Indicações sobre a descrição de cenários de produção jornalística

  • Marcelo Engel Bronosky Universidade Estadual de Ponta Grossa - Paraná
  • Rafael Schoenherr Universidade Estadual de Ponta Grossa (Paraná)
Palavras-chave: Cultura jornalística, Sócio-interação, Etnografia

Resumo

O artigo pretende apresentar mapa dos esforços descritivos dos processos sócio-interacionais em ambientes de produção jornalística. Procura-se, desta forma, estabelecer aproximação em relação a um quadro teórico-metodológico de investigação da esfera jornalística calcado na observação e descrição sistemática de cenários onde se processam regras, estratégias, táticas e tensões do campo jornalístico. O texto pretende assinalar a presença de um aporte ou conjunto de referências teóricas e discussões sobre a prática jornalística que orienta a compreensão da notícia pela observação e análise da ordem da interação entre os atores. Tal esforço tem por objetivo oferecer igualmente apontamentos no sentido de orientar investigações em torno de estratégicas metodológicas de vertente etnográfica, limitada no campo de estudos do jornalismo atualmente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Engel Bronosky, Universidade Estadual de Ponta Grossa - Paraná
Graduado em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (1994), mestrado em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (1998) e doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2008).É professor titular da Universidade Estadual de Ponta Grossa dos cursos de graduação em Jornalismo e do Mestrado em Jornalismo em tempo de dedicação exclusiva. Tem experiência na área de jornalismo, atuando principalmente nos seguintes temas: jornalismo, critérios de noticiabilidade e educação, jornalismo e imprensa. Atualmente é coordenador do Grupo de Pesquisa Lógicas de Produção e Consumo do jornalismo, vinculado à UEPG.
Rafael Schoenherr, Universidade Estadual de Ponta Grossa (Paraná)
Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Gestão do Território (Geografia/UEPG). Pesquisa Música e Espaço Público nas cidades. Graduado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2002) e mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2005, bolsista CAPES). Atualmente é professor colaborador (TIDE) no curso de Jornalismo da UEPG. Representa a região dos Campos Gerais no Conselho Estadual da Cultura do Paraná. Integra, ainda, o conselho de curadores da TV Educativa de Ponta Grossa. Atuou de 2009 a 2013 no Conselho Municipal de Política Cultural de Ponta Grossa como representante do setor de Música. Tem experiência na área de Jornalismo, com ênfase em produção cultural e estratégias editoriais, atuando principalmente nos seguintes temas: geografia da comunicação, jornalismo cultural, fotojornalismo, jornalismo impresso, políticas culturais e o espaço público. 

Referências

DARNTON, Robert. Jornalismo: toda notícia que couber a gente publica. In: O beijo de Lamourette: Mídia, cultura e revolução. São Paulo: Companhia das Letras, p. 76-109, 1990.

DURHAM, Eunice Ribeiro (org.). Malinowski. São Paulo: Ática, 1986.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

GOFFMAN, Erving. Comportamento em lugares públicos. Petrópolis: Vozes, 2010.

______. Os momentos e os seus homens. Lisboa: Relógio D’Água, 1999.

______. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 1999.

KELLNER, Douglas. A Cultura da Mídia: estudos culturais entre o moderno e o pós-moderno. Bauru: Edusc, 2001.

PARK, Robert. A notícia como forma de conhecimento. In: BERGER, Christa; MAROCCO, Beatriz (Org.). A Era glacial do jornalismo: teorias sociais da imprensa. Porto Alegre: Sulina, 2008.

ROTH, Joseph. Berlim. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo: a tribo jornalística – uma comunidade interpretativa transnacional. Florianópolis: Insular, 2005.

______. Jornalismo 2000. Revista de Comunicação e Linguagens. Lisboa: Relógio D’água Editorial, 2000.

WINKIN, Yves. A Nova Comunicação: da teoria ao trabalho de campo. Campinas: Papirus, 1998.

ZELIZER, Barbie. Os jornalistas enquanto comunidade interpretativa. In: Revista de Comunicação & Linguagens, 27, 33-61.

Publicado
2016-07-07
Como Citar
Bronosky, M. E., & Schoenherr, R. (2016). Indicações sobre a descrição de cenários de produção jornalística. Revista FAMECOS, 23(3), ID22650. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2016.3.22650
Seção
Jornalismo