Redes sociais acadêmicas: as condições de existência na área das ciências da comunicação no Brasil

  • Dalton Martins Universidade Federal de Goiás
Palavras-chave: Redes sociais, Ciências da Comunicação, Comunicação na Academia

Resumo

O artigo apresenta um estudo sobre as condições de formação das redes sociais acadêmicas de colaboração aplicado à área das Ciências da Comunicação, procurando evidenciar a relação entre as práticas sociais, os regimes de verdade e o plano de imanência formado pelos relacionamentos sociais dessa área e os indicadores estruturais que permitem analisar de forma empírica a rede de coautoria dos pesquisadores. O estudo compara os resultados com redes sociais acadêmicas de outras áreas do conhecimento e permite evidenciar as especificidades da área da Comunicação e a relação desses fatores com o próprio histórico de formação da área da Comunicação no Brasil. A metodologia parte de uma revisão bibliográfica de estudos de análise de redes sociais de colaboração científica em várias áreas do conhecimento e utiliza da base de dados do portal de revistas da área de Comunicação Univerciencie.org para analisar mais de 9.800 artigos científicos numa série histórica de 42 anos de produção. Os resultados apontam para fortes características da área de Comunicação, tais como forte fragmentação, baixo índice de colaboração e dispersão entre vários grupos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dalton Martins, Universidade Federal de Goiás

Doutor em Ciências da Informação. Professor do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal de Goiás.

 

Referências

ALVES, Aníbal. Ciências da Comunicação, Área Interdisciplinar. Comunicação e Sociedade. Cadernos do Noroeste, Série Comunicação, Braga, v. 12. p. 1-12. 1999.

BARABÁSI, Albert. , JEONG, Hawoong, NÉDA, Zoltán, RAVASZ, Erzsebet, SCHUBERT, Andras, VICSEK, Tamás. Evolution of the social network of scientific collaborations. Physica A: Statistical Mechanics and its Applications Volume 311, Issues 3-4, p. 590-594, 2002.

CAPES. Tabela de Área de Conhecimentos. 2009. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/avaliacao/ TabelaAreasConhecimento_042009.pdf Acesso em: 20 dez. 2015.

______. Documento de área e Comissão Trienal 2013. Disponível em: http://capes.gov.br/images/stories/download/avaliacaotrienal/Docs_de_area/Ciencias_Sociais_Aplicadas_doc_area_e_comiss%C3%A3o_16out.pdf. Acesso em: 20 dez. 2015.

______. Documento de área 2007-2009. Disponível em: http://capes.gov.br/images/stories/download/avaliacao/SOC_APLIC_07mai10.pdf Acesso em: 20 dez. 2015.

CORRÊA, Cynthia Harumy Watanabe; MESQUITA, Rosa Maria Apel; GALDINO, Karina; CRESPO, Isabel Merlo. Periódicos da Área de Comunicação: mapeamento da temática e autoria dos artigos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 28., 2005. Rio de Janeiro. Anais. São Paulo: Intercom, 2005.

FERREIRA, Sueli Mara Soares Pinto Ferreira; MORAIS, Maria Helena; MUCHERONI, Marcos; PEREZ, Josefina. Estudo sobre como autores de artigos de revistas de Ciências da Comunicação verbalizam seus objetos de estudos em termos de palavras chave. Em Questão, Porto Alegre, v. 15, n. 2, p. 151-167, jul./dez. 2009.

GROSSMAN, Jerrold W. The Evolution of the Mathematical Research Collaboration Graph. Proceedings of the Thirty-third Southeastern International Conference on Combinatorics, Graph Theory and Computing. Congressus Numerantium. Boca Raton, Flórida, v. 158, p. 201–212, 2002.

INTERCOM. Divisões Temáticas dos Grupos de Pesquisa. 2011. Disponível em: http://www.portalintercom.org.br/index.php?option=com_content&view=ar ticle&id=270&Itemid=91. Acesso em: 25 jun. 2011.

ISSLER, Bernardo. Objetos de pesquisa e campo comunicacional. In. Tensões e objetos da pesquisa em comunicação. WEBER, Maria Helena, BENTZ, Ione, HOHLFELDT, Antonio (orgs.). Porto Alegre: Editora Sulina. 2002.

KUNT, Thomas Samuel. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 9. ed., 2005.

LEE, Deokjae, GOH, Kwang-Il, KAHNG, Byungnam, KIM, Devksoov. Complete trails of co-authorship network evolution. Phys. Rev, n. 82, p. 026112-1 - 026112- 9, 2010.

LEYDESDORFF, Loet; PROBST, Carole. The delineation of an interdisciplinary specialty in terms of a journal set: The case of communication studies. Journal of the American Society for Information Science and Technology. v. 60, Issue 8, p. 1709–1718, August 2009.

LOPES, Luís Carlos, Ciências da comunicação, possibilidades e problemas. Ciberlegenda. Rio de Janeiro, v. 1, n. 3, p. 1-12, 2000.

MARTINS, Dalton Lopes. Análise de redes sociais de colaboração científica no ambiente de uma federação de bibliotecas digitais. 2012. 236 fl. Tese (Doutorado em Ciência da Informação da Universidade de São Paulo) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

MARTINS, Guilherme Silveira; ROSSONI, Luciano; CSILLAG, João Mário; MARTINS, Michele Esteves; PEREIRA, Susana Carla Farias. Gestão de operações no Brasil: uma análise do campo científico a partir da rede social de pesquisadores. RAE-eletrônica, v. 9, n. 2, Art. 8, jul./dez., 2010.

MELO, José Marques de. Ciências da Comunicação: saga brasileira (1963-2013). Revista LatinoAmericana de Ciencias de la Comunicación. São Paulo, v. 10, n. 18, p. 30- 45, enero/julio 2013.

MOODY, James. The Structure of a Social Science Collaboration Network: Disciplinary Cohesion from 1963 to 1999. American Sociological Review, v. 69, p. 213 –238, April, 2004. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1177/000312240406900204 Acesso em: 20 dez. 2015.

NETO, Antônio Fausto. Condições da pesquisa em comunicação no Brasil. Revista Famecos. Porto Alegre, v. 1, n. 5, p. 82-90, nov. 1996.

NEWMAN, Mark E. J. The structure of cientific collaboration networks. PNAS, p. 404- 409, v. 98, n. 2, January 16, 2001. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1073/ pnas.98.2.404 Acesso em: 20 dez. 2015.

______. Scientific collaboration networks: network construction and fundamentals results. Physical Review E., v. 64, 2001a.

______. Scientific collaboration networks: shorthest paths, weighted networks and centrality. Physical Review E., v. 64, 2001b.

______. Co-authorship networks and patterns of scientific collaboration. PNAS, v. 101. 2004.

PRIMO, Alex, STUMPF, Ida, CONSONI, Gilberto, SILVEIRA, Stefanie Carlan da. Análise de citações dos trabalhos da COMPÓS 2008. Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. E-Compós, Brasília, v. 11, n. 3, p. 1-19, set./dez. 2008.

SODRÉ, Muniz. Comunicação: um caos criativo. LOGOS 37. Rio de Janeiro, v. 19, n. 2, p. 6-16, jul./dez. 2012.

TOFFOLI, Geni Aparecida, FERREIRA, Sueli Mara Soares Pinto Ferreira. Mapeamento da produção científica de pesquisadores brasileiros de Ciências da Comunicação: período de 2000 a 2009. Psicologia USP, São Paulo, v. 1, n. 22, p. 399-422, abril-junho 2011.

VASSALO DE LOPES, Maria Immacolata. O campo da Comunicação: sua constituição, desafios e dilemas. Revista Famecos. Porto Alegre. v. 1, n. 30, p. 16-30, agosto 2006.

WEBER, Maria Helena, BENTZ, Ione, HOHLFELDT, Antonio, Introdução. In. Tensões e objetos da pesquisa em comunicação. WEBER, Maria Helena, BENTZ, Ione, HOHLFELDT, Antônio. (orgs.). Porto Alegre: Editora Sulina, 2002.

Publicado
2016-07-07
Como Citar
Martins, D. (2016). Redes sociais acadêmicas: as condições de existência na área das ciências da comunicação no Brasil. Revista FAMECOS, 23(3), ID23391. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2016.3.23391
Seção
Ciências da Comunicação