudes

Resumo

Apresentamos a cartografia de um circuito de festas de música “alternativa” que vem ocupando espaços nas áreas centrais de São Paulo e protagonizado por coletivos juvenis que atuam no campo da produção cultural na cidade. Buscamos compreender aspectos da economia política da produção musicalmidiática nas bordas do mainsntream; e estilos de vida, corporalidades, práticas e imaginários juvenis nas culturas urbanas. Usamos como metodologia a etnografia nas festas, com observação e entrevistas com os organizadores e frequentadores, bem como a análise dos sites/fanpages dos coletivos e das festas, em seus conteúdos verbais, sonoros e imagéticos para compreender suas identidades juvenis, estéticas, políticas. Alguns dos resultados já indicam que neste circuito de festas há uma busca de identidades e matrizes musicais e culturais afrolatinas (brasileira, caribenha, africana); mesclas de estéticas globais com
musicalidades tradicionais dançantes; atuação de jovens engajados em estilos de vida e de consumo “alternativo” evidenciado em gostos musicais, vestuário, alimentação, posturas políticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone Luci Pereira, Universidade Paulista - UNIP/SP.
Graduada em História (bacharelado e licenciatura) (1994), Mestre em História Social (1998), Doutora em Ciências Sociais - Antropologia (2004) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Realizou dois Pós-Doutorados: um no Brasil, no PPG Música da UNIRIO (bolsista PosDoc Sênior FAPERJ - 2012/2013), junto ao GP Música Urbana no Brasil; e outro internacional, no Progranma de Investigación Posdoctoral en Ciencias Sociales, Niñez y Juventud (Red CLACSO de Posgrados e Red INJU - 2014/2016). Participa da rede internacional de investigação do Grupo de Trabalho CLACSO Juventudes y Infâncias en América Latina. Professora Titular do PPG Comunicação e Cultura Midiática (Mestrado e Doutorado) da UNIP (Univ. Paulista). Professora colaboradora do PPG Comunicação e Práticas do Consumo da ESPM. Pesquisa e atua na interface dos campos da Comunicação, Música e Antropologia, com ênfase nos estudos sobre memória, escuta e música midiática, pesquisando sobre migrações/diásporas, identidades e interações sociais vinculadas às práticas musicais; paisagens sonoras, culturas midiáticas e recepção dos ouvintes. Pesquisadora e Vice-coordenadora do MUSIMID (Centro de Estudos em Música e Mídia), ligado ao PPGCOM UNIP e à ECA-USP. Integrante fundadora e parecerista do Grupo de Pesquisa "Comunicação e Culturas Urbanas" da INTERCOM. Membro da IASPM-LA (Associasión internacional para el estudio de la musica popular – Rama Latinoamericana). Tem participado de eventos científicos no Brasil e no exterior e publicado vários trabalhos em anais de eventos, periódicos e livros coletâneas de artigos. Atua como parecerista em periódicos nacionais e internacionais e agências de fomento.

Referências

APARICIO, Francis; CHÁVEZ-SILVERMAN, Susana (org.). Tropicalizations: transcultural representations of latinidad. Hanover/EUA: University Press of New England, 1997.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CARVALHO, Nilton. DJs, remixes e samples: inovação, memória e identidades na linguagem híbrida da música nas mídias. 2016. 147 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação). Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade Municipal de São Caetano do Sul, São Caetano do Sul, 2016.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano – Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, v. 1, 1994.

FREIRE FILHO, João. “Das subculturas às pós-subculturas juvenis: música, estilo e ativismo político”. Contemporânea – Revista de Comunicação, v. 3, n. 1, 2005.

FRITH, Simon. “Music andidentity”. In: HALL, S.; DUGAY, P. (orgs.). Questionsof cultural identity. London: Sage, 1996.

FRÚGOLI JR., Heitor. Centralidade em São Paulo: trajetórias, conflitos e negociações na metrópole. São Paulo: Cortez, 2000.

GARCIA-CANCLINI, Nestor. “Introdución a lanuevaedición: las culturas híbridas em tempos globalizados”. In: Culturas híbridas: estratégias para entrar y salir de la modernidad. Barcelona: Paidós, 2001.

GARCIA-CANCLINI, Nestor e outros (orgs.). Jóvenes, culturas urbanas y redes digitales. Madrid: Ariel, 2012.

HAESBAERT, Rogério. Territórios alternativos. São Paulo/Rio de Janeiro: Contexto/EdUFF, 2002.

HALL, Stuart. “Quem Precisa da Identidade?” In: SILVA, T. T. (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

HALL, Stuart; JEFFERSON, Tony (orgs.). Resistance through rituals: youth subcultures in post-warbritain. London: Routledge, 1993.

HEBDIGE, Dick. Subcultura: el significado del estilo. Barcelona: Paidós Ibérica, 2004.

HERSCHMANN, Micael. Cenas, circuitos e territorialidades sônico-musicias. In: JANOTTI Jr., J.; SÁ, S. P. (orgs.). Cenas musicais. Guararema/SP: Anadarco, p. 41-56, 2013.

______ (org.). Nas bordas e fora do mainstream musical: novas tendências da música independente no início do século XXI. São Paulo: Letras e Cores, 2011.

HERSCHMANN, Micael; FERNANDES, Cintia. Música nas ruas do Rio de Janeiro. São Paulo: Intercom, 2014.

JANOTTI JR., Jeder; SÁ, Simone Pereira de (orgs.). Cenas musicais. Guararema/SP: Anadarco, 2013.

LÓPEZ-CANO, Rubén. Performatividad y narratividad musical en la construcción social de género - una aplicación al tango queer, timba, regetón y sonideros. In: Música, ciudades, redes: creación musical e interacción social - Actas del X Congreso de la SIBE (Sociedad de Etnomusicología). Salamanca: SIBE-Obra Social Caja Duero, 2008.

MARTIN-BARBERO, Jesús. A cidade virtual - transformações da sensibilidade e novos cenários da comunicação. Revista Margem, São Paulo, n. 6, v. 1, p. 205-221, 1997.

NEGUS, Keith. Music Genres and Corporate Cultures. London: Routledge, 1999.

NEVE, Eduardo. La ciudad que hace música y la música que hace ciudad: hacia la promesa de la ciudad-arte. URBS. Revista de Estudios Urbanos y Ciencias Sociales, v. 2, n. 2. p. 93-102. 2012.

OBICI, Giuliano. Condição da escuta: mídias e territórios sonoros. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008.

PEREIRA, Simone Luci. Que latino? Juventudes, música e dinâmicas históricas Brasil/América Latina Hispânica. In: VALENZUELA, J. M.; BORELLI, S. (orgs.). Juventudes, Políticas, Culturas y Comunicación. Buenos Aires: CLACSO, 2016.

________. Consumo e escuta musical, identidades, alteridades - reflexões em torno do circuito musical “latino” em São Paulo/Brasil. Chasqui - Revista Latinoamericana de Comunicación (CIESPAL-Equador), n. 128, set. 2015.

________. Sobre a possibilidade de escutar o outro: voz, world music e

interculturalidade. Revista E-COMPOS - Dossiê Som, música e comunicação. Brasília, n. 15, 2012.

PEREIRA, Simone Luci; BORELLI, Silvia. Música “alternativa” na Vila Madalena: práticas musicais juvenis na cidade. Revista Fronteiras – Estudos Midiáticos (UNISINOS), v. 17, n. 3, 2015.

PETERSON, Richard; KERN, Roger. “Changing high brow taste: from snob to omnivore”. American Sociological Review, v. 61, n. 5, p. 900-907, 1996.

DOI: http://dx.doi.org/10.2307/2096460

QUINTERO Rivera, Angel. Salsa, sabor y control - sociologia de la musica “tropical”. Mexico DF: Siglo Veintiuno Eds., 1998.

________ Cuerpo y cultura – las musicas “mulatas” y la subversion del baile. Madri: Iberoamericana, 2009.

REGUILLO, Rossana. Emergencias de culturas juveniles – estratégias del

desencanto. Buenos Aires: Editorial Norma, 2000.

ROLNIK, Raquel. História Urbana: História na cidade? In: Fernandes, A.; GOMES, M. A. (Org.). Cidade e História: modernização das cidades brasileiras nos séculos XIX e XX. Salvador: UFBA, 1992.

ROMAN Velazquez, Patria. Latin Americans in London: claims over the identity of place as destination. In: CAMPOS, R.; SARMENTO, C. (orgs.). Popular & visual culture: contexts of design, circulation and consumption. Newcastle-upon-Tyne: Cambridge Scholars Publishing, p. 20-38, 2014.

SANTOS, Milton e outros. (org.). Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

URTEAGA, Maritza. De jóvenes contemporáneos: trendys, emprendedores y empresarios culturales. In: CANCLINI, N. García e outros (orgs.). Jóvenes, Culturas Urbanas y Redes Digitales. Madri: Ariel, 2012.

VILA, Pablo (org.). Music and youth culture in Latin America: identity construction processes from New York to Buenos Aires. New York: Oxford University Press, 2014.

DOI: http://dx.doi.org/10.1093/acprof:oso/9780199986279.001.0001

________. Identidades narrativas y música - una primera propuesta para entender sus relaciones. TRANS (Revista Transcultural de Música), n. 2, 1996. Disponível em: http://www.sibetrans.com/trans/a288/identidades-narrativas-y-musicaunaprimera-propuesta-para-entender-sus-relaciones Acesso em: 30 jan. 2016.

WOODSIDE, Julian; JIMENEZ, Claudia. Creación, socialización y nuevas tecnologías en la producción musical. In: CANCLINI, N. García e outros. (org.). Jóvenes, Culturas Urbanas y Redes Digitales. Madri: Ariel, 2012.

YÚDICE, George. El recurso de la cultura: usos de la cultura em la era global. Barcelona: Gedisa, 2002.

Publicado
2017-03-24
Como Citar
Pereira, S. L. (2017). Circuito de festas de música “alternativa” na área central de São Paulo: cidade, corporalidades, juventude. Revista FAMECOS, 24(2), ID25001. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2017.2.25001
Seção
Mídia e Cultura