O QUEEN, A QUEEN: Controvérsias sobre gêneros e performances

  • Adriana Amaral Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
  • Camila Monteiro University of Huddersfield (UK)
  • Thiago Soares Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Palavras-chave: Comunicação, Performance, Gêneros

Resumo

A partir da apresentação ao vivo do grupo Queen, na edição 2015 do Rock in Rio, quando a banda inglesa de rock contou com um ex-integrante de reality show musical como vocalista, traça-se uma observação de controvérsias para pensar de que maneira as questões de gênero, com foco nas masculinidades, podem ser importantes ferramentas para pensar a construção do valor na música pop. A problemática trata das diferentes performances do masculino dos dois vocalistas (Freddie Mercury, o cantor original da banda, e Adam Lambert, no Rock in Rio 2015), evidenciando lugares distintos nas corporalidades da música pop, bem como a noção de trajetória como um aparato capaz de evocar princípios de autenticidade para os artistas. O procedimento metodológico foi a observação da performance a partir de três categorias de controvérsias: origens, gêneros musicais e corpos. A coleta de dados foi feita a partir da observação do YouTube, Twitter e de blogs LGBT. Como resultado inicial, indicamos que a governabilidade dos corpos numa performance, necessariamente, precisa reencenar outras performances; passando pela dicotomia em torno da presença numa atualização do ritual performático no qual noções como arquivo e repertório – propostas por Diana Taylor (2013) – são importantes para discutir as inúmeras possibilidades de tensões e controvérsias nesses espetáculos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Amaral, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
Professora do PPG em Comunicação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Pós-Doutora em Mídia, Cultura e Comunicação pela University of Surrey (Reino Unido). Pesquisadora do CNPq. Líder do GP CULTPOP.
Camila Monteiro, University of Huddersfield (UK)
Doutoranda em Música e Mídia na University of Huddersfield (UK), Mestre em Processos Midiáticos pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Bolsista da CAPES.
Thiago Soares, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas (UFBA).

Referências

BARNES, K. Top 40 Radio: A Fragment of the Imagination. In: FRITH, S. Facing the Music. Nova York: Pantheon Book, p. 8-50, 1988.

BORGES, E. Vida longa à nova Rainha. Obvious Mag, 2015. Disponível em: http://lounge.obviousmag.org/sup3rtr4mp/2015/09/vida-longa-a-nova-rainha. html

Acesso em: 8 jan. 2016.

BOURDIEU, P. A Dominação Masculina. São Paulo: Bertrand Brasil, 1998.

BRILL, D. Goth Culture: Gender, Sexuality and Style. Oxford: Berg, 2008. DOI: http://dx.doi.org/10.2752/9781847887184

BURSTON, P. e RICHARDSON, C. A Queer Romance: Lesbian, Gay Men and Popular Culture. Londres: Routledge, 1995.

BUTLER, J. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão de Identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

DIAS, M.T. Os Donos da Voz. São Paulo: Boitempo, 2000.

DISH of Salt. ‘Idol’s’ Adam Lambert On His Photo Scandal. Access Hollywood, 06 mar. 2009. Disponível em: http://www.accesshollywood.com/articles/dish-of-salt-idols-adam-lambert-on-his-photo-scandal-68499/#gDY8PGY2fiEjIb1D.99

Acesso em: 13 dez. 2015.

EASTHOPE, A. What a Man’s Gotta Do: The Masculine Myth in Popular Culture. Londres: Paladin, 1986.

EDWARDS, J., MONNET, A. (Orgs). Introduction: From Goth/ic to Pop. In: EDWARDS, J., MONNET, A. Pop Goth: The Gothic in Contemporary Literature and Popular Culture. New York: Routledge, 2012.

FRITH, S.; McROBBIE, A. Rock and Sexuality. In: FRITH, S. e GOODWIN, A. (orgs) On Record: Pop, Rock and the Written Word. Nova York: Pantheon Books, p. 71-89, 1990.

FUCHS, C. If I Had a Dick: Queers, Punks, and Alternative Acts. In: SWISS, T., SLOOP, J. e HERMAN, A. (eds). Mapping the Beat: Popular Music and Contemporary Theory. Malden: Blackwell, 1998.

KATY Perry´s Cape Crusade. TMZ. 18 mai. 2009. Disponível em: http://www.tmz.com/2009/05/18/katy-perry-victim-of-an-a-i-caped-crusade/

Acesso em: 3 fev. 2016.

KIRSCHNER, T. Studying Rock: Towards a Matherialistic Ethnography. In: SWISS, T., SLOOP, J. e HERMAN, A. (eds). Mapping the Beat. Popular Music and Contemporary Theory. Malden: Blackwell, 1998.

LONGO, F. Banda “bicha”, vocalista gay e um show super viado no Rock in Rio. Revista Forum, blog Os Entendidos, 20 set. 2015. Disponível em: http://www.revistaforum.com.br/osentendidos/2015/09/20/bicha-vocalista-gay-show-viado-rock-in-rio/

Acesso em: 21 set. 2015.

LORENTZ, B. Adam Lambert diz que alguns fãs do Queen “enchem o saco dele” nos shows. G1. 10 set. 2015. Disponível em: http://g1.globo.com/musica/rock-in-rio/2015/noticia/2015/09/adam-lambert-diz-que-alguns-fas-do-queen-enchem-saco-dele-nos-shows.html

Acesso em: 12 fev. 2016.

LUZ, H. Televisão, Indústria da Música e Reality Show Musical no Brasil. Tese de Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2013. Mimeo.

MARTÍN-BARBERO, J. Dos Meios às Mediações. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2003.

MCREADY, R. American Idol Ends: Look back at the 10 Most Successful Alums. US Magazine, 15 nov. 2015. Disponível em: http://www.usmagazine.com/entertainment/news/american-idol-ends-look-back-at-the-10-most-successful-alums-2015115

Acesso em: 2 dez. 2015.

MICHAELS, S. Queen to recruit American Idol Singer? The Guardian, 27 mai. 2009. Disponível em: http://www.theguardian.com/music/2009/may/27/queen-american-idol-singer

Acesso em: 15 out. 2015.

TAYLOR, D. O Arquivo e o Repertório: Performance e Memória Cultural nas Américas. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

Publicado
2017-01-02
Como Citar
Amaral, A., Monteiro, C., & Soares, T. (2017). O QUEEN, A QUEEN: Controvérsias sobre gêneros e performances. Revista FAMECOS, 24(1), ID23912. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2017.1.23912
Seção
Mídia e Cultura